Entenda a doença de Alzheimer

Saiba mais sobre os sintomas e o tratamento da doença que é a maior causa da perda de memória em idosos

Escrito por Deborah Busko

Perda de memória, agressividade e dificuldades de fala e locomoção. Estes são os principais sintomas do mal de Alzheimer, uma doença degenerativa do cérebro que, de acordo com a Associação Brasileira de Alzheimer, atinge 5 em cada 100 idosos com mais de 70 anos.

As mulheres lideram as estatísticas da doença, embora não exista comprovação científica para isso. Um dos motivos seria o fato de que elas vivem mais tempo do que os homens, por isso se tornam mais sujeitas ao Alzheimer.

A doença pode ser confundida principalmente com a depressão ou mesmo com outros tipos de demência que podem apresentar alguns sintomas similares ao do Alzheimer. Como não há um exame específico para detectar o problema, em geral seu diagnóstico é realizado por eliminação.

O mal de Alzheimer ainda não tem cura e seus sintomas, que vão se tornando cada vez mais severos, afetam não só o paciente mas todos os que o acompanham.

O que causa o Alzheimer?

Durante o processo de envelhecimento natural do organismo, substâncias conhecidas como proteínas tau e beta-amiloide vão se depositando e atrapalhando a função dos neurônios até destruí-los.

Na doença de Alzheimer, ainda não se sabe por que, essas substâncias se depositam de forma descontrolada e em uma velocidade muito maior. A doença pode inclusive ser hereditária. Se há algum caso de Alzheimer na família, as chances de você desenvolvê-lo são maiores.

Evolução da doença

Em todos os casos, a doença passa por três estágios: leve, moderado e grave. Geralmente a primeira região do cérebro afetada pela doença é o hipocampo, responsável pela memória. Por conta disso, o esquecimento frequente é um dos sintomas do Alzheimer mais evidentes.

O Alzheimer evolui progressivamente, afetando outras áreas do cérebro e à medida que a doença avança, o paciente não só tem falhas na memória como passa a apresentar períodos de inquietação, agressividade e sente dificuldade para executar tarefas simples como se vestir e comer. Em um estágio mais avançado, o paciente de Alzheimer muitas vezes tem dificuldades de fala e locomoção, não reconhece ninguém e se torna totalmente dependente.

A velocidade do desenvolvimento da doença é variável. Enquanto para alguns pacientes ela é mais rápida e leva aproximadamente dois anos para passar da fase leve à grave, para outros essa transição pode ser mais lenta e ocorrer em 10 anos.

Quando diagnosticada a doença, é preciso dar início ao tratamento do Alzheimer com medicamentos para tornar a progressão da doença mais lenta. Além dos cuidados médicos, é essencial que a pessoa também receba muito carinho e acompanhamento da família.

Como prevenir o Alzheimer?

Não há prevenção para o mal de Alzheimer, porém a melhor maneira de evitar que os sintomas cheguem até você é manter o cérebro ativo. Tenha interesse por novos assuntos, exercite o cérebro lendo livros e revistas, faça palavras-cruzadas, aprenda a jogar xadrez ou cartas. Outra dica é incluir na dieta alimentos ricos em ômega-3, como sardinha, salmão, azeite de oliva, óleo de canola, nozes, uva e brócolis.

Dicas pela Web