Garganta inflamada: por que ocorre e como tratá-la

Os sintomas geralmente são dor, dificuldade para engolir e, às vezes, a febre também está presente

Escrito por Tais Romanelli
Foto: Thinkstock

Foto: Thinkstock

A maioria das pessoas já sentiu, ao menos uma vez na vida, aquela dificuldade para comer, uma dor na garganta que pode ser mais ou menos intensa, às vezes, acompanhada de certa indisposição…

Se você já passou por isso é bem provável que tenha logo associado os sintomas à “garganta inflamada” – que, na verdade, é uma denominação popular das chamadas faringoamigdalites.

Alexandre de Souza Cury, médico otorrinolaringologista, mestre em Biologia Molecular, docente da graduação em Medicina da Universidade Anhanguera-Uniderp, explica que faringoamigdalites são inflamações nos tecidos das amígdalas, faringe e anexos da cavidade oral, frequentemente denominadas “garganta inflamada”. “Elas podem ser decorrentes de processos infecciosos ou não”, diz.

Faringite x amigdalite

Faringite é o nome dado à inflamação da faringe, e amigdalite, à inflamação das amígdalas. Ambas apresentam como principal sintoma a dor de garganta.

Como faringe e amígdalas estão anatomicamente próximas, é muito comum inflamarem simultaneamente, resultando no exatamente no quadro chamado de faringoamigdalite.

Leia também: Amigdalite: o que a causa e como evitar as dores de garganta

Mas, apesar de existir esta possibilidade (de inflamarem juntas), algumas pessoas têm predominantemente amigdalite; enquanto outras, faringites.

Garganta inflamada x garganta infeccionada

Alexandre Cury explica que, na verdade, “garganta inflamada” e “garganta infeccionada” são terminologias leigas. “Podemos dizer que a garganta inflamada representa sinais sugestivos de inflamação, sem termos como fator etiológico uma infecção. Enquanto que na garganta infeccionada, teríamos uma inflamação decorrente de um processo infeccioso causado por vírus ou bactéria”, destaca.

Sintomas da garganta inflamada

De acordo com o médico otorrinolaringologista Cury, as faringoamigdalites têm como principais sintomas:

  • Dor de garganta;
  • Dificuldade para engolir;
  • Febre (em alguns casos);
  • Dificuldade para respirar (em algumas situações).

Por que garganta inflamada causa febre?

Esta não é uma regra, mas, em alguns casos, a febre pode ser um dos sintomas da “garganta inflamada”.

Alexandre Cury explica que isso ocorre, em alguns casos, porque, geralmente, a febre é um indicativo de um processo infeccioso viral ou bacteriano. “Sendo, então, este um dado semiológico importante para a conduta investigativa da causa da ‘garganta inflamada’”, diz.

Quando procurar ajuda médica?

Alexandre Cury explica que, ao observar um dos sintomas das faringoamigdalites (popularmente chamadas de garganta inflamada), é importante procurar ajuda médica. “É essencial termos sempre uma avaliação médica para o melhor diagnóstico e, consequentemente, tratamento adequado logo no início, nos primeiros sinais ou sintomas”, destaca.

Tratamento da garganta inflamada

O tratamento deve ser sempre baseado na causa base. Alexandre Cury destaca alguns exemplos: nos casos de infecções bacterianas, deve-se fazer uso de anti-inflamatórios e antibióticos; enquanto em casos de infecções virais, faz-se o uso apenas dos anti-inflamatórios. Procure um médico para que ele indique qual é a opção correta para o seu caso.

Dicas para aliviar os sintomas da garganta inflamada

Foto: Thinkstock

Foto: Thinkstock

O otorrinolaringologista Cury explica que, em casa, o mais importante é manter uma hidratação adequada, seja com água ou alguns chás que podem proporcionar o alívio dos sintomas. Neste sentido, confira as orientações:

  • Beba bastante água;
  • Beba também chás, como o preto, o verde e o branco;
  • Faça gargarejo com água e sal, o que pode ajudar a diminuir o desconforto pelo edema.

Vale destacar que essas dicas servem apenas para aliviar os sintomas da garganta inflamada, mas não excluem, de forma alguma, a necessidade de um tratamento adequado (indicado pelo médico).

Como prevenir a garganta inflamada

Alexandre Cury destaca que a prevenção baseia-se em ter um estilo de vida saudável. Neste sentido, confira algumas orientações:

  • Siga uma alimentação adequada (com o consumo de mais alimentos naturais e menos industrializados);
  • Mantenha a higiene bucal em dia;
  • Preze pela boa qualidade do sono (dormindo cerca de 8 horas por dia);
  • Ingira bastante líquido para manter uma hidratação adequada.

Além disso, não hesite em procurar ajuda médica caso sintomas como dor de garganta, dificuldade para engolir, entre outros, comecem a incomodar. Somente um profissional poderá investigar o caso e tratá-lo da melhor maneira possível.

Para você