Crianças devem ter animais de estimação?

Pesquisas demonstram que o convívio com bichinhos pode trazer benefícios à saúde

Escrito por Carolina Werneck

Foto: Thinkstock

Todo mundo que teve um bichinho de estimação quando era criança sabe o quanto essas criaturas são capazes de marcar a vida de uma pessoa. Todo mundo que não passou por essa experiência sabe a falta que faz um amigo bicho nos momentos de aflição relacionados à infância, como quando ninguém parece te entender ou a arte foi grande demais para contar a um ser humano.

Alguns pais se recusam a presentear seus rebentos com um pet porque consideram árdua a rotina de banho, comida, água e limpeza, decorrentes do fato de se estar criando um ser vivo. Entre os que defendem os bichinhos, conviver com essa rotina é benéfico para que a criança aprenda valores como a responsabilidade, por exemplo.

Conviver com animais melhora a saúde?

Algumas pesquisas apontam que crianças que têm contato com animais de estimação estão menos propensas a desenvolver alergias e infecções de ordem respiratória. A comparação foi feita entre crianças que tiveram convívio com cães e gatos durante o primeiro ano de vida e crianças que não tiveram contato com esses animais.

Durante o primeiro ano, é comum que a criança desenvolva essas infecções respiratórias, bem como outros quadros infecciosos. No entanto, através da observação de 397 crianças neste período, os pesquisadores responsáveis pelo estudo denominado “Respiratory Tract Illnesses During the First Year of Life: Effect of Dog and Cat Contacts” descobriram que o contato com cães diminuía as chances disso acontecer.

Embora o contato com gatos também tenha se mostrado benéfico, entre as crianças que conviveram com cães os índices de melhora foram mais acentuados e elas, inclusive, consumiram uma menor quantidade de antibióticos, em relação àquelas que não tiveram contato com bicho algum.

Um estudo realizado na Universidade da California, nos Estados Unidos, descobriu que o pó de casas com cães é mais eficaz no fortalecimento do sistema imunológico, protegendo as crianças de infecções e diminuindo os sintomas de doenças crônicas, como a asma. Isso acontece porque inalar os micro-organismos caninos presentes no ambiente em que o cachorro vive acaba desencadeando, no organismo humano, uma proteção contra o RSV, que é o vírus responsável por diversas infecções de ordem respiratória.

Além dos benefícios fisiológicos da presença de animais de estimação, há ainda os benefícios psicológicos. Se, hoje em dia, muitas crianças não desgrudam do computador e da televisão, ter um bichinho em casa é um estímulo para que elas se coloquem em movimento e saiam, mesmo que por alguns minutos, do mundo virtual em que se encontram tão profundamente inseridas.

Dicas pela Web