8 maneiras de evitar a trombose

Evitar permanecer muito tempo sentado, sem se movimentar, é uma orientação importante para fugir do problema que tanto atinge o público feminino

Escrito por
Foto: Thinkstock

Foto: Thinkstock

Continua após o anúncio

Você provavelmente já ouviu falar sobre trombose, mas, se ainda não tem muito conhecimento sobre esta condição de saúde, é importante saber que existem hábitos importantes no sentido de preveni-la.

Primeiramente, é preciso entender que a Trombose Venosa Profunda (TVP), conhecida popularmente apenas por trombose, ocorre quando há formação de um coágulo sanguíneo em uma ou mais veias grandes, geralmente dos membros inferiores (coxas e pernas), determinando a obstrução parcial ou total do fluxo na veia afetada.

Yolanda Schrank, endocrinologista do Bronstein Medicina Diagnóstica, destaca que o desenvolvimento da trombose está relacionado com a diminuição da velocidade da circulação (estase venosa), aumento da viscosidade do sangue (hipercoagulabilidade) e alterações na integridade das veias.

O caso se agrava quando um coágulo se desprende e se movimenta na corrente sanguínea (processo chamado de embolia). Uma embolia pode ficar presa no cérebro, nos pulmões, no coração ou em outra área, levando a lesões graves.

“O risco maior da trombose é quando um fragmento se desprende (êmbolo) e se movimenta pela corrente sanguínea migrando para os pulmões e causando a embolia pulmonar, intercorrência esta de alta letalidade”, reforça Yolanda.

8 maneiras de prevenir a trombose

Levando em conta os fatores de risco para ocorrência da trombose, Yolanda cita as principais medidas que podem ajudar a preveni-la:

  1. Pratique exercícios físicos regularmente.
  2. Evite permanecer muito tempo sentado sem se movimentar.
  3. Evite o tabagismo.
  4. Evite o consumo de álcool (associado ao tabagismo e ao uso de anticoncepcional).
  5. Mantenha uma dieta equilibrada.
  6. Procure manter o peso.
  7. Pacientes com história de varizes e história anterior de trombose devem ser orientados a usar meias de compressão.
  8. Pacientes que trabalham ou permanecem muito tempo em pé ou sentados também devem ser orientados a usar meias de compressão.

Abaixo você conhece os principais fatores de risco para a ocorrência de trombose, exatamente para saber como pode prevenir este problema.

Fatores de risco para a trombose

Foto: Thinkstock

Foto: Thinkstock

Yolanda destaca como os principais fatores de risco:

Continua após o anúncio

Hereditariedade: algumas famílias apresentam uma desordem herdada que facilita a coagulação sanguínea (hipercoagulabilidade), o que favorece a trombose, sobretudo na presença de outro fator de risco.

Imobilidade: no contexto de pacientes acamados, internações prolongadas e longas viagens.

Varizes: pacientes que apresentam dilatação das veias (varizes), sobretudo do sistema venoso profundo.

Idade: pacientes acima de 60 anos apresentam maior risco de trombose.

Tabagismo: aumenta a hipercoagulabiliade (aumento da viscosidade do sangue).

Obesidade: o excesso de peso e o acúmulo de gorduras exercem pressão sobre as veias, dificultando a passagem do sangue, principalmente nos vasos dos membros inferiores.

Álcool, tabagismo e anticoncepcional

Segundo o Instituto Nacional do Câncer (Inca), jovens que fumam e usam anticoncepcional têm 10 vezes mais chance de sofrer ataque cardíaco e embolia pulmonar do que outras pessoas da mesma faixa etária que não são fumantes e usam o mesmo medicamento.

Esse grupo também apresenta maior risco para doenças do sistema circulatório, aumentando em 39% as chances de doenças coronarianas e em 22% de acidente vascular cerebral.

“A pílula e a nicotina aumentam em até 10 vezes o risco de coagulação do sangue no interior das veias, favorecendo a formação de trombos, que podem se deslocar, causando diversos problemas, entre eles a embolia pulmonar, patologia grave e potencialmente fatal”, explica a endocrinologista Yolanda Schrank.

A médica explica ainda que o consumo de álcool é nocivo às células do fígado, que é justamente o órgão em que a pílula é metabolizada. “Essa combinação de álcool, cigarro e pílula é sempre ruim, porque envolve substâncias tóxicas no organismo, principalmente pulmão e fígado, além de aumentar o risco de ocorrência de trombose”, explica Yolanda. “Além disso, pode retardar a absorção do anticoncepcional, diminuindo, consequentemente, sua eficácia”, acrescenta.

Continua após o anúncio

Sintomas da trombose

Foto: Thinkstock

Foto: Thinkstock

Yolanda explica que a trombose pode ser completamente assintomática, é o que acontece em muitos casos. Ou ainda, apresentar sintomas como dor, inchaço e aumento da temperatura nas pernas.

“Os sintomas da trombose podem se assemelhar aos de outras doenças ou problemas. Consulte sempre seu médico para um diagnóstico”, orienta a endocrinologista.

Diagnóstico da trombose

Na consulta com o médico é provável que você escute algumas perguntas como:

  • Você sente dores nas pernas? Com que frequência?
  • Qual a intensidade das dores?
  • Tomou alguma medida que melhorou ou agravou os sintomas?
  • Alguém da sua família já teve trombose ou algum problema relacionado à coagulação sanguínea?

O médico também deverá realizar um exame físico. Mas esses métodos podem não ser suficientes para fazer o diagnóstico e exames provavelmente serão solicitados.

Tratamento da trombose

Yolanda explica que medicamentos para reduzir a viscosidade do sangue são utilizados no tratamento da trombose. “Estes medicamentos, entretanto, só devem ser usados mediante prescrição médica depois de criteriosa avaliação, já que há o risco de fenômenos hemorrágicos”, destaca.

Agora você já tem as principais informações sobre a trombose e, sobretudo, sabe que há maneiras de se prevenir esse problema. Em casos de dúvida, consulte sempre um médico de sua confiança.

Este conteúdo foi útil para você?
Sua opinião é importante para identificarmos onde podemos melhorar.
Sim
Não

As informações contidas nesta página têm caráter meramente informativo. Elas não substituem o aconselhamento e acompanhamentos de médicos, nutricionistas, psicólogos, profissionais de educação física e outros especialistas.

Para você