Dieta Cetogênica: elimine carboidratos e quilos

A eliminação dos carboidratos da alimentação associada à prática de exercícios físicos pode ajudar na perda de peso e manutenção da massa magra

Escrito por Thalita Vitoreli

Foto: Thinkstock

Ao longo do dia exercemos várias atividades. Nos dividimos entre trabalho, faculdade, exercícios físicos, cuidados com a casa, com o casamento e os filhos. Essas atividades já fazem parte do dia a dia da mulher moderna e para conseguir dar conta de tantas coisas a fazer é preciso muita energia! Você sabe de onde vem a energia que utilizamos para realizar nossas atividades diárias?

Cetose: você sabe o que é isso?

Nossas fontes primárias de energia são encontradas nos carboidratos. É dos pães, cereais, arroz e massas presentes em nossa alimentação que o metabolismo tira o combustível necessário para se manter e realizar as atividades cotidianas.

Porém, em uma alimentação onde o carboidrato não está presente o corpo busca outras reservas energéticas, e a gordura (ácido graxo) passa a ser a fonte principal. A educadora física Cristiane Lima Dias, explica que cetose é um estágio do catabolismo (quebra de substâncias como proteínas por exemplo) que ocorre quando o pâncreas converte proteínas em ácidos graxos, e a gordura é usada para gerar energia para o corpo.

Cetose é, portanto, um estado em que o corpo, na ausência de carboidratos na alimentação durante pelo menos 3 dias, utiliza os depósitos de gordura corporais e também a gordura ingerida através da alimentação como combustíveis para o corpo transformando-as em cetonas ou corpos cetônicos. Ou seja, estar em Cetose é utilizar a gordura corporal como energia.

Glicose versus Cetonas

A glicose é um monossacarídeo (açúcar simples) usado pelo organismo para produção de energia metabolizada para as células. A insulina tem a função de transformar glicose em energia.

Assim como a glicose, as cetonas também são uma fonte do combustível e energia para o corpo humano. Quando a glicose/açúcar não são encontrados no organismo as cetonas passam a ser produzidas pelo fígado a partir de ácidos gordos, e resultam na decomposição da gordura corporal – e emagrecimento.

Dieta Cetogênica – Cetose induzida

A maioria das pessoas acredita que perder peso é suficiente para entrar em forma. Em dietas tradicionais onde se costuma comer menos do que se gasta a tendência é perder peso e também massa magra/ músculo. O resultado pode ser um corpo mais magro, porém mais fraco. O que dizer de uma dieta que faz perder apenas gordura enquanto protege a massa magra? Ela existe!

“A cetose pode ajudar na perda de peso porque é ocasionada pela ausência de carboidratos, o corpo então precisa utilizar a gordura como fonte primária de energia. Uma das dietas mais recentes e que promete uma perda de peso rápido atualmente está baseada neste princípio”, explica Cristiane. Partindo do princípio de que a não ingestão de carboidratos resultaria na utilização das reservas de gordura do corpo e no consequente emagrecimento surgiu a dieta cetogênica*.

A dieta cetogênica ou conhecida atualmente como dieta das proteínas foi popularizada pelo cardiologista Dr. Robert Atkins nos anos 20. O objetivo da dieta seria o de reduzir os estoques de gordura do corpo induzindo o processo de cetose através da baixa ou nenhuma ingestão de carboidratos.

Estar em cetose significa que a fonte primária do seu corpo de energia é a gordura. Quando você consome a proteína adequada, não há nenhuma necessidade do corpo quebrar o seu próprio tecido muscular. A Cetose tende a acelerar a perda de gordura quando o fígado converte gordura em cetonas, que não podem ser convertidos de volta à gordura, e por isso é eliminada sobre a forma de corpos cetônicos.

Na dieta cetogênica os carboidratos são proibidos. A dieta tem ganhado popularidade devido à um cardápio com opções atrativas: proteína, gordura e fibra podem ser consumidos:

  • Picanha
  • Salmão
  • Bacon
  • Queijos brancos
  • Ovos
  • Creme de leite
  • Patês
  • Presunto
  • Peito de peru defumado
  • Mortadela
  • Legumes
  • Azeite
  • Castanhas
  • Frango
  • Peixe
  • Todos os tipos de carne, incluindo gordurosas como cupim e maminha.

Mas atenção, não é milagre: “não há benefícios quando não se tem um programa balanceado em alimentação e atividade física”, afirma Cristiane. Caso não haja um balanço ou educação alimentar associado normalmente a estas dietas, a probabilidade de ganhar peso depois é muito grande. Abaixo confira uma lista dos prós e contras da dieta.

Prós:

  • Eliminação dos carboidratos refinados, que são aqueles vindos de alimentos preparados com açúcar e farinha de trigo refinada. Isso significa: pão, macarrão, salgadinhos, doces, bolo, sorvete, refrigerante, etc;
  • Manutenção da massa magra;
  • Menor apetite, menor desejo por doces, maior eliminação de sódio e menor retenção de líquidos, melhora dos sintomas pré-menstruais, redução acentuada do colesterol total e LDL, controle da resistência insulínica e maior eficiência da ação da insulina.

Contras:

  • Como efeito colateral, a cetose pode causar náuseas, fadiga, enjôo e dores de cabeça, constipação;
  • O acúmulo de cetonas ou corpos cetônicos no seu corpo dá a respiração um odor desagradável, fazendo a pessoa inteira cheirar como acetona;
  • Dietas ricas em proteínas apresentam riscos à saúde pois podem produzir perda de peso em curto prazo através de desidratação. Grandes quantidades de água serão perdidas levando a pessoa a crer que está ocorrendo uma redução significativa de peso.

Curiosidades

Cetose e Álcool: O consumo de álcool não compromete a cetose e mesmo ao ingerir bebidas alcoólicas o fígado continua a produzir cetonas normalmente. O problema é que álcool se converte mais facilmente em cetonas do que os ácidos graxos e por isso o fígado vai usar primeiro todo o álcool, depois a gordura. Ou seja: quanto mais álcool for consumido, menos gordura será perdida. Outro detalhe: em cetose é muito mais fácil ficar embriagado.

Diabetes e Cetose: A diferença entre Cetose e Cetoacidose: A palavra cetose é comumente confundida com a cetoacidose. A cetoacidose acontece quando o pH do sangue se torna ácido devido a um nível elevado de açúcar no sangue: “a cetoacidose diabética pode ocorrer no diabetes tipo 1 e 2, causada por uma “acidez” no sangue, que fica com ph mais baixo que normal por causa do acúmulo de corpos cetônicos – resultado de falta de insulina, porque o corpo não tem glicose para usar como fonte de energia”, explica Cristiane. O açúcar sobe e as cetonas continuam sendo produzidas pelo corpo para fornecer o combustível necessário, uma vez que as células não podem usar o açúcar. É o açúcar elevado no sangue, e a condição ácida proporcionada por essa hiperglicemia que propiciam uma condição perigosa para diabéticos.

Cetose e Dengue: Quando não controlada a dengue pode produzir cetose. Nessa situação os corpos cetônicos são considerados perigosos. Exames devem ser feitos para detectar o problema.

Atenção! Antes de optar por uma dieta cetogênica, é aconselhável a busca de orientação e acompanhamento de um médico, nutricionista ou educador físico. *A dieta é conhecida por nomes variados: cetóica, cetônica, cetogênica, dieta das proteínas.

Dicas pela Web