Conheça o copo menstrual

Uma nova alternativa ao uso de absorventes que promete ser mais prática, econômica, sustentável e pretende conquistar as brasileiras

Escrito por Daniela Azevedo

Foto: Reprodução

Poucas coisas causam tanto incômodo na vida das mulheres quanto o período menstrual. E não são apenas as cólicas, os inchaços no corpo e as alterações de humor que perturbam, os absorventes também têm sua parcela de culpa.

Na hora de escolher o absorvente ideal, a maioria das mulheres preza por conforto, segurança, higiene e discrição e nessa busca os mais utilizados são os higiênicos de uso externo e os tampões de uso interno. Cada um tem os seus prós e contras, mas dependendo da sensibilidade da mulher, ambos podem causar reações alérgicas, desconfortos, limitar a prática de atividades físicas e impedir que a mulher use roupas claras e justas quando estão menstruadas.

Se você também sofre com esses incômodos, pode gostar de conhecer a novidade que está chegando ao Brasil, o copo menstrual, uma alternativa sustentável e econômica de conter o fluxo naqueles dias. Num primeiro momento, este artefato pode gerar bastante estranheza, e causar um certo asco, mas depois de fazer grande sucesso entre europeias, canadenses e norte americanas, o copo promete conquistar as mulheres brasileiras.

O que é o copo menstrual?

Trata-se de um dispositivo intravaginal com formato parecido ao de uma pequena taça que é inserido no canal da vagina para reter o fluxo da menstruação. O material mais utilizado em sua fabricação é o silicone cirúrgico, que é mais seguro para evitar alergias, mas existem no mercado produtos feitos com outros materiais.

O copo menstrual tem consistência maleável e é dobrável para poder ser inserido na vagina de maneira semelhante à camisinha feminina. Está disponível em várias cores, tamanhos e em duas versões, uma descartável e outra reutilizável, que quando bem conservada, pode durar até 10 anos.

O tamanho indicado para cada mulher varia de acordo com a idade, tipo físico, se já teve gestações, atores importantes para avaliar a elasticidade e fisiologia de cada mulher. O tipo de fluxo não interfere na escolha do tamanho, segundo os médicos, isso influencia no tempo de descarte do fluxo. Na dúvida, peça ajuda para o seu ginecologista para escolher o tamanho adequado.

O copo descartável tem a mesma função do absorvente, mas promete oferecer mais conforto, praticidade e economia em relação às opções que existem no mercado, além de reduzir o risco de alergias e infecções e ser uma alternativa ecologicamente correta.

Como ele é usado?

A utilização do copo menstrual é tão simples quanto a de um tampão interno e parecida com a maneira de colocar a camisinha feminina. Sempre que for utilizá-lo pela primeira vez e depois nos primeiros dias da menstruação, ele deve ser esterilizado com água fervente. Para colocá-lo, é necessário sentar-se no vaso sanitário, dobrá-lo, apertá-lo firmemente com a abertura para cima e introduzi-lo no interior da vagina. Ao soltá-lo, ele abre naturalmente formando um vácuo que o deixa na posição correta preso pela ação do vácuo e pelos músculos da vagina retendo o fluxo.

Para retirá-lo, basta puxar delicadamente a extremidade do copo uma das mãos e com a outra retirar a borda desfazendo o vácuo que permite a retirada. Em seguida, deve-se despejar o sangue coletado no vaso sanitário, lavar o copo com água e sabão, secá-lo e colocá-lo no interior da vagina novamente.

Quando inserido corretamente, e no tamanho adequado, o copo não deve causar dores e nem vazamentos. O intervalo de troca, segundo os fabricantes, pode ser de até 12 horas para mulheres de fluxo moderado, mas os médicos recomendam que a troca seja feita com intervalos menores, não ultrapassando 8 horas.

