Descubra porque é importante se preparar para a cirurgia bariátrica

O apoio da equipe multidisciplinar é essencial nesse processo

Escrito por Luciana Kotaka

Foto: Thinkstock

A obesidade é um tema que vem sendo cansativamente discutido nos últimos anos. No Brasil, a obesidade já é reconhecida como doença, e no mês de março deste ano o governo brasileiro lançou as diretrizes para a organização da prevenção e do tratamento do sobrepeso e da obesidade, por meio da portaria 424, do Ministério da Saúde, que entre outras questões, trouxe mudanças no acesso à cirurgia bariátrica pelo Sistema Único de Saúde.

Com esse avanço em relação à cirurgia, devemos ficar atentos também às condições do público a ser atendido, pois é uma cirurgia que depende muito de mudanças efetivas de comportamento, e os candidatos precisam estar conscientes da seriedade dessa decisão.

É fundamental que o paciente esteja apto intelectualmente para que entenda o processo pelo qual será submetido, pois muitas pessoas não conseguem ter clareza suficiente da dimensão da mudança que terá que enfrentar para o êxito do pós-cirúrgico.

Desta forma será submetido a uma série de avaliações médicas com o intuito de prepará-lo, pois o conjunto de ações tomadas vai contribuir para o sucesso da cirurgia.

Mudanças em relação a sua alimentação devem acontecer antes da cirurgia, assim como o hábito de praticar atividade física.

O emocional é uns dos pilares fundamentais nesse processo, pois será exigido do paciente muita disciplina e organização nos horários e quantidade de comida a serem consumidas. Como o desejo de comer não se altera com a cirurgia, o paciente precisa mudar sua forma de se relacionar com a comida, comendo para sua fome e não por gula, por desejo de comer.

Após a liberação de todos profissionais de saúde para a realização da cirurgia de redução do estômago começa outra fase, onde precisará ter muito equilíbrio e tranquilidade para dar conta de colocar em prática todas as mudanças que incorporou durante o processo pré-operatório.

Agora, já em casa, o comer em pequeninas quantidades, seguindo o tipo de alimentos e os horários prescritos, começa a fase mais importante que é tornar esse procedimento um sucesso, que vai depender somente do paciente.

Muitas pessoas após a cirurgia desaparecem do consultório, negligenciando essa etapa tão importante, na qual serão realizados exames médicos que poderão avaliar se estão seguindo a alimentação prescrita. Nessa fase todo cuidado é pouco.

É importante deixar claro que quando alcançam o peso pretendido precisam continuar os cuidados e comportamentos adequados, pois o reganho de peso pode acontecer. Não podem se iludir em achar que a cirurgia em si vai mudar a forma de se relacionar com a comida, o paciente precisa continuar a comer em porções menores, escolhendo alimentos saudáveis, além de praticarem atividade física com frequência.

A psicologia vai além da preparação pré-cirúrgica, pois é comum o paciente cometer abusos e ocorrer o reganho de peso, sendo necessário identificar junto com o terapeuta o significado do abuso alimentar, podendo assim, resolver algumas situações de forma mais efetiva, colocando cada necessidade no lugar adequado, e a comida podendo ocupar somente o seu papel de nutrição.

Assuntos: Bem-Estar, Emagrecer

Dicas pela Web