Ginástica localizada auxilia no emagrecimento e na tonificação muscular

De forma geral, o gasto energético durante uma hora de aula pode variar entre 350 a 500 calorias

Escrito por Tais Romanelli

Foto: iStock

Atualmente existem, ao alcance de todos, os mais variados tipos de exercícios físicos para quem deseja se movimentar, seja para perder ou manter o peso, ou para conquistar mais saúde e qualidade de vida.

São opções para todos os gostos, que vão desde atividades ao ar livre, passando pelas tradicionais academias de musculação e aulas de ginástica, chegando até a atividades que ganharam destaque mais recentemente, como, por exemplo, treino funcional, crossfit ou determinadas aulas de dança. Enfim, só fica parado quem quer!

E, entre as muitas maneiras de se exercitar, existe uma que, embora não seja novidade, nunca deixou de ter espaço: a ginástica localizada.

Felipe Kutianski, preparador físico da Ziva, graduado em Educação Física pelo Centro Universitário do Brasil (UniBrasil) de Curitiba (PR) e pós-graduado em Bioquímica do Exercício pela Universidade Gama Filho (RJ), com certificação Kettlebell Basic obtida em São Petersburgo (Rússia), comenta que a ginástica localizada ficou muito famosa há décadas atrás, principalmente por aulas em vídeo, sendo difundida pelos profissionais norte-americanos. “Eles se utilizavam normalmente de movimentos unilaterais e acessórios como forma de sobrecarga (caneleiras, por exemplo).”, diz.

Luciene Maria de Paula, fisioterapeuta da L&L Espaço Vida ao Corpo, pós-graduada em dermatofuncional e esteticista, personal trainer, instrutora de Pilates e treinamento funcional, define que a ginástica localizada se utiliza de movimentos focados em determinados grupos musculares e são feitos de forma repetitiva. “Cada sessão de repetição deve ser separada por uma pausa para o descanso dos músculos”, explica.

Leia também: 10 exercícios que ajudam a perder a barriga

Para Luciene, a ginástica localizada é bem indicada tanto para mulheres como para homens que querem queimar mais calorias, que não gostam de musculação e/ou preferem algo mais “animado”.

6 bons motivos para adotar a ginástica localizada

Foto: iStock

A especialista Luciene destaca como principais vantagens da ginástica localizada:

1. Melhora da postura: por possuir um grande acervo de exercícios, a ginástica localizada treina o corpo todo de forma equilibrada, contribuindo para uma melhor postura.

2. Ajuda no aumento e/ou preservação da massa muscular:a ginástica localizada é uma boa pedida, seja para ganhar massa ou manter a que você já possui, o que traz vantagens não só do ponto de vista estético, mas também para a saúde de uma forma geral.

3. Melhora das habilidades psicomotoras: com exercícios variados, a ginástica localizada pode contribuir para a melhora da agilidade, do equilíbrio e da coordenação.

Leia também: 13 dicas para enganar a fome de maneira saudável

4. Prevenção a possíveis lesões: quando feita de forma correta e frequentemente, a ginástica localizada ajuda a reduzir e amortecer possíveis lesões do cotidiano, já que os músculos ficam mais fortes e protegem tendões e ligamentos.

5. Melhora do condicionamento físico e da qualidade de vida: como outras atividades físicas, a ginástica localizada tira a pessoa do sedentarismo e proporciona melhor condicionamento, não só para a pessoa se exercitar, mas para realizar todas as suas atividades do dia a dia. Tudo isso proporciona ainda uma melhor qualidade de vida.

6. Ajuda no emagrecimento: como outras atividades, a ginástica localizada é uma boa aliada no processo de emagrecimento. Ela proporciona fortalecimento dos músculos e, assim, maior perda de gordura, além de ajudar a modelar o corpo e auxiliam o sistema cardiorrespiratório.

Felipe reforça que tudo depende muito da característica e intensidade da aula e de cada professor, mas, normalmente, com a ginástica localizada, são apresentados ganhos de resistência e potência muscular, podendo, assim, oferecer resultados significativos em respostas cardiorrespiratórias e emagrecimento.

Ginástica localizada e emagrecimento

Foto: iStock

Luciene destaca que a ginástica localizada pode, sim, ajudar no emagrecimento, porque o gasto energético durante uma hora de atividade pode variar entre 350 a 500 calorias. “Mas, vale ressaltar que a quantidade exata de calorias é definida levando em conta fatores como a intensidade da aula, o ritmo (em batimentos por minuto) e o peso corporal da pessoa”, diz.

Leia também: 20 melhores exercícios para perder peso

“Além disso, esse tipo de atividade contribui com a preservação da massa muscular, o que faz com que a massa gorda seja eliminada, além da diminuição da flacidez… Colaborando assim de forma geral para o processo de emagrecimento saudável”, acrescenta Luciene.

