Cuide da saúde dos seus rins

As doenças renais costumam ser silenciosas e só apresentam sintomas quando estão em estágio avançado, mas com alguns cuidados diários, é possível evitá-las

Escrito por Daniela Azevedo

Foto: Thinkstock

O bom funcionamento dos rins é essencial para a saúde e para o funcionamento do organismo como um todo, mas muitas vezes os cuidados com esss órgãos acabam sendo negligenciados.

Algumas doenças não apresentam sintomas aparentes em um primeiro momento e o diagnóstico só é feito quando já estão em estado avançado, o que complica o tratamento e compromete a cura. É o caso das Doenças Renais Crônicas, também conhecidas como DRC, termo que se refere às doenças que acometem os rins por um período superior a 3 meses.

No organismo, os rins são vitais e têm a função de filtrar o sangue, controlar os níveis de água e sal do corpo elimando as toxinas e quaisquer substâncias tóxicas e resíduos do organismo através da urina, além de ajudar a controlar a hipertensão arterial, os sais minerais, os hormônios, os nutrientes e estimular a produção de glóbulos vermelhos.

Com graus de gravidade diferentes, as principais doenças renais são a nefrite, a infecção urinária, o cálculo renal, a obstrução urinária, a insuficiência renal aguda e a crônica, os tumores renais, as doenças multissistêmicas, congênitas e hereditárias e as nefropatias tóxicas. Fatores como histórico de doenças renais, hipertensão e a diabetes, tanto da própria pessoa como de alguém de família, são considerados de risco e podem aumentar as chances de desenvolver uma doença renal.

Quem faz parte desse grupo, deve redobrar os cuidados para controlar a pressão, a glicemia, observar alterações típicas das doenças renais como o aumento nos níveis de cálcio e fósforo e, principalmente fazer um acompanhamento com um médico nefrologista. Através de exames laboratoriais realizados periodicamente, é possível observar a regularidade do funcionamento dos rins e fazer um diagnóstico precoce, caso surjam problemas.

Sintomas como inchaços nas pernas, no rosto, cólica renal, infecção urinária, urina escura, com espuma ou sangue, podem estar relacionadas aos problemas renais e devem ser analisados.

Se os exames clínicos certificarem de que os rins não estão funcionando corretamente e já não conseguem filtrar a sujeira do organismo, as alternativas são o transplante e a hemodiálise.

Para realizar um transplante, é necessário encontrar um doador compatível, o que nem sempre é fácil e obriga a maioria dos pacientes a se submeterem a hemodiálise, um processo no qual uma máquina realiza o processo de filtragem.

Entretanto, algumas medidas simples podem ajudar a preservar a saúde dos seus rins por um longo período.

Beba água

A ingestão de pelo menos 2 litros de água por dia ajuda a filtrar e purificar os rins, além de colaborar no processo de eliminação do sal. Quem bebe pouca água, sobrecarrega os rins afetando esse processo de filtração.

Controle o peso

O sobrepeso também faz com que os rins, assim como todos os órgãos do corpo fiquem sobrecarregados, além de poder desencadear a hipertensão e o diabetes, que danificam os rins.

Alimente-se bem

Uma boa alimentação, pobre em gorduras e rica em vitaminas e fibras colabora com a preservação das funções renais, sobretudo o consumo de alimentos ricos em vitamina K, presente no limão, no brócolis, no boldo, no espinafre, na couve-flor e nas folhas verde-escuras, que ajudam a prevenir o surgimento de pedras nos rins e cálculos renais.

Não abuse do álcool

Em pequenas proporções, o álcool pode ter função duirética ajudando o trabalho dos rins, mas em excesso, a ingestão de álcool tem o efeito contrário e causa danos aos rins, além de favorecer o desenvolvimento de problemas como a hipertensão e comprometer a saúde do fígado.

Cuidado com o cigarro

Não é só o pulmão que se prejudica com o cigarro, ele também afeta os rins formando pequenos bloqueios nos tubos por onde o sangue corre, contribuindo para o surgimento dos problemas de pressão e de doenças renais.

Não abuse dos remédios

Quem abusa do uso dos remédios, desde os controlados, até um simples analgésico pode acabar comprometendo o funcionamento dos rins a longo prazo, por isso, evite a automedicação e não abuse dos remédios.

Se você perceber alterações na urina, cansaço excessivo, inchaços e principalmente se tiver problemas como pressão alta e diabetes, ou histórico familiar, procure um especialista e cuide-se.

Para você