Como lidar com a prisão de ventre infantil

Saiba identificar se seu filho está com prisão de ventre e como solucionar o caso

Escrito por Giselle Coutinho

Foto: Thinkstock

A prisão de ventre infantil faz com que as crianças tenham dificuldades com relação ao evacuação, indo ao banheiro com pouca frequência ou apresentando fezes duras, secas e que causam dor ao sair. Este problema, apesar de muito raramente ser sinal de alguma doença grave, requer a atenção dos pais, pois tem forte impacto sobre a qualidade de vida das crianças.

Existe uma grande dificuldade em identificar a constipação intestinal em crianças, principalmente as muito pequenas, pois muitas não sabem expressar os sintomas ou têm vergonha de falar sobre o assunto. A não identificação da prisão de ventre pode agravar o quadro e demandar um tratamento mais drástico.

Para saber identificar a prisão de ventre, os familiares devem estar atentos tanto à assiduidade na eliminação das fezes, quanto ao aspecto das mesmas. Apesar de ser uma situação constrangedora para as crianças um pouco maiores, esta atitude é fundamental para a manutenção da boa saúde.

Causas da prisão de ventre em crianças

As crianças geralmente desenvolvem prisão de ventre por reterem as fezes. A retenção das fezes pode parecer um comportamento ilógico, porém é muito comum e sua causa é perfeitamente explicável. Muitas crianças evitam ir ao banheiro porque:

  • Estão se divertindo e não querem interromper brincadeiras;
  • Ficam constrangidas em usar o banheiro público em um momento em que estejam fora de casa;
  • Estão estressadas por estarem aprendendo a largar as fraldas e usar o banheiro;
  • Já possuem fezes duras e ressecadas, por terem uma alimentação inadequada, e evitam evacuar por medo de sentir dor durante a ação e que as fezes causem machucados no ânus.

Sintomas da constipação intestinal infantil

Crianças com intestino preso apresentam sintomas como: evacuar com baixa frequência ou sinalizar dor durante o processo; ter cólica abdominal; apresentar posturas que indicam que estão segurando fezes – ficando na ponta dos pés e depois rolando de volta para os calcanhares ou apertando os músculos das nádegas; eliminar fezes duras e secas; ou ainda defecar com aspecto mole inesperadamente.

Um engano de avaliação comum dos pais são com as crianças que defecam com frequência normal, mas que as fezes são duras. Fezes duras e ressecadas nunca devem ser consideradas normais. A gastroenterologista pediatra Isaura Assumpção, do Hospital Infantil Sabará, na capital paulista explica: “Se a criança faz cocô duas ou três vezes por dia, mas em pouco volume, como se eliminasse um monte de bolinhas duras, ela está com intestino preso”.

Evacuar fezes moles repentinamente, ao contrário do que muitos pais podem pensar, também pode ser um sinal que a criança está constipada, pois o fato da criança adiar a evacuação pode resultar na formação de uma grande massa de fezes duras no reto chamada fecaloma, que pode fazer com que haja vazamento de fezes novas moles que se acumulem atrás desta massa.

Tratamento para intestino preso em crianças

O tratamento para a prisão de ventre infantil envolve geralmente mais mudanças de hábitos do que intervenção médica. Apenas nos raros casos mais graves há a necessidade de fazer o uso de supositórios ou lavagem intestinal.

Veja algumas mudanças que solucionam quadros simples de constipação intestinal das crianças:

  • Organize os horários das refeições, mínimo de seis diariamente;
  • Nunca substitua alimentos salgados por leite, iogurte, sucos e líquidos em geral;
  • Introduza alimentos saudáveis como frutas, saladas de frutas, vitaminas, sucos naturais na dieta da criança;
  • Aumente o consumo de fibras através de verduras e legumes, por exemplo;
  • Promova a ingestão de 8 a 10 copos de água por dia.

Contar com o auxílio de um pediatra além de ser muito importante para a saúde de seu filho, pode ajudar a saber fazer boas escolhas de alimentação e práticas para a rotina das crianças e evitar problemas simples, mas desagradáveis como a prisão de ventre infantil.

Dicas pela Web