Graviola é aliada na prevenção e no tratamento de diversas doenças

Saborosa e refrescante, a fruta é rica em vitaminas, fibras e minerais que trazem grandes benefícios para a saúde

Escrito por Karina Azevedo
Foto: Getty Images

Foto: Getty Images

A graviola é uma fruta originária da América Central, da região das Antilhas. No Brasil, cresce espontaneamente na floresta Amazônica e é cultivada principalmente nas regiões Norte e Nordeste – a Bahia já liderou o ranking dos maiores produtores mundiais de graviola. A planta também é cultivada em algumas regiões da Ásia e da África.

Embora a gravioleira seja uma árvore de porte pequeno a médio, os frutos são grandes e podem pesar até oito quilos. Os frutos e podem ter formato oval ou lembrar a forma de coração. A casca é verde e coberta por uma espécie de espinho; a polpa é branca, de textura cremosa e com sementes pretas.

Quem tem espaço no quintal pode se aventurar no plantio da planta: o clima ideal para o cultivo é o tropical, em temperaturas de 20 a 30 graus. No trato da planta deve atentar-se especialmente para as podas e adubações. A colheita é feita uma vez ao ano.

Aromática, de sabor agridoce e com toque cítrico, a graviola é bastante apreciada no Brasil, consumida in natura e utilizada no preparo de sucos, sorvetes e outras sobremesas. Além da polpa da fruta, as folhas da gravioleira também são aproveitadas para o consumo, na forma de chá.

Por ser rica em vitaminas, minerais e outros nutrientes, a graviola é altamente benéfica para a saúde e uma grande aliada no tratamento e prevenção de uma série de doenças.

Leia também: 22 maneiras criativas de aproveitar o que a melancia tem de melhor

Benefícios da graviola

Foto: Getty Images

Foto: Getty Images

“A graviola pode ser recomendada para pessoas com hipertensão arterial e para quem sofre de constipação intestinal”, aponta Bruna Lyrio, nutricionista da Clínica Tostes, no Rio de Janeiro.

O motivo disso é que a fruta é rica em cálcio, magnésio e potássio, que auxiliam no controle da pressão arterial; e possui fibras, que ajudam no bom funcionamento do intestino. Além disso, a graviola contém vitaminas C e do complexo B, ferro, zinco, manganês, cobre, sódio, fósforo e propriedades antioxidantes.

O consumo da fruta também pode contribuir com o combate à insônia, saúde e beleza da pele, prevenção de diabetes, fortalecimento dos ossos e na prevenção de problemas no trato intestinal, como gastrite e úlceras.

Seus benefícios na ação contra o câncer são bastante comentados e estudados. Os componentes da graviola ajudam a impedir o desenvolvimento de células cancerígenas e, portanto, a fruta pode atuar na prevenção do câncer.

A graviola pode ainda colaborar com o processo de emagrecimento, uma vez que tem baixo teor calórico e é rica em fibras, o que faz com que a sensação de corpo saciado permaneça por mais tempo. A fruta é também uma boa aliada na prática de exercícios físicos: “o suco da graviola também pode ser um bom repositor de eletrólitos no pós-treino, devido à boa quantidade de potássio”, assinala a nutricionista.

Leia também: 50 benefícios surpreendentes do mamão papaia para a beleza e a saúde

Contraindicações

Mesmo com todos os benefícios, a graviola tem algumas contraindicações – especialmente porque o excesso de alguns de seus componentes pode ser prejudicial para certos grupos de pessoas.

“Como a graviola é rica em potássio, ela é contraindicada para pessoas com doenças renais, pois esse grupo precisa controlar a quantidade de potássio ingerida para que não haja sobrecarga renal”, alerta Bruna. Da mesma forma, como a fruta auxilia no controle da hipertensão arterial, quem sofre de pressão baixa deve evitar o consumo, pois há o risco de queda de pressão.

O consumo é contraindicado também para pessoas com feridas na boca, aftas ou caxumba, visto que a fruta é bastante ácida; e para mulheres grávidas ou em fase de amamentação.

Formas de consumo

Foto: Getty Images

Foto: Getty Images

A graviola pode ser consumida de formas diferentes: além da própria fruta, as folhas da árvore também são aproveitadas na forma de chá e ainda há a forma concentrada no formato de cápsula.

In natura

A forma de consumo mais simples é da fruta in natura. Refrescante e de sabor agridoce, o fruto da graviola é geralmente consumido sem a casca e sem as sementes. A polpa também é usada como ingrediente para sucos, doces e outras receitas

“É importante saber escolher a fruta e também verificar se a mesma pode estar com bicho-da-graviola, uma praga que atinge os frutos de qualquer tamanho e idade. O bicho perfura a casca e penetra na polpa causando o endurecimento e enegrecimento da parte afetada, deixando a fruta podre”, explica Bruna. Para escolher uma boa fruta, a dica da nutricionista é dar preferência para as que estiverem macias e evitar frutos com a casca preta ou rachada.

Chá

O chá de graviola é feito a partir da infusão das folhas da gravioleira. Assim como os frutos, as folhas da graviola são bastante benéficas para a saúde, ricas em vitaminas do complexo B e C, bioativos e carboidratos.

Essa forma de consumo é indicada no tratamento de colesterol alto, artrite, reumatismo, gripe, asma, hipertensão, problemas no aparelho digestivo, excesso de catarro, vermes, inflamações, entre outras. O consumo é contraindicado para gestantes e mulheres que estão amamentando.

Cápsula

Em regiões em que a fruta não é encontrada com tanta facilidade, pode-se usufruir dos benefícios da graviola através de seu consumo em cápsulas. As cápsulas também não são recomendadas para crianças de até três anos, mulheres grávidas ou em fase de amamentação e pessoas com hipotensão. O mais recomendado é que essa forma de consumo seja acompanhada por indicação profissional. O produto pode ser encontrado em lojas de produtos naturais.

5 receitas deliciosas com graviola

Mousse de graviola. Foto: Reprodução / Aqui na Cozinha

Mousse de graviola. Foto: Reprodução / Aqui na Cozinha

1. Mousse de graviola: essa receita leva algumas horas para ficar pronta, mas o resultado promete valer a espera. Para a mousse é necessário creme de leite, leite condensado, gelatina incolor e a graviola. Para complementar a sobremesa, a calda é de ameixa.

2. Suco de graviola: é muito simples fazer suco de graviola, basta separar a polpa dos caroços e batê-la com água e açúcar ou adoçante. Quem gosta de sucos mais encorpados também pode tentar a receita com leite.

3. Picolé de graviola: essa receita é ótima para os dias mais quentes. O picolé de graviola também conta com castanha de caju e semente de chia para um toque a mais de sabor. A receita rende de quatro a seis picolés.

4. Geleia de graviola: a receita de geleia de graviola combina, além da polpa da graviola (que pode ser a congelada), maçã e suco de limão. Para acertar o ponto de geleia, a dica é colocar um pouco da mistura em um pires gelado.

5. Insalata de tilápia com maionese de graviola: quem disse que a graviola pode ser usada apenas em pratos doces? Nessa receita você aprende a preparar uma maionese de graviola para acompanhar uma salada de peixe. O rendimento é de um prato.

Em receitas doces ou salgadas, em chás, cápsulas ou mesmo apenas consumindo a fruta in natura – aproveite as propriedades da graviola e adote a fruta como uma aliada para a sua saúde!

Dicas pela Web