Disfunção do assoalho pélvico

A incontinência urinária é um dos desconfortos causados pelo enfraquecimento da musculatura do assoalho pélvico, saiba mais sobre o assunto

Escrito por Deborah Busko

Situado abaixo da região do abdômen, a partir do osso púbico na frente até a base da espinha nas costas, o assoalho pélvico é um conjunto de músculos que têm a função de auxiliar na sustentação
de alguns órgãos como a bexiga, útero e intestino, além do bebê durante a gestação.

Situações como tossir, espirrar, rir, levantar, carregar objetos pesados ou praticar esportes – principalmente musculação – sobrecarregam a musculatura do assoalho pélvico e fazem com que ela necessite se contrair vigorosamente para evitar que os órgãos saiam de suas posições normais.

Como qualquer outro músculo do corpo, a chamada MAP pode ir acumulando lesões e enfraquecer progressivamente, deixando de responder à sua função ao longo do tempo. Entre as causas da disfunção do assoalho pélvico, também estão alguns tipos de cirurgia ginecológica, que podem acabar lesionando a musculatura da região.

Quando os músculos do assoalho pélvico estão fracos ou afetados por alguma disfunção, podem causar alguns desconfortos. Entre eles, os mais comuns são incontinência urinária, diminuição no prazer sexual, sensação de frouxidão vaginal e prolapso, que é popularmente conhecido como “bexiga caída”.

Por razões anatômicas e hormonais, as disfunções do assoalho pélvico acometem mulheres em idades variadas. Entretanto, as mulheres na faixa etária próxima e durante a menopausa e as gestantes estão mais suscetíveis.

O assoalho pélvico é dependente do estrogênio, o hormônio sexual feminino. Ao entrar na menopausa, a produção desse hormônio começa a diminuir naturalmente, até zerar. Com isso, a musculatura do assoalho pélvico tende a enfraquecer.

Disfunção do assoalho pélvico e gravidez

A disfunção do assoalho pélvico é um problema comum na gravidez. Durante os nove meses, a força da musculatura do assoalho pélvico deve ser ainda maior para suportar o peso do conjunto formado pelo bebê e pela placenta.

Muitas mulheres sofrem com a incontinência urinária durante a gestação porque a bexiga fica comprimida pelo útero conforme ele vai aumentando. No entanto, o problema tende a desaparecer após a gravidez.

Exercícios para fortalecimento do assoalho pélvico

A reeducação dos músculos do assoalho pélvico pode tratar as disfunções e acabar com os incômodos. Vários recursos podem ser utilizados para isso. Entre eles, estão exercícios de fortalecimento para que os músculos do assoalho pélvico feminino voltem a funcionar bem.

Quando feitos regularmente, os exercícios para assoalho pélvico ajudam a prevenir a incontinência urinária e o prolapso. Outro benefício é que quanto mais fortalecidos os músculos do assoalho pélvico estiverem, maior será a chance de chegar ao orgasmo na hora do sexo.

Quanto à gravidez, os exercícios são importantes para ajudar a suportar o peso extra. Além disso, os músculos do assoalho pélvico fortes dão uma ajuda extra e auxiliam na recuperação do períneo (região entre a vagina e o ânus) após o nascimento do bebê por parto normal.

Dicas pela Web
Comentários