Como a alimentação da mãe pode influenciar a cólica do bebê

Segundo pediatra, alimentação da mãe pode interferir no bem-estar da criança. Saiba mais

Escrito por Ana Carolina Gabriel

Foto: Thinkstock

É normal o recém-nascido sentir cólicas logo nos primeiros meses de vida. Mas como detectar que o choro da criança é proveniente desse desconforto?

“Os sintomas da cólica geralmente seguem os critérios de Wessel, conhecida pela regra dos 3: a cólica começa por volta de 3 semanas, duram 3 horas, por no mínimo 3 vezes por semana e 3 semanas consecutivas e melhoram por volta dos 3 meses. O pico das crises de choro ocorre por volta das 6 semanas tanto para crianças nascidas a termo quanto os prematuros”, explica Elisabeth Fernandes, médica pediatra geral com especialização e mestrado pela USP.

Segundo a pediatra, a alimentação da mãe interfere no bem-estar da criança e, dependendo do cardápio, há maior ou menor incidência de cólicas no bebê. Por isso, siga as orientações do especialista de sua confiança.

Alimentação da mãe

“Um estudo publicado no Pediatrics demonstrou que uma dieta materna com restrição de leite de vaca, soja, ovo, trigo, castanhas e peixe, ajudou a reduzir os sintomas de cólica nos lactentes que estavam em aleitamento materno exclusivo até seis semanas de vida. Mas é importante ressaltar que também há estudos que não comprovam essa tese. Por isso, o recomendado é que a mãe tenha uma dieta equilibrada com orientação de especialistas e qualquer mudança no cardápio, deve ser comunicada ao pediatra”, comenta Elisabeth.

Massagens para aliviar a cólica do bebê

Em casos de dores mais intensas, Elisabeth indica algumas massagens caseiras para amenizá-las. Confira as dicas:

  • Deve-se fazer massagem abdominal, colocar compressas mornas na barriga do bebê;
  • Deitar a criança de bruços sobre seu peito ou barriga para aquecer a barriguinha da criança também são maneiras de aliviar;
  • Segure o bebê de bruços no colo de modo que as mãozinhas fiquem em seu abdomen e faça movimentos de esticar e fletir as pernas da criança também podem auxiliar na eliminação de alguns gazes;
  • Banho quente alivia o desconforto. Prefira ambientes sem corrente de vento e que o local esteja totalmente silencioso. Massageie a barriguinha da criança em movimentos circulares.

Outra dúvida bastante comum entre os pais de primeira viagem é qual o momento adequado para começar a alimentação sólida.

“Os pais só poderão oferecer a alimentação sólida a partir do sexto mês. Antes disso, o leite materno oferece todos os nutrientes que a criança necessita. O aleitamento materno exclusivo deve ser feito até o 6º mês de vida, sem necessidade de oferecer água ou chás. Caso o bebê não esteja se alimentando com o leite da mãe, deve tomar na mamadeira fórmulas infantis de partida até o 6 mês”, alerta Elisabeth.

Assuntos: Bebês

Para você