Vantagens do uso do copo menstrual

Conforto: Por ficar posicionado na parte interna, mais precisamente no canal vaginal, o coletor não causa nenhum tipo de desconforto quando colocado corretamente. Muitas mulheres afirmam sentir tanta liberdade ao usar o copo menstrual que podem dormir, fazer esportes, nadar e até se esquecem de que estão usando.

Economia: Um coletor reutilizável custa em média R$ 80,00, mas este valor distribuído ao longo de aproximadamente 10 anos – prazo estimado de validade do coletor – é muito menor que o valor que a mulher teria que desembolsar neste mesmo período comprando absorventes descartáveis internos ou externos, um cálculo que gira em torno de R$ 600,00.

Sustentabilidade: Os absorventes comuns contribuem para a geração e acúmulo de resíduos, já os coletores produzem menos volume de lixo e têm vida útil longa, levando mais tempo para serem descartados.

Higiene: Muitas mulheres podem achar o copo menstrual nojento, mas como o fluxo menstrual fica retido dentro do artefato, o sangue não entra em contato com as bactérias do ar, por isso, não fica com mau cheiro, como acontece com os absorventes comuns. Mesmo assim é essencial fazer uma assepsia correta das mãos e principalmente do coletor durante os descartes de fluxo e após a menstruação quando for guardá-lo para o próximo ciclo.

Menor risco de alergias e infecções: Ao contrário dos absorventes comuns, o copo menstrual apenas retém o fluxo, ou seja, ele não seca abafando a vagina, o que inibe a proliferação de fungos e bactérias, além disso, ele não altera a flora e nem o PH vaginal. Os copos de silicone cirúrgico são hipoalergênicos, já os feitos de látex ou elastômetro são alergênicos, por isso fique atenta às informações do rótulo. O uso do copo também evita a Síndrome do Choque Tóxico, geralmente causada pelo uso de absorventes internos.

Maior praticidade: Mesmo com a capinha que o acompanha alguns modelos para serem transportados, o copo menstrual faz menos volume que um pacote de absorventes, por exemplo, por isso é mais fácil de ser transportado e armazenado.

Desvantagens do uso do copo menstrual

Nem todas podem usar: Adolescentes na primeira menstruação e mulheres virgens têm maior sensibilidade nessa região, por isso devem evitar o uso do copo menstrual para evitar lesões na vagina. Mulheres no período pós-parto ou com má formação vaginal não devem usar o copo menstrual.

Dores e incômodos: Quem não está acostumada com a maneira de colocar e retirar o copo menstrual, pode sentir algumas dores nas primeiras tentativas, nada diferente das primeiras experiências com o absorvente interno. Para resolver o problema, vale tentar encontrar a posição mais confortável para inserir e também conhecer os diferentes tipos de dobra do coletor para encontrar a mais adequada ao corpo ou recorrer aos lubrificantes.

Cólicas menstruais: Existem relatos de mulheres que notaram o aumento da ocorrência de cólicas menstruais depois que passaram a usar o coletor, mas quase sempre, isso se deve ao uso inadequado do coletor posicionado de maneira incorreta.

Vazamentos: A maioria dos vazamentos ocorre devido ao mal posicionamento do copo no canal da vagina. O excesso de fluxo também pode gerar vazamentos, por isso é importante ficar atento aos períodos de descarte e à escolha do tamanho do coletor.

Dificuldade de usar em locais públicos: Nem todos os locais oferecem condições adequadas para fazer a higiene do coletor da forma correta, ou seja, com água e sabão, por isso é sempre bom pensar em alternativas como o uso de lenços umedecidos.

É sempre bom alertar: o copo descartável não tem nenhum efeito contraceptivo e nem previne doenças. Se você tiver alguma outra dúvida, não hesite em consultar um ginecologista. Ele pode ajudar a escolher o tamanho ideal para você, bem como indicar a forma correta de usar o copo menstrual.

Veja no vídeo abaixo como inserir, usar e remover o copo menstrual:

Dicas pela Web
Comentários