Dicas de Mulher Dicas de Saúde

Dieta macrobiótica promete curar doenças físicas e mentais

A dieta baseada na filosofia yin e yang busca o equilíbrio na alimentação, promove o bem estar e a desintoxicação do organismo

em 29/04/2015

Foto: Getty Images

Foto: Getty Images

Grande parte das pessoas busca equilíbrio na vida. Entre trabalho e vida pessoal, dever e lazer, razão e emoção. A dieta macrobiótica prega exatamente isso: o equilíbrio.

Mais do que uma dieta, ela é uma filosofia de vida. Adotar a dieta macrobiótica (macro-grande, bio-vida) é adquirir a capacidade de viver de forma grandiosa. A alimentação é o grande pilar para chegar a essa capacidade. Comer de forma simples e equilibrada, segundo a macrobiótica, é a base para a saúde e para conviver harmoniosamente com toda a natureza.

Conhecendo a macrobiótica

Foto: Getty Images

Foto: Getty Images

A macrobiótica foi fundada por George Ohsawa e é baseada na filosofia chinesa do Yin e Yang. A bipolaridade do “yin” e do “yang” prega que tudo tem energias metafísicas, inclusive alimentos e que a harmonia é atingida alcançando o equilíbrio entre essas energias. Assim, a dieta relaciona alimentos e suas propriedades, servindo para alcançar a saúde física e mental.

Embora nada seja extremamente proibido na dieta, é recomendável abandonar leite e derivados, consumir pouca proteína animal (somente de 2 a 3 vezes por semana) e não consumir produtos processados, transgênicos ou com agrotóxicos.

Essas restrições da macrobiótica prometem uma profunda desintoxicação do organismo, já que a dieta promove o equilíbrio e retira possibilidades de excessos alimentícios.

Como equilibrar o consumo de alimentos yin e yang

Segundo a Nutricionista e professora da UNIME, Margaret Ribeiro Mendes, os alimentos yin e yang representam os opostos: “o yin é doce, o frio e o passivo; o yang, o salgado, o quente e o agressivo. Por isso, a dieta busca principalmente equilibrar o yin e o yang.”.

A macrobiótica prega o consumo equilibrado dos alimentos. Segundo a dieta, a alimentação influencia diretamente na personalidade das pessoas. Assim, consumir mais alimentos de um grupo do que outro pode gerar desequilíbrio. Quem consome mais alimentos do grupo yin tende a tornar-se uma pessoa depressiva, dependente e com comportamento relaxado. Já quem tem alimentação extremamente yang pode desenvolver personalidade agressiva, dominadora e impaciente.

Na macrobiótica os alimentos são divididos em 5 grupos: yin, intermediário yin, yang, intermediário yang e equilibrados (ou neutros). Os alimentos neutros devem ser os mais consumidos, seguidos pelos intermediários yin e yang. Já os exclusivamente yin e yang devem ser consumidos em quantidades mínimas.

Confira abaixo em quais grupos alguns alimentos estão:

Imagem: Dicas de Mulher

Imagem: Dicas de Mulher

6 passos iniciais para adotar a dieta macrobiótica

Ao adotar uma nova dieta, é preciso fazer a transição aos poucos, incluindo e excluindo alimentos calmamente. Na macrobiótica, nenhum alimento é proibido, mas alguns deles devem ser consumidos em quantidades mínimas. Já outros devem estar em todas as refeições. Veja a seguir 6 dicas para começar a adotar a dieta macrobiótica:

  1. Os cereais integrais são a base dessa dieta e devem compor de 40 a 60% das calorias diárias. Inclua-os em todas as refeições;
  2. Na macrobiótica a digestão começa na boca, portanto mastigue muito bem os alimentos;
  3. Diminua gradativamente o consumo de alimentos processados;
  4. Opte sempre por alimentos orgânicos. Transgênicos e agrotóxicos não são bem vindos;
  5. Dê preferência a frutas e verduras da estação. A natureza é sábia e gera alimentos específicos para serem comidos em determinadas regiões e climas;
  6. A maneira como você cozinha é importante na macrobiótica. A chama do fogão é responsável por passar boas energias aos alimentos. Evite micro-ondas ou fogões elétricos.

10 receitas da macrobiótica para fazer em casa

Foto: Getty Images

Foto: Getty Images

Confira algumas receitas da especialista em culinária natural e apresentadora Bela Gil. Bela também é graduada em ciência dos alimentos, além de ser uma conhecida adepta da dieta macrobiótica. Confira:

1. Arroz integral na panela de pressão: Uma receita que busca praticidade no preparo do arroz integral, que costuma demorar um pouco mais que o comum para cozinhar. Ótima para agilizar o preparo das refeições no dia-a-dia.

