Como identificar parques infantis sem segurança

Conheça os detalhes aos quais você precisa estar atento para evitar acidentes nos parques infantis e playgrounds

Escrito por Thalita Vitoreli

Foto: Thinkstock

Brincar ao ar livre é importante para o desenvolvimento das crianças. Mas, para evitar acidentes é preciso planejar uma área de lazer de forma que o espaço seja, ao mesmo tempo, criativo e seguro.

Com o objetivo de garantir a segurança e a diversão das crianças em parques de condomínios, hotéis, escolas, clubes, praças, buffets e restaurantes, foram estabelecidas algumas normas pela ABNT – Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), órgão responsável pela normalização técnica no país.

Baseada em normas inglesas – uma das mais rígidas do mundo, a cartilha da ABNT indica como deve ser um playground: ângulos dos brinquedos, fixação, tipos de piso e materiais adequados. Saiba mais:

Piso do parquinho

Uma das regras ditadas pela ABNT diz respeito ao piso do parquinho que para absorver os impactos deve ser macio. Os pisos aconselhados são de areia e grama com profundidade para amortecimento. Parques instalados sobre pisos de concreto ou asfalto estão totalmente fora das regras estabelecidas pela ABNT.

Materiais

Os materiais utilizados devem ser resistentes às condições atmosféricas e oxidação e livres de substâncias químicas nocivas à saúde. A ABNT orienta que os materiais indicados são: plástico, aço, ferro galvanizado e madeira tratada – todos com pintura atóxica.

Área de circulação

Para que as crianças não corram esbarrando nos equipamentos ou nelas mesmas, os parques devem ter pelo menos 1,80m de circulação ao redor de cada brinquedo.

É importante se certificar que não existam “armadilhas” nas quais as crianças possam tropeçar, como por exemplo: raízes de árvores, tocos de troncos, bordas de concreto e mudanças bruscas na elevação do piso.

Quedas

As quedas são a principal causa de hospitalização por acidente de crianças de 1 a 14 anos e podem levar a consequências graves, como traumatismos cranianos. Segundo estudos da ONG Criança Segura o risco de lesão é quatro vezes maior se a criança cair de um brinquedo superior a 1,5m.

Estima-se que pelo menos 90% dessas lesões poderiam ser evitadas com atitudes de prevenção e com a supervisão de adultos enquanto as crianças brincam.

Supervisão dos adultos

A melhor prevenção contra acidentes em parques é a supervisão de adultos – pais, monitores, babás. Conheça, a seguir, as atitudes de prevenção, que podem ser adotadas, para ajudar a evitar lesões infantis:

  • Verifique se os brinquedos estão em boas condições e se são adequados à idade da criança;
  • Observe se o piso apresenta absorção para a queda, como grama e areia;
  • Garanta que a criança, ao andar de bicicleta, patins ou skate, utilize roupas adequadas e proteção apropriada, como capacete, joelheiras e cotoveleiras;
  • Oriente a criança quanto aos limites na utilização de cada brinquedo;
  • Evite o uso de equipamento que não esteja em bom estado de conservação;
  • Fique atento ao que seu filho está fazendo e, se possível, ajude-o em todas as atividades.

Veja mais regras da ABNT:

  • O playground deve ser separado em áreas conforme a faixa etária das crianças;
  • As roscas de parafusos salientes devem ter acabamentos de proteção;
  • Os cantos dos brinquedos têm de ser arredondados;
  • Parquinhos de madeira devem ter acabamento liso, livre de lascas ou farpas;
  • Para desencorajar as crianças a correr dentro da área do trajeto dos balanços, é necessário instalar barreiras de segurança em torno dos brinquedos.

Cuidar da segurança das crianças é uma responsabilidade dos adultos. Faça sua parte e espalhe essa ideia e as orientações acima.

Dicas pela Web