Como lidar com o fim do relacionamento da melhor maneira possível

Não se culpar, não ter medo do futuro e abrir-se para o novo são dicas essenciais para superar esta fase que costuma ser bem difícil

Escrito por Tais Romanelli

Foto: iStock

Quando duas pessoas iniciam um relacionamento sério, a última coisa em que pensam é que este chegará ao fim, ainda mais de maneira dolorosa. Mas, infelizmente, às vezes isso acontece…

Para a maioria das pessoas, terminar um relacionamento – seja um namoro, noivado, ou um casamento – é sinônimo de deixar para trás planos, mudar a rotina, inevitavelmente ter que se afastar de algumas amizades (que eram do casal)… E, num primeiro momento, isto, de fato, parece ser pesado.

Especialmente quando ainda há sentimento, por um período pode ser muito difícil seguir em frente. Mas é fato que a vida não para, por isso, é preciso aprender a lidar e superar esta fase.

Se existe uma regra para isso?! Com certeza não! Cada caso é único, assim como pessoas são únicas. Por isso, o que é tão difícil para alguns, pode ser mais fácil para outros… Porém, existem, sim, algumas dicas que podem tornar este processo menos doloroso. Confira:

1. Não se culpe

Foto: iStock

Nunca fique se culpando pelo fim do relacionamento. Concentre-se sempre na premissa de que a responsabilidade de um relacionamento progredir e dar certo é sempre das duas pessoas envolvidas. Por isso, se terminou, é sinal também de que acabou a sintonia, de que não existe mais a vontade mútua de fazer dar certo.

Leia também: 10 coisas sobre relacionamentos que só se aprende sofrendo

2. Não se renda à ideia de rejeição

Foto: iStock

Lizandra Arita, psicóloga especialista em clínica e institucional, destaca que uma dica muito importante é a pessoa reprogramar as sensações de rejeição no seu inconsciente. “Isso porque a rejeição é a primeira coisa que é disparada quanto terminamos um relacionamento. Com a ajuda de um terapeuta ou de um psicólogo, podemos abrandar essa sensação de termos sidos rejeitados pelo outro e aí dá pra levar com mais tranquilidade o fim de um namoro ou de um casamento”, diz.

3. Não tenha medo do futuro

Foto: iStock

“Normalmente, quando estamos em par, fazemos uma série de programações e metas em conjunto. Tudo está em ordem, planejado e sabemos o que vai acontecer. De repente, não sabemos mais o que será. Tudo o que antes foi planejado não existe mais”, comenta Lizandra.

São nestas horas que muitas pessoas podem acabar se rendendo à ideias e cobranças desnecessárias, como, por exemplo: “Todos meus amigos namoram e agora só eu estou solteira”, “Namorei por tantos anos e agora não tenho mais vontade de sair, conhecer novas pessoas, como vou me envolver com alguém novamente?”, “Tínhamos planos de casar, será que algum dia vou querer me casar novamente com outro alguém?”…

Se estes pensamentos vierem à tona, é muito importante se concentrar numa frase que, por mais banal que seja, faz todo sentido: “O que tiver que ser será”. Não adianta querer se antecipar, prever o futuro… Algumas coisas podem e devem, sim, ser planejadas; outras, não… É preciso viver tendo como base o momento atual.

4. Refaça e anote metas

Foto: iStock

Você tinha uma série de planos com a pessoa e agora o relacionamento terminou?! A dica da psicóloga Lizandra é refazer essas metas e programações. “Escreva em um papel os objetivos que você quer atingir, relacionados ao seu particular, a você em seu status atual de solteira: seu trabalho, seus amigos, seus projetos pessoais, sua carreira, sua formação intelectual, sua família”, diz.

Leia também: Como saber se estou pronta para uma nova relação após o divórcio?

Lembre-se sempre que nem só de relacionamentos amorosos uma pessoa vive. Com certeza você tem muita motivação para seguir em frente!

5. Tome decisões

Foto: iStock

Um ponto muito importante, de acordo com Lizandra, é ter poder de decisão. “Não importa qual seja a decisão, se você escolhe por A ou escolhe por B… Desde que isso faça bem a você e tenha a ver com seus valores, pronto, está bom! O que não vale é ficar em cima do muro”, diz.

“Então, até mais que amor próprio, é preciso que a mulher esteja firme de suas convicções e verdades e escolha, decida, aja na direção daquilo que a faz feliz. Por exemplo: uma paciente vem relatar que o marido a deixou. A pergunta que eu sempre faço é: ‘e qual é a sua decisão em relação à decisão dele?’. Ele já tomou a decisão dele. Agora, a mulher é quem precisa tomar uma decisão. Ela pode correr atrás dele e reconquistá-lo. Ela pode continuar assim e se focar em esquecê-lo. Ela pode tentar arrumar um novo amor. Enfim, ela terá que decidir”, comenta a psicóloga.

“O que não dá é ficar sofrendo pela decisão do outro sem fazer nada, porque aí ficamos à mercê da opinião e da decisão alheia. Da mesma forma que o outro tem poder de escolha, nós também temos”, destaca Lizandra.

