Como evitar que problemas pessoais interfiram na vida profissional

Saiba como comportar-se para superar problemas pessoais sem se expor no trabalho

Escrito por Giselle Coutinho

Foto: Thinkstock

Conciliar sentimentos relativos à família, amigos e relacionamentos amorosos, saúde, situação financeira, estudos e realização de sonhos com a rotina de trabalho não é uma tarefa simples, pois tanto a tentativa de suprimir problemas para manter uma postura adequada ao ambiente corporativo, quanto a livre expressão de desequilíbrio emocional são prejudiciais.

Ter o discernimento de que é necessário deixar o mundo acontecer lá fora enquanto se está trabalhando, separando aspectos essencialmente pessoais, enquanto vivemos nossos momentos profissionais é fundamental para manter a tranquilidade na rotina.

O profissional não precisa ignorar seus sentimentos, mas deve tentar cuidar para que estes não mudem sua eficiência e seu entendimento das relações com colegas, quando houver críticas profissionais, por exemplo.

Percepção e relação das empresas com o profissional com problemas pessoais

De acordo com Adriana Souza, analista de Recursos Humanos da Catho Online, a maioria das empresas consegue notar quando há algum problema na vida de seu colaborador: “Os comportamentos variam de pessoa para pessoa, cada um tem um tipo de reação, mas normalmente, um funcionário com problemas pessoais apresenta queda no desempenho, alterações de humor, isolamento, baixa atenção, fácil dispersão, dentre outros”.

Em geral, as dificuldades de se trabalhar com afinco e entusiasmo quando há problemas psicológicos, preocupações com contas vencidas, parentes enfermos ou desilusões amorosas são vistas com compreensão pelas empresas. Muitas firmas proporcionam alguma forma de apoio, porém a complacência com relação à interferência na produtividade, na atenção e no interesse pela atividade laborativa tem seus limites, pois o profissional deve demonstrar disposição em sair da situação problemática pedindo ajuda e demonstrando superação.

Busca por ajuda na empresa

Por mais que contar com a ajuda dentro da empresa para um assunto pessoal possa parecer estranho, esta opção é viável: “Se o problema for de ordem financeira, a empresa pode ajudar concedendo um adiantamento salarial ou um crédito consignado. Já se for uma questão de saúde, oferecendo cuidados imediatos e aconselhando o profissional a buscar o devido tratamento. Se o caso for de dependência química ou conflitos psicológicos, sugerindo uma terapia. A área de Recursos Humanos ou o departamento de Saúde Ocupacional da empresa pode ser um autêntico aliado.”, afirma o escritor e palestrante em Gestão de Recursos Humanos Tom Coelho.

Porém, a busca por ajuda dentro da empresa deve ser feita de maneira cuidadosa, para que não resulte em uma exposição indesejada. Saber filtrar as informações e relatar o problema ainda que superficialmente, permite que o superior hierárquico não entenda as dificuldades de concentração no trabalho como desleixo e facilita o acesso aos programas de auxílio ao colaborador que algumas empresas oferecem.

Dicas de comportamento profissional diante de dificuldades pessoais

  • Evite o isolamento, deixando de compartilhar seus problemas com as pessoas mais próximas, pois como as horas de trabalho são longas, se não houver qualquer tipo de diálogo, a possibilidade de acúmulo de estresse é maior;
  • Evite também a exposição demasiada. Não divida seus anseios com todos ao redor, pois é possível que haja pessoas interessadas em escutar suas questões apenas para descobrir suas fraquezas para usar em ataques contra você no futuro;
  • Seja discreto, cuidando para que seus assuntos pessoais sejam tratados de maneira reservada. Procure fechar a porta ou afastar-se quando for tratar de assuntos pessoais ao telefone durante o expediente. Se estiver resolvendo os problemas pessoais pelo computador, certifique-se de fechar as janelas de conversas ou sites quando sair da sala por qualquer instante;
  • Não chore em público, pois algumas pessoas podem não entender seu momento de fragilidade e usar sua exposição emocional de forma errada e que possa prejudicar você.

Além de cuidar da conduta nos momentos de dificuldade, o profissional deve buscar alternativas para manter as rédeas sobre a expressão de seus sentimentos meditando, relaxando, distraindo-se, ocupando a mente com outros assuntos que não o problema, ou encontrando religiosidade dentro de si.

Para você