Conheça os 10 piores conselhos de dieta de todos os tempos

Pular refeições, restringir alimentos, fazer substituições para alimentos light e diet são conselhos que não ajudam no emagrecimento saudável

Escrito por Thalita Vitoreli

Foto: Thinkstock

Fazer dieta é, segundo pesquisa realizada pelo Ibope, uma realidade constante para as mulheres brasileiras acima de 18 anos. Cerca de 40 por cento das mulheres entrevistadas costuma fazer dieta com frequência e a maioria opta pela dieta da moda. Apesar disso, os especialistas em nutrição estimam que setenta por cento das pessoas que fazem dieta recuperam o peso inicial (ou até mais!) em menos de quatro anos.

Com os inúmeros conselhos a respeito do emagrecimento é comum as mulheres cometerem alguns erros quando estão em dieta, como por exemplo, pular refeições, restringir alimentos, fazer substituições para alimentos light e diet.

Se você não quer fazer parte das estatísticas das mulheres que voltam ao peso inicial, conheça uma lista com os dez piores conselhos sobre dieta elaborada com o auxílio da nutricionista e personal diet Flavia Germinari.

1. Todas as dietas funcionam para todas as pessoas

Ainda não foi inventada uma fórmula mágica que funcione igualmente para todas as mulheres que desejam emagrecer. Cada pessoa é uma combinação única de metabolismo, rotina, motivações, habilidades, paladar e, por isso, nem todas as dietas que funcionam para a maioria das pessoas irão funcionar para você. Segundo a nutricionista Flavia, “existem alimentos que não podem ser consumidos em determinadas doenças, o excesso ou a restrição desses alimentos podem piorar essas doenças”. Fique atenta!

2. Restringir alguns tipos de alimentos

Segundo Flavia é muito comum ouvir o conselho de que restringir alguns tipos de alimentos, como por exemplo, não comer fontes de carboidratos durante muito tempo ajuda no emagrecimento. Isso não é verdade. Todas as restrições devem ser evitadas, como orienta a nutricionista: “dietas muito restritivas são as piores, pois restringir alimentos provoca deficiências de vitaminas e minerais, consequentemente, leva a muitas doenças de origem alimentar. E muitas vezes há um excesso de alguns nutrientes, que também desencadeiam muitos tipos de doenças.”

3. Pular refeições

“Ficar horas e mais horas sem se alimentar ocasiona a diminuição do metabolismo, fazendo com que seu corpo faça reservas, e consequentemente, ocorra um acúmulo de gordura corporal”, orienta Flavia. Pular as refeições só fará com que a pessoa fique com mais fome do que o normal e coma mais que o recomendado quando for se alimentar novamente. Isso não significa que você vai beliscar o que aparecer pela frente. Prefira sempre consumir alimentos saudáveis a cada três horas.

4. O peso corporal é o melhor “termômetro” da dieta

Pesar-se com frequência não é a melhor estratégia para motivar a continuidade da dieta e também não representa a realidade na melhora da saúde. Nem sempre a balança vai mostrar os ganhos das mudanças na alimentação. Estabeleça um prazo para se pesar novamente e não faça dessa prática uma atitude diária. Recomenda-se que seja entre 15 a 30 dias.

5. Não se deve consumir nenhum tipo de gordura saturada

Há algum tempo, os médicos estabeleceram que a gordura saturada é prejudicial à saúde e causa doenças cardiovasculares. Estudos recentes questionam essa associação. Não se pode determinar que um alimento seja o vilão da dieta. Não é recomendado o consumo excessivo de nenhum tipo de gordura, mas achar que elas façam mal à saúde é um mito.

6. Contar calorias ajuda a emagrecer

É um erro pensar que contando calorias ou pontos você irá emagrecer de forma saudável. O ideal é prestar mais atenção no que você come, de onde vem, na qualidade do alimento, nos nutrientes e benefícios que eles podem te trazer. Saber somente a quantidade calórica do alimento não será suficiente.

7. Fazer jejum emagrece rapidamente

No jejum o corpo faz estoque de energia porque entende que precisa ter combustível para realizar as tarefas diárias. O resultado é que além de não queimar, o corpo armazenará as calorias. Com o jejum prolongado, a pessoa terá muita fome e, com isso, correrá o risco de comer compulsivamente. O jejum poderá causar lentidão metabólica e hipoglicemia.

8. Fazer substituições por alimentos light e diet

O diet é recomendado para pessoas diabéticas e o light é extremamente calórico e não pode ser consumido indiscriminadamente. Só ingerir versões light e diet é muito perigoso. Estes alimentos trocam o açúcar pelo aspartame. Com isso, a pessoa consegue diminuir a quantidade de açúcar, mas aumenta o sódio, causando grande sensação de inchaço e elevação da pressão arterial.

9. Fazer dieta de segunda a sexta

O ideal é comer com moderação durante toda a semana, caso contrário não há emagrecimento que resista. Não caia na enganação de fazer dieta de segunda a sexta e “enfiar o pé na jaca” no fim de semana. É claro que você pode sair com seus amigos, participar de um churrasco. Faça tudo com equilíbrio.

10. Não se pode comer depois das 6 da tarde

O seu corpo reagirá da mesma maneira independente do horário que você se alimentar. O importante é a quantidade de calorias consumidas. É claro que não é muito saudável comer demais à noite, mas esta recomendação não está diretamente ligada com a hora em si. Além disso, você não deve comer e ir direto para a cama.

Como emagrecer de forma saudável?

“A melhor alternativa para quem quer emagrecer de forma saudável é procurar um profissional da área. O acompanhamento nutricional e de um educador físico são essenciais para uma vida saudável”, orienta Flavia.

Se você não deseja voltar ao peso inicial com facilidade, é importante começar a dieta devagar, respeitando seu tipo físico, comendo de maneira saudável e nutritiva. Recomenda-se ingerir água, frutas, verduras e legumes e praticar uma atividade física pelo menos 3 vezes por semana.

Para você