6. Cuide de você

Foto: iStock

Por mais que o fim do relacionamento tenha te pegado de surpresa, não se esqueça do que é mais importante na sua vida: sua saúde, seu bem-estar, sua felicidade. Sim, você provavelmente vai ficar triste, mas não deixe se abalar tanto a ponto de deixar de lado os cuidados com você mesma… Faça, por exemplo, alguma atividade física que te prazer, reencontre amigos, se divirta em família, continue se dedicando ao trabalho e/ou aos estudos, alimente-se bem… Enfim, cuide-se!

Leia também: 20 dicas para a convivência a dois

7. Não se cobre tanto

Foto: iStock

Ainda que você esteja decidida a superar esta fase difícil da melhor maneira possível, poderão chegar dias em que você terá recaídas, pensará no passado e talvez até caia nas lágrimas novamente… Não se culpe, isto também é parte do processo! Tenha em mente apenas que “amanhã será um novo dia”.

8. Conte com a família e os amigos

Foto: iStock

Lembre-se sempre que você não está sozinha e que os familiares e os amigos podem te ajudar e muito a superar esta fase. Façam programas legais juntos, se possível viajem, conheçam lugares diferentes, falem sobre coisas novas. Porém, faça tudo isso no seu ritmo, ou seja, não se force a fazer coisas que no momento não irão te fazer bem.

9. Não se renda à opiniões e comentários desnecessários

Foto: iStock

Lizandra comenta que, para algumas pessoas, a proximidade dos amigos e familiares é importante, já para outras, pode não ser… “Em alguns casos, os conhecidos podem ficar dando opiniões, forçando uma barra para que a pessoa saia, divirta-se, quando ela está vivendo o ‘luto’ e precisa passar por este período de mais reclusão. É preciso tomar cuidado com essas pessoas e ficar atento na sua real necessidade delas. Se elas fizerem bem e te ajudarem, ótimo, apoie-se nelas. Se não, mantenha uma distância segura até esse período inicial passar e você se sentir mais fortalecida”, diz.

10. Abra-se para o novo

Foto: iStock

Que tal iniciar um novo hobby, como, por exemplo, uma aula de violão ou até mesmo entrar num grupo de corrida?! Que tal fazer aquele curso que pode ser muito importante para sua carreira e/ou crescimento pessoal?!

Por que não aproveitar para fazer uma viagem com a qual você sempre sonhou?! Você pode ir com amigos ou sozinha mesmo, com a certeza de que fará novas amizades!

Leia também: 12 coisas que não se deve deixar de fazer por causa do namorado

Esteja aberta para conhecer novas pessoas, não necessariamente com o intuito de encontrar um novo par, mas, sim, de fazer mais amizades, de se divertir, de conhecer novas opiniões e estilos de vida, novos lugares etc.

11. Não fique procurando por notícias do ex

Foto: iStock

Em tempos de redes sociais, é fácil até demais ter notícias das pessoas e, muitas vezes, ficar sabendo até do que você não gostaria de saber!

Então, se você faz parte de uma ou mais redes sociais e sente-se bem nelas, ótimo… Mas controle-se para não ficar buscando notícias do ex-namorado/noivo/marido. Use-as com outro intuito e nunca com a intenção de “fuçar a vida” do ex e de todas as pessoas que o cercam.

“A dica é não fuçar nas redes sociais, bloquear no whatsapp, não atender ao telefone e não ligar também, procurar não encontrar a pessoa nos locais onde se sabe que ela estará. Para esquecer é preciso ‘enterrar a pessoa’, e ficar olhando, relembrando, vai mexendo cada vez mais na ferida. E assim as sensações podem ficar exageradas”, comenta Lizandra.

Porém, “não fuçar a vida do ex” não significa necessariamente se fechar a notícias. “Em algumas situações, saber do outro pode ajudar… Por exemplo, se ele terminou de uma forma surpresa e sem motivo e, de repente, aparece nas redes sociais em foto com outra pessoa, fica claro para você que acabou mesmo, que ele já está seguindo a vida e pronto, agora resta a você também seguir. Se isso fizer bem para a pessoa, ótimo! Agora, se, ao contrário, fizer mal, estimular ainda mais as rejeições, motivar a vingança… Aí, não é legal”, destaca a psicóloga.

12. Saiba que não é o fim do mundo

Foto: iStock

Por mais que o fim de um relacionamento seja difícil, sempre que você se ver mal, pare para pensar: “quantas pessoas já passaram por isso?”. Pense no seu grupo de amigos mesmo… Quantos superaram esta fase, conheceram outra pessoa ou estão bem sozinhos?!

Ter em mente que tudo passa e toda dificuldade deve ser encarada como aprendizado tornará esta fase mais leve.

Mas, vale destacar: “não existe necessariamente uma regra. Acho que cada pessoa precisa escutar profundamente seu coração e analisar o que sente. Agindo com sinceridade e amor próprio, será mais fácil passar por este período tão dolorido que é o ‘luto da separação’”, finaliza Lizandra.

Em muitos casos, a ajuda profissional de um psicólogo pode ser muito importante nesta fase. Afinal, se fechar para o mundo e para seus próprios sentimentos pode trazer consequências ruins! Então, não hesite em procurar ajuda se sentir que precisa de alguém para desabafar e para ajudar a encontrá-la novos caminhos.

Assuntos: Relacionamentos

Dicas pela Web
Comentários