Felipe reforça que o emagrecimento dependerá muito da intensidade da aula e demais fatores como: volume, intervalo, vias energéticas e outras. O especialista também lembra os papéis essenciais da reeducação alimentar e da frequência semanal de treinamento, utilizando-se de sobrecarga tensional ou metabólica nas aulas de ginástica.

“A ginástica funcionará como um estímulo, ou seja, apenas uma ‘peça’ do processo de emagrecimento, sendo fundamental um acompanhamento nutricional, pois a definição muscular não é nada menos que a diminuição do percentual de gordura, com um bom volume de massa muscular”, acrescenta Felipe.

Ginástica localizada x musculação

Foto: iStock

Felipe explica que a ginástica se utilizada de uma via de treino mais metabólica, com poucas repetições, isometrias, procurando deixar um ambiente muscular mais oxidativo. “A musculação normalmente se utiliza de uma via mais tensional, com uso de sobrecarga mecânica aos músculos, agindo através de microlesões para seus ganhos, como hipertrofia, por exemplo”, diz.

Em resumo: “a ginástica focará resistência e tonificação muscular, enquanto a musculação dará um maior foco em hipertrofia e força muscular. Ambas apresentarão resultados em ganhos cardiorrespiratórios e emagrecimento, dependendo de como o professor organizar os treinos”, destaca Felipe.

Leia também: 12 dicas para se manter motivada na academia

Para Luciene, a musculação é mais indicada para pessoas que desejam ganhar força muscular e volume. “Já a ginástica localizada pode ser uma boa escolha para as que querem queimar mais calorias e buscam uma atividade mais estimulante, uma vez que a ginástica é realizada no ritmo da música”, diz.

Ginástica localizada em casa

Felipe explica que a calistenia (exercícios físicos sem uso de aparelhos) é a melhor forma de ginástica para ser feita em casa. “Para realizar os exercícios, pode ser usado apenas o peso corporal ou acrescentar alguns acessórios”.

Abaixo, o preparador físico cita exemplos de exercícios que podem ser feitos em casa:

Burpee

Imagem: Giphy

A pessoa realizará um agachamento, em seguida entrará em posição de prancha, realizando uma flexão de braço. Na fase final, ela voltará da flexão até a prancha, pulando para a posição de agachamento e finalizando com um salto vertical.

Agachamentos com saltos verticais

Imagem: Giphy

A pessoa realizará um agachamento até aproximadamente 90º dos joelhos, voltando a posição inicial e finalizando com um salto completo, tirando os pés do solo.

Russian Twist com Kettlebell

Imagem: Reprodução / Style Girlfriend

Sentada, a pessoa segurará o kettlebell na altura do peitoral e sem deixar que os pés toquem o solo. Com movimentos controlados, a pessoa realizará uma rotação de tronco, fazendo com que o kettlebell toque o solo na lateral de seu quadril, sem que os pés toquem o chão.

Flexão de braço com apoio de mão

Imagem: Giphy

A pessoa estará em posição de prancha com os cotovelos estendidos, tocando apenas a ponta dos pés no solo. As mãos estarão segurando os apoios para flexão, que deixarão a amplitude do movimento mais amplo. Flexionando apenas os cotovelos, a pessoa aproximará o peitoral do MET, quase tocando ou tocando se necessário. Na fase final, a pessoa realizará a extensão dos cotovelos até ficarem alinhados novamente. Em caso de necessidade, o aluno poderá colocar os joelhos no solo como forma de amenizar a intensidade do exercício.

Luciene comenta que existem muitos exercícios que podem ser feitos em casa. “Porém, ir a uma academia ou contratar um professor que te dê uma orientação mais específica seria o ideal para conseguir bons resultados”, orienta.

Outros exercícios que podem ser feitos em casa com sucesso, com auxílio dos utensílios domésticos, de acordo com a personal trainer, são:

  • Pular corda;
  • Correr ou pedalar;
  • Abdominais;
  • Rosca direta;
  • Tríceps francês;
  • Elevação lateral;

Para realizar exercícios em casa, de forma segura, Felipe orienta: “procure tomar muito cuidado com suas fontes de referência. Se possível, utilize-se da orientação de um profissional qualificado para elaboração de seus treinos e determinadas adaptações”.

Luciene acrescenta que os melhores cuidados para se fazer ginástica em casa são: se aquecer e alongar para evitar lesões e fazer o básico bem feito. “Não faça exercícios mirabolantes ou que viu na internet, pois podem te causar um acidente ou mesmo uma lesão mais grave. E de preferência conte sempre com a ajuda de um profissional”, finaliza a personal trainer.

Vale lembrar que a prática de pelo menos uma atividade física é essencial para uma melhor qualidade de vida. Por isso, vale a pena encontrar um tipo de atividade com a qual você se identifique e que te mantenha motivada a praticar com frequência!

Dicas pela Web
Comentários