Dicas de Mulher Dicas de Saúde

Exercício ou alimentação: o que é mais importante para perder peso?

Profissionais explicam se é possível emagrecer optando por só um dos dois fatores e indicam o melhor caminho

em 06/03/2015

Foto: Thinkstock

Foto: Thinkstock

Atualmente, muitas pessoas estão buscando emagrecer, não só por uma questão estética, mas principalmente por reconhecerem os riscos que o sobrepeso e a obesidade oferecem à saúde.

Já é do conhecimento de todos também que não existe uma “fórmula mágica” para se emagrecer sem o mínimo de dedicação, sem que certos hábitos (como comer constantemente fast food; ficar horas e horas sentado ou deitado em frente à televisão etc.) sejam mudados.

Porém, é fato, também, que para muita gente associar uma alimentar equilibrada à prática de atividades físicas é uma tarefa considerada difícil. E um dos principais argumentos para não se fazer isso é a falta de tempo: para preparar uma refeição adequada ou para se exercitar, ou ainda, para ambos.

Neste sentido, pode surgir a dúvida: “o que é mais importante para emagrecer? Comer saudavelmente ou se exercitar?”.

Encontrar a resposta para esta pergunta parece ser o caminho ideal para as pessoas que estão com dificuldades em unir esses dois fatores para perder alguns quilinhos.

Como ocorre a redução de peso?

Para entender a importância da alimentação balanceada e da prática de exercícios físicos num processo de emagrecimento, é fundamental entender como ocorre a redução de peso. Uma pessoa perde peso quando consegue realizar um “Balanço Energético Negativo”, ou seja, ingerir menos calorias e/ou aumentar o gasto energético em atividades do dia a dia e na prática de algum exercício físico.

Mas será que é possível conseguir emagrecer, então, optando por só uma das duas: alimentação balanceada ou prática de exercício físico?

Benefícios do exercício para perda de peso

Foto: Thinkstock

Foto: Thinkstock

Felipe R. Zumpichiatti, preparador físico da Academia Balance Fitness, Copacabana (Rio de Janeiro), destaca que o exercício físico contribui diretamente no aumento do gasto calórico do indivíduo, além de ser importante para alterações positivas no organismo.

De acordo com o profissional, as atividades mais indicadas para quem quer perder peso são as atividades aeróbicas. “Corridas, caminhadas, ciclismo e elípticos. Estudos recentes mostram que a musculação também é muito importante, pois acarreta em um aumento do metabolismo basal, que nos ajuda a ‘queimar’ calorias mesmo quando não estamos fazendo exercícios”, destaca.

Mas, a pergunta que não quer calar: será que uma pessoa que está se exercitando, mas não está cuidando da alimentação, consegue emagrecer?

Zumpichiatti destaca que a pessoa pode até perder peso, mas isso é algo muito difícil. “Pois a tendência do organismo é de suprir o aumento do gasto calórico com maior ingestão calórica e isso tem que ser reeducado. Claro que existem casos diferentes, porém, na maioria deles, para bons resultados, existe a preocupação com a alimentação”, explica.

Daniela de Almeida, nutricionista funcional e esportiva, criadora da Delivita Congelados, ressalta que, para haver perda de peso, é preciso gerar um déficit calórico. “Mas na maioria das vezes as pessoas consomem mais calorias através da dieta do que gastam com a atividade física e acabam engordando se não tiverem um cuidado especial com a alimentação”, explica.

Benefícios da alimentação saudável para a perda de peso

Foto: Thinkstock

Foto: Thinkstock

Daniela destaca que hábitos alimentares saudáveis são fundamentais não só para a perda de peso, mas também para a manutenção do peso, evitando o “efeito sanfona” – muito comum em dietas restritivas que prometem uma grande perda de peso num curto espaço de tempo, onde o indivíduo não faz uma reeducação alimentar.

De acordo com a nutricionista, no cardápio de quem quer emagrecer não deve faltar alimentos que promovem saciedade precoce, como os carboidratos complexos (cereais integrais) e alimentos prebióticos, como alcachofra, aspargos e chicória (que auxiliam na produção de bactérias do bem) e ricos em fibras solúveis (aveia, quinua, chia, linhaça). “A utilização de frutas e vegetais, assim como proteínas magras e gorduras saudáveis, provenientes do azeite, castanhas e abacate, também é indicada para uma perda de peso de forma saudável”, diz.

Hábitos alimentares saudáveis são fundamentais não só para a perda de peso, mas também para a manutenção do peso, evitando o ‘efeito sanfona’.

Daniela explica que uma das causas do ganho de peso é a inflamação no organismo. “O excesso de gordura saturada na alimentação acarreta no aumento do volume das células adiposas que, com a evolução, não conseguem mais estocar os triglicerídeos e liberam a gordura para o fígado e músculo, contribuindo para a redução da sensibilidade à insulina, provocando a obesidade e até o diabetes. Neste caso, utilizamos alimentos que modulam a inflamação, como frutas, verduras, o chá verde, a linhaça, a castanha do Brasil e a cúrcuma, evitando-se aqueles que a causam, como carboidratos refinados e gorduras saturadas”, diz.

Outro problema que dificulta a perda de peso, segundo a nutricionista, é a composição da microbiota intestinal. “Precisamos ter um equilíbrio entre bactérias benéficas e patogênicas para que o intestino execute bem as tarefas de absorção e eliminação e para que suas barreiras estejam íntegras, a fim de evitar inflamação no organismo”, explica.

Mas a pergunta é: só seguir uma alimentação saudável (sem se exercitar) é o suficiente para uma pessoa perder peso?

Daniela destaca que não. “Uma pessoa sedentária pode até perder peso, mas não necessariamente gordura corporal, e, sim, massa muscular. É fundamental a avaliação da composição corporal através do exame de bioimpedância de 8 eletrodos, de alta precisão, para a elaboração de um plano alimentar cujo foco seja a perda de gordura corporal”, explica.

A fórmula ideal: alimentação balanceada e exercícios para perder peso de forma saudável

Foto: Thinkstock

Foto: Thinkstock

Não há saída: o único caminho para se perder peso de forma adequada (e se manter no novo peso, evitando o “efeito sanfona”) é unir uma alimentação balanceada com a prática de exercício físico.

Podem até existir exceções, mas, de forma geral, é praticamente impossível perder peso de forma saudável e eficiente só praticando exercícios (sem controlar a alimentação), bem como é muito difícil conseguir resultados realmente satisfatórios somente controlando a alimentação (sem praticar exercícios).

“A alimentação e a prática de exercícios sempre estão relacionadas, não adianta o indivíduo começar a fazer atividade física e não seguir uma reeducação alimentar. Os resultados não vão ser satisfatórios, e naturalmente com o tempo a motivação diminui. É sempre importante relacionar os dois para ter sucesso”, ressalta o preparador físico Felipe Zumpichiatti.

Daniela destaca que a prática da atividade física juntamente com uma dieta personalizada – elaborada por um nutricionista, destinada à perda de gordura e manutenção ou ganho de massa muscular – gera resultados importantes na melhora da composição corporal, evitando o aparecimento da flacidez e de doenças crônicas. “E, ainda, dá muito mais disposição para as tarefas diárias”, acrescenta a nutricionista.

Então, se você deseja emagrecer, já sabe por onde começar: procure a orientação de um nutricionista e também de um educador físico para alcançar os melhores resultados. Mantenha-se focado nos seus objetivos e não tenha pressa de “chegar lá”, só não se permita desanimar!

Comentários
Dicas relacionadas