Fibroadenoma: tumor benigno atinge mais mulheres jovens

Ao longa da vida, cerca de 10% das mulheres desenvolvem o nódulo

Escrito por Gisele Macedo Sá

Foto: Thinkstock

Cuidar da saúde e estar com os exames em dia é muito importante. Mas engana-se quem pensa que só precisa se preocupar quem está com mais idade, pois existem complicações que surgem mesmo em mulheres jovens.

É o caso do fibroadenoma mamário, que, segundo o médico mastologista do Hospital Santa Casa de São Paulo e do Femme Laboratório da Mulher, Gustavo Badan, ocorre com mais frequência em jovens e adultas, de 20 a 40 anos, e acomete cerca de 10% das mulheres ao longo de suas vidas.

“Os fibroadenomas são nódulos benignos da mama, resultado de alterações no desenvolvimento do lóbulo mamário”, explica o especialista. Em geral atingem o tamanho de 2 a 3 centímetros e, em alguns casos, a mulher pode apresentar mais de um nódulo nas mamas.

O diagnóstico para o fibroadenoma é dado através de exames de imagem, como ultrassonografia e mamografia, neste caso se for indicado. Porém só pode ser confirmado com exames de biopsia, em que se recolhe uma parte do nódulo para análise laboratorial.

“Não se sabe ao certo o motivo que induz ao surgimento deste tumor, porém suspeita-se que ele seja influenciado pelos hormônios femininos, pois tende a aumentar de tamanho na gravidez e diminuir após a menopausa”, explica o mastologista.

Ao receberem o diagnóstico de um nódulo na mama, muitas mulheres podem ficar ansiosas e aflitas por medo do caroço indicar algum câncer de mama. Porém o especialista explica que a chance do fibroadenoma evoluir para a doença é quase nula.

“Trata-se de uma lesão que não eleva o risco de câncer de mama, mas excepcionalmente, em menos de 0,1% dos casos, pode ocorrer uma transformação maligna dentro dele, já que ele possui o tecido epitelial, que é a mesma estrutura da mama onde a maior parte dos tumores malignos se proliferam.”

O especialista explica que o nódulo pode ser palpável, especialmente se ele estiver em uma região superficial da mama e se tiver tamanho maior que 1 centímetro. Sua consistência é firme e ele aparenta ser móvel, além disso, o caroço é indolor.

O tratamento para o tumor costuma ser conservador, ou seja, sem grandes intervenções, apenas com acompanhamento. Mas cada caso deve ser avaliado pelo médico especialista. “Se nos exames de imagem os nódulos descobertos não trouxerem nenhuma suspeita, eles podem apenas ser acompanhados, sem a necessidade de realização de biópsias. A cirurgia para retirada do tumor só é indicada para nódulos maiores de 2 centímetros ou no caso da paciente não conseguir conviver com isso”, explica.

No geral este tumor não representa grandes prejuízos para a saúde da mulher, porém qualquer alteração percebida no seu corpo precisa ser examinada por um médico especialista.

Para você