Comunicação entre mãe e filhos na infância

Descubra como você pode ajudar ainda mais seus filhos tomando as atitudes certas

Escrito por Andressa Dias

Durante os primeiros anos da infância dos filhos, pais e mães ficam cheios de dúvidas sobre a comunicação com eles – como deve ser, como devem repreendê-los ou elogiá-los, entre outros aspectos do relacionamento entre pais e filhos.

Em vista disso, sugerimos algumas dicas de especialistas a respeito da comunicação entre pais e filhos que pode ajudar na hora da dúvida e quebrar alguns mitos relacionados ao tema.

Seja realista com seu filho

Embora muitos acreditem que evitar que a criança tenha conhecimento sobre a parte triste da realidade da vida seja uma forma de protege-la de possíveis traumas ou de decepções, ser realista pode ser muito mais eficaz para mantê-la preparada para o que vem pela frente durante a vida.

Quando a criança erra, por exemplo, é importante ser realista e deixa-la assumir a responsabilidade pelo que fez. Mudar os fatos nesses casos pode impedi-la de aprender a lidar com situações assim e aprender qual é o caminho correto a seguir.

Mesmo que pareça que você está sendo “dura” com a criança, é essencial que ela saiba reconhecer quando não se esforçou para fazer o que é certo e que precisa corrigir isso. Caso contrário, ela pode sofrer com isso no futuro, pois será difícil para ela lidar com situações de erro – no trabalho – por exemplo.

Além disso, ela precisa aprender desde pequena a lidar com decepções e momentos tristes, pois isso faz parte da vida. Protege-la fazendo parecer que o mundo é um lugar perfeito não vai ajuda-la a crescer como ser humano e ter forças para enfrentar as dificuldades que surgirem.

Feedback positivo na medida certa

Elogios nem sempre são a melhor saída para consolar seu filho após situações de fracasso. Elogiar uma criança pelo esforço que não rendeu o que ela esperava pode até desanimar a criança e desmotiva-la a se esforçar mais.

Elogiar é necessário, mas apenas quando for um elogio sincero a respeito de um resultado realmente positivo. Não elogie seus filhos apenas para fazer com que eles se sintam bem depois de ter falhado.

Quando seu filho estiver se esforçando e mesmo assim não conseguir avançar, procure ajuda-lo a descobrir a dificuldade e supera-la em vez de tentar motivá-lo com elogios.

Além disso, prefira elogiar suas ações e não suas habilidades. Assim, você evita que ele se frustre quando encarar uma situação em que precisa se esforçar além de sua habilidade normal.

Lembre-se que a infância é uma fase de exploração e seu filho precisa conhecer tanto os aspectos bons quanto os aspectos ruins da vida, de forma natural, conforme essas situações se apresentarem no ambiente familiar.

Porém, se sentir que mesmo com esses cuidados a comunicação entre vocês está precária, o ideal é buscar aconselhamento de um profissional de Psicologia.

Para você