Entenda o que é vaginismo

As causas do vaginismo e a dificuldade em manter relações sexuais não estão na vagina, mas no emocional da mulher

Escrito por Deborah Busko
Foto: Thinkstock

Foto: Thinkstock

Vaginismo é definido como um espasmo involuntário dos músculos que cercam a entrada da vagina. Ou seja, uma contração involuntária da musculatura externa da vagina que geralmente ocorre na tentativa da penetração do pênis, mas também pode acontecer na tentativa de introdução de objetos eróticos, absorventes internos ou até mesmo durante um exame ginecológico.

Vaginismo é doença?

É preciso deixar claro que o vaginismo não é doença e também não tem nada a ver com frigidez. Trata-se de uma condição psicológica que se manifesta através de uma reação física. Também não deve ser confundido com dispareunia, que causa dor na entrada da vagina ou no fundo dela quando o pênis é introduzido no canal mas, no entanto, não impede a penetração.

Como surge?

As causas do vaginismo não estão na vagina e sim no emocional da mulher. O medo da relação sexual, da intimidade, baixa autoestima, e a falta de confiança são fatores que levam a mulher vagínica a contrair não só a vagina, mas o períneo, as nádegas, os músculos da coxa e do abdome.

Essa dificuldade pode se manifestar desde a primeira tentativa, (vaginismo primário), como pode aparecer em mulheres que já tiveram relações sexuais normalmente e devido a algum trauma, passaram a não conseguir mais (vaginismo secundário).

Geralmente, o problema está ligado a algumas fantasias da mulher, como o medo de que a vagina não tenha espaço suficiente para receber o pênis durante o sexo, de sentir dor ou ser machucada.

As mulheres que têm vaginismo são normais e sentem excitação, têm lubrificação vaginal e conseguem até mesmo atingir o orgasmo como qualquer outra mulher quando são estimuladas pelo parceiro, desde que não haja a tentativa de penetração. O corpo deseja o sexo, mas a mente faz um “bloqueio”.

Vaginismo tem solução?

Muitas mulheres acabam deixando sua vida sexual de lado por vergonha de procurar ajuda. O vaginismo é uma disfunção relativamente fácil de ser solucionada. O primeiro passo para tratar o vaginismo é procurar o ginecologista e relatar o problema. Dessa forma, ele poderá encaminhar a paciente para um especialista em sexualidade.

Não existem medicamentos solucionar este problema. O tratamento do vaginismo geralmente é feito com psicoterapia. As sessões com o psicólogo vão ajudar a paciente a compreender a ligação de seus problemas emocionais e o vaginismo.

Além da terapia, também são recomendados exercícios específicos de contração e relaxamento da vagina para que a penetração ocorra aos poucos. Através dos exercícios, a mulher vai conhecendo melhor seu corpo, penetrando primeiro os dedos, depois objetos eróticos, até conseguir ter relações normalmente com o seu parceiro. O mais importante é que ela procure a ajuda adequada que a possibilite ter uma vida sexual tranquila e saudável.

Dicas pela Web