BLW: conheça o método de introdução alimentar que estimula a independência

Método vem ganhando força no Brasil e tem vários benefícios; saiba como funciona

Escrito por Mariana Bueno

Foto: iStock

O BLW, ou Baby-Led Weaning, é um método de introdução alimentar um pouco diferente das tradicionais papinhas e vem sendo cada vez mais utilizado por mães e pais no momento em que os bebês deixam de ter amamentação exclusiva e começam a consumir outros alimentos.

A tradução literal do nome seria algo do tipo “desmame que o bebê lidera”. Ou seja, o próprio bebê conduz a sua introdução alimentar. A partir dos seis meses de idade ele começa a receber sua alimentação através de itens sólidos, com pedaços de alimentos cortados, para que possa segurar e comer sozinho.

Embora não seja uma prática nova, no Brasil somente agora vem ganhando força e muitos pais estão optando por esta forma de introdução alimentar.

Benefícios do BLW

Foto: iStock

A youtuber Shirley Hilgert, do canal Macetes de Mãe, explica melhor como funciona esse método e quais os seus principais benefícios para o bebê.

Aceitar melhor os alimentos

A criança já começa a conhecer os alimentos nas suas texturas corretas e no sabor correto, já que não estão misturados ou amassados, o que faz com que se acostume mais rápido e, em longo prazo, passe a consumir mais.

Leia também: Meu filho não come: o que fazer?

Ter uma experiência sensorial

A criança não está só se alimentando, ela acaba desenvolvendo outros sentidos como a visão (tem que olhar e escolher o alimento de formatos e cores diferentes), o tato (toca o alimento e sente a textura), habilidade motora (porque pode deixar cair e tem que pegar).

Aproveitar mais as fibras

Por mais que as papinhas só esmaguem os alimentos, é inevitável que as fibras sejam quebradas. Com alimentos inteiros isso não acontece e, portanto, o bebê acaba ingerindo a fibra, o que é ótimo para a saúde.

Estimular a autonomia

Os alimentos ficam disponíveis na frente do bebê para que ele escolha, pegue, sinta, leve à boca, prove, e decida o que vai comer. E ela quem conduz todo o processo.

Desenvolver habilidades sociais

No BLW o bebê senta-se à mesa e come junto com a família, os mesmos alimentos que a família está comendo, de forma que se adapta mais facilmente a essa rotina.

Evitar a obesidade

Um estudo publicado em um jornal inglês apontou que com essa introdução alimentar há uma tendência menor à obesidade. Porque como é o próprio bebê que conduz, ele consegue identificar o momento que está saciado, o que não acontece com a papinha, porque vai recebendo e vai comendo, sem conseguir medir se está satisfeito.

Com quantos meses posso iniciar o BLW?

Foto: iStock

A fase de introdução alimentar deve ser iniciada aos seis meses, quando o aleitamento materno deixa de ser exclusivo. Mas é importante saber que cada criança tem seu tempo e não se deve segurar a comida na boca e nem forçar. Se a criança ainda não consegue, é melhor esperar um pouco.

Leia também: Como desmamar o bebê

Para começar, coloque sempre o bebê na mesa junto com adultos e, na frente dele, os alimentos com o mínimo possível de utensílios, nem mesmo pratinho ou colher. Isso é para que não se tire o foco dos alimentos.

Opte sempre por alimentos que a criança possa manusear e comer com segurança, como brócolis cozido, palitos de cenoura cozida, banana, alimentos macios que por não ter dentes e nem experiência, consiga morder e deglutir. E o ideal é que a família esteja presente, para que o bebê veja os outros comendo e possa imitá-los.

Outra dica é escolher um horário em que a criança esteja descansada, que não esteja irritada ou com sono. Pois, caso contrário, a introdução alimentar não terá sucesso.

E, principalmente, nunca apressar a criança para comer e respeitar o tempo dela de pegar a comida, de brincar com cada alimento, deixar que se sinta confortável para apertar, morder, sentir o gosto, se sujar…

Até os 8 ou 9 meses, o bebê vai comer pouco, porque vai mais brincar que se alimentar. A tendência é, na medida em que vai se acostumando, começa a comer mais. Mas, no início, não é preciso se assustar e achar que está comendo pouco, porque esse é um processo natural e acontece de forma mais lenta.

Leia também: Refluxo em bebês: entenda o que é e quando você deve se preocupar

Papinha x BLW

Foto: iStock

A papinha tem algumas desvantagens, como o fato de ter alimentos misturados, impossibilitando que a criança sinta o real sabor de cada um deles. E, por estarem amassados, acabam perdendo algumas fibras. Outro ponto que deve ser considerado é o fato de que o BLW faz um pouco de sujeira e bagunça. Se você não se sentir bem com isso, é melhor não optar pelo BLW.

Mas muitos pais ainda optam pela papinha principalmente por medo do risco da criança engasgar. De acordo com profissionais, não há chances de haver engasgo sério, porque os pedacinhos que ela coloca na boca são pequenos. Como estão ainda aprendendo a comer, podem ter um reflexo de engasgo, mas é algo natural e, quando o alimento chega na garganta em tamanho maior, ela logo tosse e cospe.

O mais importante é observar o comportamento da criança e o gosto de cada uma, porque pode não funcionar com todo mundo. Há as que preferem alimentos cremosos e macios e as que preferem pedaços. Não existe um método ideal e isso vai variar para cada caso.

Assuntos: Bebês

Dicas pela Web