2. Gersal: O gersal é um tempero que leva apenas dois ingredientes: sal e gergelim. É uma ótima alternativa para diminuir o uso do sal e adicionar mais fibras às refeições. Pode ser usado para temperar qualquer prato salgado.

3. Nabo recheado com caruru: Essa receita pode ser servida como prato de entrada e tem uma aparência muito bonita depois de pronta, parecida com canapés.

4. Feijão azuki com abóbora: Uma mistura inusitada de feijão com abóbora que vale a pena ser experimentada. O sabor especial fica por conta da salsinha.

5. Sardinha na pressão com ervas: Versão da dieta macrobiótica para o tradicional escabeche. Tem um leve toque picante devido à presença da pimenta dedo de moça, que pode ser opcional.

6. Salada de funcho com maionese de coentro: Uma opção de salada bem diversificada e com sabor único da maionese de coentro com tofu.

7. Abobrinha recheada com freekeh: Se o grão freekeh não for encontrado pode ser facilmente substituído por quinoa, cevadinha ou painço integral. É uma receita muito rica em fibras.

8. Caipesakê de seriguela: O álcool não é uma bebida muito indicada para ser consumida na dieta macrobiótica, mas algumas ocasiões especiais pedem exceções. Uma ótima maneira de consumir álcool sem culpa é essa caipirinha de sakê nada convencional que leva seriguela como principal ingrediente.

9. Torradinha de aipim ou inhame com ragu de cogumelos: Essas torradinhas são uma ótima opção de lanche ou para serem servidas como entrada. Podem ser montadas como canapés e ficam lindas.

10. Torta gelada de frutas vermelhas: Ótima opção de sobremesa sem conservantes e sem culpa. As frutas vermelhas podem ser substituídas por outras de sua preferência sem problemas.

Quem pode adotar a macrobiótica e as restrições

Basicamente, pessoas saudáveis dispostas a mudarem os hábitos alimentares podem adotar a dieta. Porém, além de tudo, é preciso ter disciplina e começar aos poucos para o corpo lentamente se adaptar à nova rotina.

Quanto às restrições, por ser uma dieta que não leva em consideração a pirâmide alimentar indicada para cada faixa etária, Margareth orienta “não deve ser indicada para qualquer pessoa, principalmente indivíduos que apresentem patologias.” Portanto, é de suma importância consultar ajuda profissional antes de fazer qualquer mudança nos hábitos alimentares.

Vantagens e desvantagens da dieta macrobiótica

Foto: Getty Images

Foto: Getty Images

Antes de incorporar uma nova dieta é comum surgirem algumas dúvidas. Fazer uma balança com os prós e os contras é uma boa maneira de sanar dúvidas e decidir se a nova dieta é uma boa escolha para você. Confira abaixo as vantagens e desvantagens da macrobiótica:

Vantagens

Como a base da dieta são os cereais integrais, o consumo de fibras é muito alto, ajudando no bom funcionamento do intestino. A dieta também propõe o consumo de muitas frutas e verduras, que contribuem para diversas áreas da saúde. A dieta, se praticada corretamente, também promete curar várias doenças apenas com a alimentação. Os alimentos ingeridos e o corte de alimentos processados desintoxica o organismo, acelera o metabolismo e promove bem estar.

Desvantagens

A dieta não é indicada para quem quer perder peso rapidamente, já que o consumo de carboidrato é bem elevado. Outro ponto negativo é que ela pode ser complexa e difícil de cumprir para algumas pessoas, já que exige extrema dedicação e total mudança nos hábitos alimentares. Outro ponto fraco é o baixo ou nenhum consumo de proteínas animais, que se não substituídas corretamente pelas leguminosas, pode causar déficit das vitaminas D e B12, principalmente em quem faz muitos exercícios físicos.

A mudança pode começar em você

Foto: Getty Images

Foto: Getty Images

Essas dicas servem como um guia inicial para quem decidir adotar a macrobiótica. Lembrando que a dieta não deve ser iniciada imediatamente, mas sim pela substituição dos alimentos gradativamente. Consultar um profissional da saúde, no caso, um nutricionista, antes de iniciar qualquer dieta também é primordial para saber como adotar essas mudanças alimentares de forma saudável.

A dieta macrobiótica pode parecer difícil no começo, mas se esse for o desejo, a força de vontade trará a disciplina necessária. Que tal começar a repensar seus hábitos alimentares ainda hoje?

Comentários
Dicas relacionadas