8 exercícios simples e eficazes para a memória que todo mundo deveria fazer

Coloque o cérebro para funcionar com atividades que podem ser feitas no dia a dia e amplie sua capacidade de memorização

Escrito por Nicole Dias
Foto: Getty Images

Foto: Getty Images

Esquecer onde estão as chaves, não lembrar o horário no dentista ou de um aniversário importante: você sente que cada vez está mais esquecida? Saiba que não está sozinha. Conforme estudos, mulheres tendem a ter uma memória melhor que os homens. No entanto, nos tornamos mais deslembradas com o tempo – e não se sabe ao certo o motivo.

Conforme Martin Portner, Neurologista e Mestre em Neurociência pela Universidade de Oxford, as células do hipocampo, onde se localizam as pastas da memória humana, diminuem com o avançar dos anos. O estresse é outro fator que pode contribuir para esses lapsos de memória: “O excesso de cortisol circulante, um hormônio produzido no estresse crônico, acentua de forma drástica essa redução das células”, comenta.

Porém, não há motivos para o desespero. “A memória exige acima de tudo uma vida boa – que consiste em uma adequada reunião entre comer bem, fazer algum exercício, retornar constantemente ao presente e dormir muitas horas”, afirma Martin Portner. Além disso, através da mudança de alguns hábitos é possível ampliar a capacidade cerebral. Sair do piloto automático é um dos primeiros passos para manter os neurônios ativos.

8 práticas fáceis para fortalecer a memória

Foto: Getty Images

Foto: Reprodução / Giphy

Vanessa Müller conta que tanto exercícios físicos quanto mentais são fundamentais para estimular a criação de novos neurônios e induzir neuroplasticidade. A neurologista indica pequenas atividades que podem ser realizados no dia a dia. São formas de potencializar a capacitação mental, estimular as habilidades cognitivas, melhorar a retenção provisória de informações na mente e colocar o cérebro para praticar a “neuróbica” – sim, ele também precisa de exercícios.

1. Jogo das fotos: peça a alguém para colocar 10 fotos de pessoas desconhecidas com nome e sobrenome. Tente memorizar seus nomes na íntegra.

Leia também: 10 alimentos que podem minar sua inteligência

2. Cálculos: pegue o livro de matemática de seu filho, faça aquelas contas matemáticas – das mais simples as mais complexas de cabeça. Não vale roubar usando a calculadora, hein?

3. Ordem alfabética: pegue palavras aleatórias em uma revista e jornal e coloque-as em ordem alfabética.

4. Decorando trechos de revistas: leia um parágrafo de uma revista por 2 minutos. Tente decorar e falar em voz alta exatamente o que você leu. Conseguiu? Não? Tente até conseguir!

5. Soletrando: soletre 20 palavras de trás para frente. Esse exercício ajuda a melhorar a concentração e você pode ir evoluindo de forma gradual: se ficar muito fácil, passe para 30 o número de palavras soletradas.

6. Caça ao tesouro: pegue dois mapas (imprima do Google Maps, por exemplo). Tente localizar e decorar 20 nomes de ruas do primeiro mapa. Depois disso, marque com um X cada lugar no outro mapa.

Leia também: 10 atitudes essenciais para uma vida melhor

7. Ponto fixo: coloque na sua frente um objeto de aproximadamente 5 centímetros de diâmetro. Vale colocar em cima da mesa, prender na parede ou usar algo que já esteja lá, como um relógio. Foque sua atenção somente nesse objeto durante 3 minutos. A concentração é importante para a memorização.

8. Meditação: habitue-se a fazer uma mini-meditação de 20 minutos, com respirações lentas. Aprenda a fazer exercícios de presentação (mindfulness, o ato de estar no presente).

Hábitos saudáveis para a mente

Pessoas que fazem algum tipo de exercício possuem memória melhor do que os sedentários. 20 minutos diários de atividade já contribuem.

A chamada Dieta Mediterrânea é, de acordo com Portner, feita sob medida para a memória. Proteína (carnes, aves, peixes), saladas verdes, legumes (cenoura, brócolis, couve-flor, rabanete), batata doce, chá verde, azeite de oliva, chocolate 70% cacau e vinho tinto (os últimos dois em níveis moderados) são alguns dos melhores alimentos.

De acordo com Vanessa Müller, neurologista e diretora médica da VTM Neurodiagnóstico, o café – que muitas vezes é considerado vilão – pode ser benéfico para combater o esquecimento. “Atualmente o que se sabe é que quando ingerido até 200ml de cafeína por dia, aumenta a capacidade de atenção, concentração e memória”, afirma.

Leia também: 10 coisas que podem influenciar a sua memória e você não sabia

Ler pelo menos dois livros por ano e comentar o conteúdo com alguém é garantia de turbinar os neurônios memoráveis do hipocampo. “Leia. Bastante. Depois, procure alguém para fazer uma sinopse ao vivo. Fale sobre tudo que se lembrar, mas esconda o grand finale”, ensina Portner.

Vale lembrar que você acaba exercitando a sua memória a partir de pequenas atitudes no dia a dia. “O simples fato de mudar a rotina, andar por uma rua não habitual, carregar a bolsa do lado contrário ao de costume, sentar em uma posição diferente na sala de jantar, em suma, realizar atividades diferentes, você já está praticando neuróbica”, afirma Vanessa Müller.

Para você