A regra 10/10/10 te ajudará a tomar melhores decisões em sua vida

Se você é daquelas pessoas que ficam absolutamente travadas na hora de fazer uma escolha, essa técnica de avaliação dos cenários pode te ajudar a sair dessa situação

Escrito por Raquel Praconi Pinzon

Foto: Kaboompics

Você é daquelas pessoas que sofrem para tomar qualquer decisão, seja para escolher o sabor do sorvete, o destino de viagem das férias e se deve ou não mudar de carreira?

Se você pondera mil e uma possibilidades antes de tomar uma decisão, podemos dizer que você parece ser uma pessoa comedida.

Realmente é necessário avaliar muito bem todos os cenários antes de bater o martelo sobre uma escolha importante, como pedir demissão, trancar a faculdade ou ir morar junto com o namorado.

Contudo, quando somos muito indecisas e não conseguimos chegar a uma conclusão, acabamos perdendo oportunidades – e ficamos sem nenhuma das alternativas entre as quais poderíamos escolher.

Pensando nisso, queremos falar sobre a regra 10/10/10, que ajuda o processo de avaliar as consequências de uma escolha e pode facilitar a sua tomada de decisão.

Leia também: 10 coisas para você aprender antes de fazer 30 anos

A regra 10/10/10 na hora de decidir

Foto: iStock

A regra 10/10/10 foi criada pela escritora Suzy Welch e divulgada em seu livro “10-10-10: Hoje, Amanhã e Depois”. Essa regra consiste em uma técnica para nos ajudar a ponderar os diversos cenários que se seguem a uma decisão considerando o que aconteceria em 10 minutos, 10 meses e 10 anos.

Mas, como salienta a própria autora, essa regra não é rígida: devemos entender os 10 minutos como o curto ou o curtíssimo prazo, os 10 meses como o médio prazo e os 10 anos como o longo prazo.

Dessa forma, em vez de pensar em 10 minutos, você pode pensar em uma hora ou amanhã. Como médio prazo, você pode pensar em seis meses ou dois anos. Por fim, em vez dos 10 anos, considere um período de tempo que possa ser entendido como longo prazo.

Assim, pensando nas consequências em etapas, você conseguirá perceber que uma decisão aparentemente árdua na próxima semana pode ser, na verdade, a melhor coisa que você poderia fazer por você mesma em 15 anos.

Usando a regra 10/10/10

Foto: iStock

Vamos supor que você precise perder alguns quilos por questão de saúde, mas você está morrendo de vontade de comer um pedaço de bolo de chocolate escorrendo cobertura.

Leia também: 15 situações com as quais todos os indecisos vão se identificar

Se você resistir, em 10 minutos você se sentirá orgulhosa de você mesma e mais disposta a seguir fazendo boas escolhas. Em 10 meses, você certamente estará mais perto do seu peso saudável. Em 10 anos, então, você provavelmente teria um ganho imenso de saúde, correndo menos riscos de desenvolver obesidade, diabetes, hipertensão e até mesmo alguns tipos de câncer.

Isso tudo, é claro, se o padrão de decisão por “não vou comer besteira” se repetir ao longo do tempo e você sempre der preferência a escolhas saudáveis.

Agora vamos pensar em uma decisão sobre sua vida profissional: vamos supor que você tem um emprego estável, mas não se sente feliz com ele e está pensando se deve voltar a estudar e mudar de carreira.

Caso você decida continuar no seu emprego e na sua carreira atual: em curto prazo, algo como um mês, por exemplo, você vai continuar recebendo seu salário. Em médio prazo, no final de um ano, é possível que você perceba que continua insatisfeita, talvez até mais do que antes, o que pode fazer seu desempenho cair. Por fim, em longo prazo, depois de 10 a 15 anos, talvez você sinta que está tarde demais para largar uma carreira e entrar de novo no mercado de trabalho.

Caso você decida pedir demissão e mudar de carreira: em curto prazo, você vai se sentir aliviada por ter saído da antiga empresa e cheia de ânimo para investir em um novo caminho. Em médio prazo, algo em torno de dois ou três anos, você já poderá sentir como sua nova carreira está caminhando, se existem oportunidades para você ou se talvez você deva repensar sua escolha.

Leia também: Dicas para ajudar na escolha da profissão

Por fim, em longo prazo, você poderá estar muito bem estabelecida na sua nova profissão – ou talvez não esteja tão bem quanto você gostaria, mas é bem possível que você tenha a certeza de que sua carreira anterior também não faria você feliz.

Nesse caso da mudança de carreira, a pessoa indecisa poderia perceber que, ao optar por seguir na profissão em que está, a situação não vai melhorar com o passar do tempo. Já ao escolher dar um novo rumo à sua vida profissional, existe uma chance de que as coisas sejam melhores.

Isso quer dizer que a regra 10/10/10 não vai poder te dar uma resposta exata sobre o caminho que você deve seguir, mas ela ajuda a avaliar as consequências das suas escolhas, facilitando o processo de decisão. E aí, você acha que vale a pena dar uma chance a essa técnica?

Dicas pela Web