Pílula contínua: saiba mais sobre essa opção contraceptiva

Apesar de segura, a pílula contínua é um método contraceptivo que ainda gera muitas questões. Confira as informações e dúvidas mais frequentes respondidas por uma ginecologista

Escrito por Suzane Werdt

Foto: iStock

Ao escolher o método contraceptivo, felizmente, hoje as mulheres contam com algumas opções seguras e muita informação. Cada escolha traz suas vantagens e desvantagens e sua eficácia pode variar dependendo do caso. Entre estas opções, a pílula anticoncepcional contínua tem sido um dos métodos mais escolhidos, principalmente por aquelas que não desejam menstruar.

Apontada pelos especialistas como tão segura quanto os outros métodos contraceptivos, a pílula contínua faz com que a mulher pare de menstruar, o que pode ser um alívio para quem sofre com os sintomas da menstruação, como dores de cabeça, cólicas e outros sintomas relacionados ao ciclo menstrual.

Como todo método contraceptivo, a escolha pela pílula contínua deve ser realizada junto ao médico, que vai analisar as melhores opções para cada mulher. Não comece um tratamento sem consultar um especialista. As pílulas anticoncepcionais estão evoluindo a cada dia, mas ainda podem trazer riscos em alguns casos como interação medicamentosa, aliadas a problemas de saúde, ou no período de amamentação, por exemplo.

A pílula contínua não é muito diferente das pílulas com pausa mensal. A diferença é que, sem a pausa, a mulher não ovula e, consequentemente, não menstrua. Pode parecer uma solução mágica, mas antes de escolher é importante estar a par de todos os detalhes. Conheça mais sobre o método:

Como funciona a pílula contínua

Foto: iStock

A Dra. Marise Samama, ginecologia e professora de Pós-graduação em Reprodução Humana Assistida do Instituto Gera, explica que existem dois tipos de contraceptivo hormonal contínuo: o combinado e o que contém somente progestogênio: “O contraceptivo contínuo tem o mesmo mecanismo de ação da pílula com pausa, ele inibe a ovulação. O sangramento só deve ocorrer com a pausa da pílula, mas como não há pausa, o que se espera é que a mulher não menstrue”.

Leia também: Como escolher o melhor anticoncepcional

A pílula contínua pode ser utilizada em qualquer situação. É indicada preferencialmente para mulheres que têm muita cólica menstrual, TPM, endometriose, mioma ou também na amamentação. “Porém, para cada diagnóstico, se utiliza um tipo específico de composição hormonal. Na amamentação, por exemplo, só se usa o progestogênio contínuo”, completa a Dra Marise. Por isso, a consulta prévia com o médico é essencial.

Vantagens e desvantagens

Foto: iStock

Assim como todo método contraceptivo, a pílula contínua também tem suas vantagens e desvantagens. Confira as principais:

Vantagens

  • A menstruação para de ocorrer;
  • Evita os sintomas desconfortáveis da menstruação como cólicas e outras manifestações da TPM;
  • Pode ser usado como tratamento em casos de endometriose ou mioma.

Desvantagens

  • Em certos casos, o uso não bloqueia a menstruação causando escapes frequentes, o que inviabiliza o uso do método;
  • Contém mais hormônios do que as pílulas de baixa dosagem;
  • Pode acontecer retenção de líquidos ou efeitos vasculares a longo prazo;
  • Algumas mulheres se sentem desconfortáveis em não menstruar e não poder acompanhar o ciclo.

Dúvidas frequentes esclarecidas

Foto: iStock

Por mais que se pesquise, sempre sobra uma questão ou outra do que é ou não normal e do que pode ou não fazer realmente mal. Mesmo depois da consulta com o médico e tudo resolvido certinho, sempre fica aquela dúvida sobre algum detalhe, não é mesmo? Isso acontece porque cada corpo e pessoa reage de uma forma e os acontecimentos da vida não podem ser previstos. Veja algumas dúvidas mais comuns sobre o uso da pílula contínua, esclarecidas pela Dra. Marise Samama:

Pílula de contracepção contínua engorda?

O risco de ganho de peso é igual à qualquer pílula.

Leia também: 12 fatores que afetam a fertilidade feminina e você nem imaginava

Sangramento durante o uso da pílula contínua é normal?

Escapes menstruais podem ocorrer. Se forem persistentes, deve-se fazer uma pausa de 3 a 5 dias e depois reiniciar. Se ainda assim persistirem, deve-se pensar na troca de método.

A pílula contínua afeta a libido?

Todo contraceptivo hormonal pode afetar a libido, pois inibe a ovulação. E o processo da ovulação está relacionado ao apetite sexual.

Corro o risco de engravidar caso eu esqueça de tomar a pílula um dia?

Leia também: Como identificar e aliviar o fluxo menstrual intenso

Toda vez que se interrompe o uso da pílula, há uma queda dos níveis hormonais que bloqueiam a ovulação e então o processo que leva à ovulação pode se reiniciar.

A contracepção contínua vai desregular meu ciclo?

Não há ciclo quando se usa contraceptivo hormonal contínuo.

Existe diferença entre as pílulas comuns e as usadas com esse fim?

Na verdade, existem pílulas iguais que são usadas com pausa. No caso da contracepção hormonal combinada contínua, são necessárias dose hormonais mais elevadas para bloquear a menstruação. Portanto, essas pílulas têm dose hormonal mais elevada do que as pílulas de baixa dosagem.

Leia também: Conheça o novo app que é tão eficaz quanto a pílula anticoncepcional

A Dra. Marise ainda indica que é extremamente importante entender que a escolha do método contraceptivo deve ser realizada pelo médico ginecologista em conjunto com a mulher após avaliação ginecológica criteriosa: “Se trata de terapia individualizada. Cada método deve ser discutido e avaliado segundo às necessidades individuais de cada mulher. Além disso, todo método contraceptivo hormonal deve ser avaliado por 3 meses antes de se realizar uma possível troca.”

Agora que você já sabe o básico sobre a pílula anticoncepcional contínua já vai ficar mais fácil escolher o seu método favorito. Com as informações na mão e o acompanhamento médico adequado, você vai poder evitar a gravidez e outras preocupações de modo mais tranquilo e seguro.

Dicas pela Web