Fibroadenoma: saiba tudo sobre o tumor que atinge mulheres mais jovens

Escrito por Iara Avelino

iStock

Estar com os exames em dia e fazer um acompanhamento rotineiro da saúde é muito importante para a mulher. Alguns problemas podem ser diagnosticados através desses cuidados e ser tratados de forma mais eficiente com o diagnóstico precoce, como é o caso da presença de um fibroadenoma.

Fibroadenoma é um tipo de nódulo mamário considerado um tumor benigno. Segundo a Dra. Ângela Cassol, o nódulo aparece mais comumente em mulheres de até 30 anos e ele pode ser notado através da palpação da mama, sendo mais sensível durante o período menstrual.

Fibroadenoma: causas

iStock

As causas do aparecimento dos fibroadenomas estão relacionadas aos hormônios sexuais femininos. A medida que esses hormônios se multiplicam, novas células glandulares são formadas.

Entretanto, não se preocupe: essas variações hormonais são normais durante a vida da mulher. A formação dos fibroadenomas também é considerada comum. São registrados cerca de 150 mil casos por ano.

Leia também: Dor no peito: tipos, causas e como proceder em cada caso

Sintomas da fibroadenoma

  • Caroço no seio ou na axila;
  • Nódulo móvel;

Normalmente, fibroadenomas não causam dores. Porém, é possível senti-los através do toque. Principalmente, no período menstrual, quando as mamas estão mais sensíveis.

Diagnóstico

iStock

Ao perceber a presença do nódulo na mama, através do autoexame, é hora de procurar um médico.

A partir disso, o mastologista realizará exames específicos, como o exame físico, mamografia, ultrassonografia da mama e, até mesmo, biópsia do nódulo.

Esses exames variam de acordo com a idade e o tamanho do nódulo. A maioria dos nódulos não precisam chegar até a fase da biópsia.

Por isso, é importante procurar um médico de confiança que deixará você à vontade e trará mais tranquilidade durante o processo.

Leia também: Vagina: guia completo para solucionar dúvidas e conhecê-la melhor

Fibroadenoma: tratamento

iStock

Na maioria dos casos, fibroadenomas não necessitam de tratamento. O médico responsável avalia se o nódulo pode trazer mais problemas para a mulher. Se o resultado for negativo, ele recomendará que a paciente faça o acompanhamento semestral e monitore o desenvolvimento do nódulo.

Como falamos, é possível retirá-lo através de cirurgia, caso a paciente deseje. Muitas mulheres optam por esse método por questão de estética e prevenção.

Cirurgia

A cirurgia para a retirada de fibroadenomas na mama é simples e ocorre, geralmente, de forma rápida.

Dessa maneira, ela é recomendada pelo médico responsável quando um dos exames solicitados apresenta resultados anormais e/ou o nódulo cause incômodo para a paciente.

A cirurgia é feita sob anestesia local, exceto quando há a retirada de mais de um nódulo. Nesse caso, a anestesia é geral.

Leia também: Outubro Rosa: saiba como prevenir o câncer de mama

Mas vale relembrar que a cirurgia é recomendada apenas em casos específicos. É importante conversar com o seu médico e saber a sua necessidade.

Fibroadenoma pode virar câncer de mama?

A probabilidade do fibroadenoma se tornar um câncer de mama é muito baixa. Isso pode acontecer, geralmente, quando há a presença de células malignas no nódulo. Porém, não é algo corriqueiro. As chances de isso acontecer são baixas.

Apesar disso, para as mulheres que já tiveram fibroadenomas, a probabilidade de adquirir câncer de mama é um pouco maior.

Além disso, as mulheres que possuem fibroadenomas mais graves, com calcificações e até cistos anormais, podem ter chances maiores de adquirir câncer de mama.

Mesmo com as baixas chances de evolução para um câncer, é importante que a mulher fique atenta ao seu corpo e faça o acompanhamento junto ao seu médico.

Concluí-se que fibroadenomas, em geral, não apresentam grandes riscos para a saúde da mulher e é possível conviver com a presença deles. Mas você deve estar atenta às mudanças do seu corpo.

Para você