Como engravidar de gêmeos: perguntas e respostas para tirar todas as suas dúvidas

Conheça os fatores que podem aumentar as chances de uma gestação múltipla e os mitos que cercam o tema

Escrito por Tais Romanelli

Foto: iStock

Assim como muitos casais dizem ter vontade de ter um menino ou uma menina, alguns declaram o desejo de ter filhos gêmeos – o que, com certeza, é uma experiência maravilhosa, embora desafiadora, para a vida inteira!

Mas, será que é possível mesmo “escolher ter filhos gêmeos”? Há medidas que, de fato, aumentam as chances de se ter uma gravidez gemelar? Você já deve ter ouvido falar, por exemplo, que a mulher que tem casos de gêmeos na família, tem mais chance de ter uma gravidez gemelar. Quais são, então, os outros fatores que comprovadamente podem ajudar?

O primeiro ponto é entender como acontece a gravidez gemelar. Domingos Mantelli, médico ginecologista e obstetra, explica que ela se dá quando ocorre uma ovulação dupla, que pode ocorrer por dois motivos: “quando a mulher passa por um processo de estimular a ovulação, pela administração de hormônios (por meio de injeções ou via oral), ela pode ovular mais de uma vez no mesmo mês, o que eleva as chances de haver mais de uma fecundação; e na fertilização in vitro, porque em geral mais de um embrião é implantado, com o objetivo de aumentar as chances de sucesso do procedimento”, diz.

Luiz Fernando Leite, obstetra do Hospital e Maternidade Santa Joana, comenta que existem dois tipos diferentes de gravidez gemelar e cada um acontece de uma forma. “No caso de gêmeos bivitelinos, ou gêmeos não-idênticos, ocorre a fecundação de dois óvulos por dois espermatozoides diferentes. Já na gravidez univitelina, ocorre a fecundação de um óvulo por um espermatozoide e, durante a fase inicial, embrionária, ocorre a duplicação do embrião – isso na gravidez espontânea”, explica.

Abaixo você esclarece suas principais dúvidas sobre as chances de se ter uma gravidez gemelar e confere quais são os fatores que comprovadamente ajudam neste sentido.

Leia também: 10 mitos sobre como engravidar

Dúvidas, mitos e verdades sobre gravidez gemelar

Foto: iStock

Será que o consumo de determinados alimentos pode aumentar as chances de uma mulher ter gêmeos? Na segunda gestação, a mãe tem mais chances de ter gravidez gemelar? Essas são apenas algumas das dúvidas com as quais os casais que esperam ter filhos gêmeos podem se deparar.

1. Quais alimentos uma pessoa pode comer para aumentar as chances de engravidar de gêmeos?

Mantelli destaca que não existe comprovação de nenhum alimento que aumente as chances de engravidar de gêmeos, uma vez que, para engravidar de múltiplos bebês, é preciso uma hereditariedade (que pode não ocorrer com aquela mulher), pré-disposição devido ao número de óvulos no mês ou fertilização.

2. Fazer uso de estimulantes ovulatórios, como o Clomid, aumenta as chances de se ter gêmeos?

Leite responde que, com a ingestão de estimuladores ou indutores de ovulação, a chance de ovular mais de um óvulo aumenta. Ampliando assim as chances de uma gravidez de gêmeos bivitelinos.

Leia também: 12 fatores que afetam a fertilidade feminina e você nem imaginava

Os estimulantes de ovulação, porém, só devem ser ingeridos após indicação médica, destaca Mantelli, pois o remédio tem função de auxiliar a mulher em casos de pouca ovulação ou nenhuma ovulação no período fértil, para aumentar as chances de uma gravidez. “Claro que, havendo esse aumento de óvulos durante esse período, a mulher poderá engravidar de gêmeos com maior probabilidade. O importante é sempre consultar o médico e ver as melhores opções para engravidar”, explica.

3. Mulheres mais velhas têm maior chance de ter gêmeos?

Alberto D’Áuria, ginecologista e obstetra da Maternidade Pro Matre Paulista, responde que as mulheres acima de 35 anos têm suas chances aumentadas pela possível ovulação concomitante, de vários óvulos.

