Como escolher um animal de estimação para seu filho

A decisão de comprar ou adotar um animal de estimação deve ser discutida em família, veja mais dicas

Escrito por Deborah Busko

Ter contato com animais de estimação pode fazer muito bem para o desenvolvimento infantil. As opções de pets são muitas, desde os mais tradicionais como cachorros, gatos, peixes, pássaros ou coelhos até animais mais exóticos como tartarugas e iguanas. Porém, é necessário ficar atento na hora de escolher um animal de estimação para seu filho, pois existem vários fatores a serem analisados.

A primeira coisa que os pais devem considerar é que por mais que a criança prometa que vai cuidar, ela não pode ser totalmente responsável pelo animal. A criança pode ajudar a trocar a água, alimentar o pet, passear e, claro, brincar com ele. Mas como ainda é dependente dos pais para a maioria das tarefas, ela também vai precisar de ajuda com o bichinho.

Por isso, a decisão de comprar ou adotar um animal de estimação deve ser discutida em família e a responsabilidade com a limpeza, comida e saúde do animal, compartilhada entre adultos e crianças.

Depois, é preciso tentar definir que tipo de animal pode ser a melhor companhia para a criança, lembrando que existe um animal para cada perfil de família. Se a intenção é ter um animal que faça companhia em casa, por exemplo, o melhor é dar preferência a algum que não seja muito agitado, como os gatos, que são naturalmente “sossegados”.

Muito da personalidade do animal depende da maneira como ele é criado, mas a natureza comportamental do bicho também deve ser avaliada. Conversar com outras pessoas que já têm o bichinho e com especialistas da área pode ajudar.

Os gatos são mais independentes que os cachorros e se adaptam bem em apartamentos ou casas sem quintal, já que vivem bem longe da rua. Se a família espera um animal mais participativo, o melhor é apostar nos cães.

Em espaços pequenos, a dica é preferir os cães de porte menor e que sejam mais tranquilos, como o poodle, o lhasa apso e o shih-tzu. Outras raças de cães indicadas para crianças são: beagle, schnauzer miniatura, pug, boxer, golden retriever, labrador e sheepdog.

Cães maiores e de guarda, como o pitbull e o rotweiller podem não ser boas opções para lidar com as crianças, pois podem ter reações inesperadas.

Quanto aos gatos, qualquer raça é adequada para crianças e o comportamento do bichinho vai depender da criação. A única diferença é que os de pelo longo exigem mais cuidados com a escovação, que deve ser feita diariamente.

Para crianças pequenas, na faixa de 3 anos de idade com poucas habilidades de cuidados, por exemplo, os peixes de água doce e os passarinhos são alternativas ideais. Coelho, porco da índia e tartaruga também entram na lista de animais recomendados para crianças. Quanto ao hamster, é importante lembrar que ele tem hábitos noturnos e durante o dia, quando a criança quiser brincar, o bichinho vai preferir dormir.

Se optar por adotar um animal, esteja preparado para aceitar a personalidade dele e estar ciente da responsabilidade assumida. Infelizmente, muita gente ainda adota o bichinho e depois acaba abandonando.

Pesquisar sobre o espaço que o animal precisa é outra dica importantíssima. Existem cachorros pequenos, mas que precisam de espaço para correr e brincar. Outros são grandes, mas bem tranquilos.

Resista aos apelos do seu filho e das tentativas de convencimento dos vendedores de pet shop. Não se esqueça de que aquele filhote fofinho vai crescer e que ao comprar ou adotar um animal, você leva pra casa um pacote que inclui gastos com alimentação e manutenção, tempo e disponibilidade para cuidar do bichinho. E vale lembrar: preste atenção e só compre animais legalizados.

Dicas pela Web
Comentários