7 formas de curar gripes e resfriados que não passam de mitos

Escrito por Raquel Praconi Pinzon

Foto: iStock

Você já ouviu dizer que uma gripe não tratada dura sete dias e que com remédios ela dura uma semana? Essa é uma piadinha sem graça para quem está de cama com os sintomas dessa doença, mas ela tem um fundo de verdade.

De fato, ainda não existem medicamentos que sejam realmente capazes de combater os vírus que causam gripes e resfriados, de forma que o tratamento se restringe aos sintomas.

Contudo, todo mundo conhece alguns truques caseiros que prometem curar essas doenças. O problema é que, na maior parte das vezes, eles não passam de mitos, como estes 7 apresentados a seguir:

1. Suar para eliminar toxinas e vírus

Foto: iStock

Sabe aquele velho conselho de que você deve praticar uma atividade física para elevar sua temperatura corporal, suar bastante e, assim, eliminar as toxinas e os vírus do seu corpo? Então, não passa de boato.

Você pode até se sentir melhor depois de fazer um exercício, mas isso se deve à liberação das endorfinas, neurotransmissores que estão ligados à sensação de bem-estar. O vírus da gripe e do resfriado, porém, não vão ser atingidos – e você ainda corre o risco de ficar desidratada se não repuser os líquidos perdidos por meio do suor.

Leia também: 10 tipos de medicamentos que fazem você ganhar peso sem saber

2. Fazer suplementação de vitamina C

Foto: iStock

A vitamina C realmente é muito importante no nosso organismo, sendo fundamental para a absorção do ferro e para a produção do colágeno. Porém, quando se trata da prevenção e da cura de gripes e resfriados, seu efeito é controverso.

Essa história começou em 1970 quando Linus Pauling, um famoso químico norte-americano ganhador do prêmio Nobel, publicou um livro aconselhando o consumo de 1 grama de vitamina C por dia para reduzir a incidência dessas doenças.

Contudo, um estudo feito com mais de 11 mil pessoas, publicado em 2013, revelou que a suplementação dessa vitamina só teria esse efeito em atletas de alto desempenho. Caso você não se encaixe nesse grupo, porém, saiba que nem tudo está perdido: esse mesmo estudo afirma que, considerando o baixo custo e a segurança do tratamento, pode valer a pena investir na vitamina C para diminuir a duração e a intensidade dos sintomas – embora isso não funcione para todo mundo.

3. Colocar cebola dentro das meias para dormir

Foto: iStock

Sentimos muito em informar, mas o máximo que você vai conseguir ao dormir com uma fatia de cebola dentro da meia é deixar seus pés com um odor um tanto diferente.

A ideia de que isso poderia curar gripes e resfriados vem do século XIV, quando as pessoas espalhavam cebolas em volta de suas casas na tentativa de espantar a peste bubônica – e também alguns maus espíritos.

Leia também: 25 benefícios incríveis do capim-limão para sua vida

4. Usar antibióticos

Foto: iStock

Tomar antibióticos sem indicação médica é uma péssima ideia. Esses medicamentos são poderosos contra as bactérias, mas eles não fazem absolutamente nada contra os vírus, sejam eles causadores da gripe, do resfriado ou de outra doença.

Para piorar a situação, consumir antibióticos sem necessidade ou com o princípio ativo, a dose ou o tempo de uso inadequados, pode acabar deixando você (suas bactérias, na verdade) resistente ao medicamento. Assim, quando você realmente precisar tomar um antibiótico, ele pode não funcionar mais.

5. Tomar quentão ou vinho quente

Foto: iStock

Tomar quentão, vinho quente ou qualquer outra bebida alcoólica aquecida com mel, limão, canela, gengibre, alho ou outros ingredientes ajudaria a curar gripes e resfriados. Essa pode até ser a primeira coisa que sua avó diz quando você espirra, mas não é bem assim que funciona.

Realmente é importante reforçar a ingestão de líquidos quando estamos doentes, e uma bebida quente ajuda mesmo a aliviar a irritação na garganta. Porém, é melhor deixar o álcool fora disso, pois, na verdade, ele pode diminuir sua imunidade, dificultando sua recuperação.

6. Cheirar óleo essencial de menta

Foto: iStock

É verdade que o aroma do óleo essencial de menta pode ajudar a aliviar a congestão nasal, mas ele não vai efetivamente combater os vírus que causam gripes e resfriados. Embora esse óleo tenha apresentado alguma ação contra os microrganismos em laboratório, ela não foi registrada no corpo humano.

Leia também: 5 dicas de limpeza para prevenir gripes e resfriados

Caso você não esteja conseguindo respirar, vale a pena colocar uma gotinha do óleo embaixo do nariz para aliviar esse sintoma, mas ele não vai acelerar a cura propriamente dita.

7. Consumir chá ou cápsulas de equinácea

Foto: iStock

A equinácea ficou famosa na medicina natural por suas supostas propriedades contra gripes e resfriados. Contudo, de acordo com vários estudos, como este publicado nos EUA em 2010, esse remédio caseiro não é capaz de reduzir a duração e a intensidade dos sintomas dessas doenças.

Nesse caso, não podemos descartar o efeito placebo, ou seja, quando a pessoa toma um remédio acreditando que ele vai funcionar e, por isso, ela realmente se sente melhor. Isso acontece principalmente quando falamos de dores e indisposição, sintomas que não podem ser medidos de forma precisa como a temperatura, por exemplo.

Tudo isso que apresentamos, porém, não significa que você não possa fazer nada para se sentir melhor em caso de gripe ou resfriado. Se alguma dessas alternativas funciona para você, continue usando – desde que ela não cause um mal maior (como o álcool) e você não abandone o tratamento prescrito pelo médico.

Descanse bastante, tome muita água, chás e sucos naturais, procure aliviar a congestão nasal e espere o tempo passar. Para se prevenir, as melhores opções são ter um estilo de vida saudável e fazer a vacina da gripe todos os anos.

Leia também: 6 chás para acordar, emagrecer, ter energia e outros usos incríveis

Dicas pela Web