Mantelli destaca que as chances de a mulher engravidar a partir dos 35 anos acabam sendo menores. “Com o avanço da idade, a tendência é a mulher ir perdendo cada vez mais óvulos e a qualidade desses óvulos ir diminuindo… Então, consequentemente, as chances dela engravidar são menores. Porém, quanto maior o avanço da idade da mulher, maior a chance de ela ter gêmeos porque corre o risco de ela ovular duas vezes no mesmo mês, então, com o avanço da idade, é realmente maior a chance de ter gêmeos”, explica.

4. Suplementar com ácido fólico ajuda neste objetivo?

Leia também: 6 dicas importantes para a mulher que deseja engravidar

Não. “O ácido fólico serve para auxiliar como um nutriente para seguir com uma gestação saudável, e esse suplemento ajuda a prevenir doenças na medula e desenvolvimento do cérebro do bebê. Portanto, não ajuda no objetivo de se ter uma gravidez gemelar”, responde o ginecologista e obstetra Mantelli.

5. Que alimentos o parceiro tem que comer para ajudar a aumentar as chances de o casal ter gêmeos?

Este é um mito. “Não há nenhuma relação de alimento e gravidez de gêmeos. A história de ‘banana gêmea faz a mulher ter gêmeos’, por exemplo, é mito, então não existem alimentos que aumentem as chances de engravidar de gêmeos”, destaca Mantelli.

6. Existe alguma posição sexual que ajude a engravidar de gêmeos?

Foto: iStock

Não existe posição sexual para engravidar de gêmeos ou, simplesmente, engravidar. “Os únicos meios de se engravidar são: estar com a saúde da mulher em dia, estar no período fértil e ovulando.”, destaca o ginecologista e obstetra Mantelli.

Leia também: 10 corpos de mulheres após a gravidez para você observar, admirar e respeitar

7. Na segunda gestação, aumenta-se a chance de ter gêmeos?

Este é um mito, conforme destaca Mantelli. “Não há indicação de que, na segunda gestação, a mulher tenha chances de engravidar de gêmeos, a menos que ela tenha pré-disposição e fator hereditário”, diz.

Leite comenta que as chances podem ser aumentadas apenas se essa segunda gravidez ocorrer quando a mulher tiver mais de 40 anos, por exemplo. “O que influencia é a idade e não o número de vezes que a gestante engravidou anteriormente”, diz o obstetra.

8. Mulheres com sobrepeso têm maior chance de engravidar de gêmeos?

“Há estudos que relacionam gestações múltiplas com a taxa de obesidade, mas não é recomendado, uma vez que a obesidade desencadeia em uma série de fatores prejudiciais à saúde da mulher e dos bebês, no caso”, explica Mantelli.

Para Leite, este é mais um mito. “Em alguns casos o sobrepeso está relacionado com ovários policísticos, o que pode gerar uma dificuldade maior de engravidar naturalmente”, diz.

9. A mulher que engravida enquanto estava amamentando tem mais chance de gravidez gemelar?

Há pesquisas que sugerem uma chance de gravidez gemelar enquanto a mãe amamenta. “Mas, não é recomendado engravidar após parir em pouco tempo, já que o corpo precisa de tempo para se recuperar. A mulher precisa fazer um acompanhamento com o ginecologista e tomar os cuidados necessários caso não deseje uma segunda gravidez em tão pouco tempo”, destaca Mantelli.

Leite explica ainda que, durante a amamentação, a mulher não tem um período fértil padrão. “A amamentação não bloqueia a ovulação, mas diminuem as chances de engravidar”, diz.

10. A mulher tem mais chances de ter gêmeos se engravidar através de fertilização in vitro?

Sim. “A chance de ocorrer uma gestação múltipla através de inseminações artificiais fica em torno de 15% a mais que de forma natural, devido aos tratamentos e técnicas para a infertilidade”, diz Mantelli.

“Na inseminação artificial, quando a ovulação é estimulada, a chance de gravidez múltipla é de 10%. Na fertilização in vitro clássica ou com injeção de espermatozoide, a chance de ter gêmeos é de 20% a 25%, e de ter trigêmeos é de 5%. O que faz a probabilidade ser maior na fertilização é o uso de dois ou mais embriões por tentativa”, explica Mantelli.

Alberto D’Áuria reforça que as fertilizações in vitro aumentam as chances de ter gêmeos. Essas pacientes, orientadas pelo médico, fazem uma boa reserva de ácido fólico previamente e se alimentam melhor. Em resultado ao novo estilo de vida das mulheres, elas possuem um envelhecimento mais lento, então, com uma boa orientação médica, o seu organismo pode ter uma ótima reação frente às transferências de vários embriões que acabam ficando no útero com sucesso”, destaca.

