Como criar uma playlist de treino perfeita em 6 etapas

Unindo música ao treino, a pessoa associa algo prazeroso à atividade física

Escrito por

Foto: Thinkstock

Continua após o anúncio

Música e atividade física andam de mãos dadas. É possível compará-las a pães e manteiga: embora eles possam existir separadamente, quando colocados juntos, são a combinação perfeita.

Boas músicas, escolhidas com carinho, têm a capacidade de transformar completamente um treino monótono em algo inspirador, divertido ou, no mínimo, tolerável.

“É muito interessante associar músicas ao treino, porque a pessoa vai associar algo prazeroso à atividade física, o que, de certa maneira, ajudará a motivá-la”, destaca Samia Hallage, psicóloga clínica e esportiva.

Mas, montar uma lista de música ideal para acompanhar o treino não é tão simples assim. Porém, algumas dicas podem ajudar. Confira abaixo:

1. Reúna suas músicas favoritas

Faça uma seleção com cerca de 30 músicas que você adora de paixão! O gênero, a época e o tempo de cada faixa podem variar bastante.

“O ritmo da música pode seguir o ritmo do treino, mas é fundamental que sejam músicas que a pessoa gosta, que sejam escolhidas a dedo por ela”, destaca Samia Hallage.

É claro que você deve dar preferência a músicas mais eletrizantes, mas o fato é que elas não devem ser todas “parecidas”, ou seja, do mesmo estilo musical. Até porque, alguns minutos do seu treino pedirão uma “pausa” e é interessante que o som que você está ouvindo acompanhe estes momentos.

O mais importante é você optar por músicas que “mexam” com você: elas podem fazer você querer levantar e dançar, gritar de uma montanha ou até mesmo querer chorar. É fundamental que elas façam você “sentir”!

Continua após o anúncio

2. Altere a velocidade das músicas

Uma dica legal, que você pode fazer no momento da seleção, é alterar a velocidade de algumas músicas, para que você tenha uma experiência diferente da que já está acostumada ao ouvi-la. A novidade tem o poder de renovar seu ânimo! E existem programas gratuitos disponíveis para download que te permitem mudar o BPM do que você pretende ouvir.

3. Selecione músicas além do tempo de treino

O tempo total de sua playlist não deve ser inferior à duração do seu treino. Por isso, faça uma conta aproximada: as 30 músicas que escolhi somam quantos minutos?

Se achar necessário, inclua novas faixas na lista de reprodução! Afinal, tudo depende do tempo que você pretende treinar e/ou correr. Mas, o fundamental, é que a duração da playlist seja maior do que a duração da sua atividade.

Isso porque, você sempre poderá pular direto para a sua faixa de resfriamento, quando estiver pronto para encerrar. Mas você não vai querer cortar a duração do seu treino só porque você ficou sem música, né? E motivação (no caso, música) nunca é demais!

4. Leve em conta as letras das músicas

Não é só o ritmo ou gênero musical que importa. A letra da música pode influenciar a sua disposição. Músicas que falam sobre coisas com as quais você se identifica têm o poder de servir como um incentivo durante o exercício.

5. Escolha uma música para o aquecimento

Selecione uma música especialmente para iniciar suas atividades, ou seja, para aquecer. Ela deve ter um ritmo moderado: rápido o suficiente para te incentivar, porém, mais tranquilo do que as próximas faixas que virão.

Continua após o anúncio

Isso serve, especialmente, para que você não se esqueça da necessidade de aquecer seu corpo.

6. Selecione uma música para finalizar

Reserve uma ou duas músicas mais tranquilas – mas não totalmente paradas! – para os minutos finais do seu treino. É fundamental que a letra e o ritmo dela sejam do seu agrado. Ela ajudará você recuperar o seu fôlego, ao mesmo tempo em que a incentivará a retomar as atividades no dia seguinte.

Aposte nos acessórios para treinar ouvindo sua música predileta. Foto: Thinkstock

Para cada atividade um tipo de música mais apropriada

É fundamental que a pessoa monte sua playlist de treino de acordo com seus gostos. Mas algumas orientações podem ajudar! Abaixo você confere que tipo de música mais combina com determinada atividade:

Ciclismo, corrida leve e caminhada: uma pesquisa feita pelo psicólogo esportivo Costas Karageorghis, da Universidade de Brunel, em Londres, apontou que para este tipo de atividade o indicado são músicas que tenham um tempo entre 125-140 bpm.

Corrida rápida: a mesma pesquisa apontou que, quanto mais intenso o treino, mais agitada deve ser a música. Nesse caso, a recomendação é uma dance music com 130-140 bpm.

Levantamento de peso: a pesquisa indica que são mais indicadas músicas mais rítmicas e aceleradas, com percussão ou com um baixo forte e bem cadenciado.

Agora você já tem boas dicas e pode caprichar na escolha de músicas para sua playlist de treino! Afinal, se bem selecionadas, elas vão te motivar sempre mais e deixar sua atividade física ainda mais prazerosa.

Continua após o anúncio

As informações contidas nesta página têm caráter meramente informativo. Elas não substituem o aconselhamento e acompanhamentos de médicos, nutricionistas, psicólogos, profissionais de educação física e outros especialistas.

Assuntos: Fitness

Para você