11. Se tenho casos de gêmeos na minha família, isso quer dizer que tenho mais chances de ter gêmeos também?

Sim, se os casos de gêmeos forem ligados à família da mãe, há grandes chances de se ter gêmeos também. “Por exemplo, se a futura mãe é filha de uma mulher que teve gêmeos, ou se ela tem uma tia que já teve gêmeos, suas chances de ter uma gravidez gemelar são maiores”, explica Mantelli.

D’Áuria reforça que ter um histórico familiar de gêmeos bivitelinos na família oferece chances aumentadas pela possível ovulação concomitante, de vários óvulos.

12. E se existem casos de gravidez gemelar na família do meu marido, isso faz aumentar nossas chances?

Foto: iStock

“Até onde se sabe, só o lado da mulher é que conta, ou seja, se o seu marido é gêmeo, isso não influi em suas chances… Mas, se você tem uma irmã gêmea, suas chances são altas”, responde o médico Mantelli.

Luiz Fernando Leite lembra que a mulher só libera um óvulo a cada ovulação, e é a liberação de óvulo que pode interferir na chance de ter uma gravidez gemelar.

13. Quais as chances de se ter uma gravidez de gêmeos naturalmente?

Leite responde que a chance de se ter uma gravidez de gêmeos naturalmente é de 1 a cada 80 casos.

“A gravidez naturalmente de gêmeos é por genética, ou pessoas que possuem pré-disposição natural para terem uma dupla ovulação, facilitando a fecundação de mais de um óvulo ao mesmo tempo. Porém, há casos de mulheres que engravidaram sem ter casos de gêmeos na família, mas existe uma série de fatores que influenciam para que essa gestação múltipla aconteça”, explica Mantelli.

14. Como é, de forma geral, a gravidez de gêmeos? Ela exige maiores cuidados?

“Por se tratar de uma gestação gemelar, o risco de um trabalho de parto prematuro é muito maior e, consequentemente, deve existir um cuidado maior durante o pré-natal. Então, na verdade, existem três vidas para serem monitoradas, e não somente duas… Assim, o cuidado tem que ser redobrado, sem sombra de dúvidas”, responde Mantelli.

Alberto D’Áuria destaca que as grávidas gemelares terão mais enjoo, resultado da produção de mais hormônios. “Além disso, a angustia pós-parto aumenta pela ansiedade de amamentar. Nesse momento, é importante que o obstetra apoie a puérpera e ajude a agregar a família nessa hora tão importante”, diz.

Leite explica ainda que os riscos naturais da gravidez aumentam na gestação gemelar. “O principal risco é o de prematuridade (nascimento antes da 37º semana), que aumenta porque, em teoria, o ventre materno só comporta um bebê. Então, essa ‘falta de espaço’ amplia as chances de um parto prematuro. Além disso, os sintomas da gestante gemelar tendem a ser maiores e começar antecipadamente, em torno de quatro a seis semanas se compararmos com outra gestante de feto único. Por exemplo, uma grávida de cinco meses de gêmeos tem os sintomas de uma grávida de seis meses de feto único”, diz o médico.

“A grávida possui ainda mais chances de desenvolver dores no baixo ventre, varizes, estrias, hemorroidas, falta de ar, inchaço. O segredo de uma gestante gemelar é não engordar excessivamente e ter um bom acompanhamento médico. Se o obstetra permitir, ela está liberada para realizar exercícios físicos”, acrescenta Leite.

Agora você já sabe que não dá para acreditar em tudo o que dizem sobre gravidez gemelar, existem muitos mitos sobre o assunto e não basta “simplesmente querer ter filhos gêmeos”.

Fatores que comprovadamente aumentam sua chance de ter gêmeos

Foto: iStock

Fuja dos mitos e conheça os fatores que realmente influenciam as chances de uma gravidez gemelar:

  • Fazer algum tratamento contra infertilidade;
  • Ter gêmeos na família;
  • Ter um irmão/irmã gêmeo(a);
  • Ter ovulação dupla;
  • Ter mais de 35 anos.

Agora você provavelmente já esclareceu suas principais dúvidas sobre gravidez gemelar e conhece suas chances (ou não) de ter filhos gêmeos!

Assuntos: Gravidez

Dicas pela Web
Comentários