Comer muito açúcar pode causar diabetes?

Quem sofre com diabetes precisa controlar a ingestão de açúcar. Mas será que foi o consumo em excesso dessa substância que causou a doença?

Escrito por Raquel Praconi Pinzon

Foto: iStock

Um chocolatinho depois do almoço, um pedaço de bolo no meio da tarde e um brownie com chocolate de sobremesa são muito tentadores, não é mesmo? De fato, para muitas pessoas, o açúcar é praticamente irresistível.

Isso não é de hoje: essa vontade incontrolável de comer açúcar nos acompanhou por toda a evolução, como uma forma de evitar que morrêssemos de inanição. O problema é que, bem diferente das épocas remotas, hoje temos muita comida à nossa disposição.

Em consequência, o consumo excessivo de açúcar acabou sendo relacionado com o surgimento de doenças cardíacas, obesidade e diabetes.

E pior: alguns estudos sugerem que a ingestão elevada de açúcar teria ainda mais influência no desenvolvimento da diabetes do que se pensava antigamente, podendo ser uma das causas dessa doença.

É possível desenvolver diabetes por comer muito açúcar?

Foto: iStock

Se você quer uma resposta rápida para essa pergunta, então saiba que a ingestão de açúcar não causa diabetes diretamente. Porém, existe sim uma forma como o consumo em excesso dessa substância pode contribuir para o surgimento dessa doença.

Leia também: Alerta: refrigerantes viciam tanto quanto cigarros

Enquanto a diabetes tipo 1 se trata de uma condição autoimune, na qual o corpo do paciente ataca suas próprias células produtoras de insulina, a diabetes tipo 2 é desenvolvida quando se acumulam alguns fatores como a herança genética, o sedentarismo e a obesidade.

E como você bem sabe, uma das causas da obesidade é uma alimentação inadequada – por exemplo, com uma ingestão excessiva de açúcar.

Entendendo a conexão entre açúcar e diabetes

Foto: iStock

Embora o consumo de açúcar não esteja diretamente relacionado ao desenvolvimento da diabetes, algumas evidências sugerem que uma disponibilidade acentuada dessa substância torna a doença mais comum.

De acordo com um estudo realizado em 2013 nos EUA, envolvendo 175 países, quanto maior a quantidade de açúcar na alimentação, maior era a ocorrência de diabetes entre a população. Mais especificamente, a cada 150 calorias provenientes do açúcar ingeridos por dia por pessoa, os níveis de diabetes sobem 1%.

A pesquisa não considerou o efeito do açúcar individualmente, mas sim sobre a população em si – ou seja, o estudo indica que existe uma relação entre o consume de açúcar e a ocorrência de diabetes na sociedade como um todo.

Leia também: AVC isquêmico: conheça seus fatores de risco, sintomas e possíveis tratamentos

Apesar de a relação entre açúcar e diabetes ainda não estar bem estabelecida pela ciência, algumas outras doenças definitivamente têm entre suas causas a ingestão excessiva dessa substância. Alguns exemplos são doenças cardíacas, doenças do fígado, alguns tipos de câncer, alterações hormonais, elevação do colesterol, síndrome do ovário policístico e inflamações crônicas.

Outros fatores de risco para diabetes tipo 2

Foto: Getty Images

Além da obesidade, que pode ser originada pelo consumo exagero de açúcar, existem outros fatores de risco para que um paciente desenvolva diabetes tipo 2:

  • Ter mais de 45 anos;
  • Apresentar histórico familiar da doença;
  • Sofrer diabetes gestacional;
  • Estar com a glicemia elevada ou ser resistente à insulina;
  • Ser hipertenso;
  • Não se exercitar;
  • Apresentar desequilíbrio nas taxas de colesterol.

Isso significa que, diferente da diabetes tipo 1, a diabetes tipo 2 tem como causa alguns fatores sobre os quais nosso estilo de vida exerce grande influência — daí a importância de manter uma rotina de atividades físicas, fazer uma dieta saudável e se submeter regularmente a exames laboratoriais.

Recomendações para o consumo seguro de açúcar

Foto: iStock

Em excesso, o açúcar é uma substância perigosa que pode causar várias doenças, porém, ainda assim, nosso corpo precisa de uma quantidade de glicose para funcionar – e seria impossível eliminar toda a glicose da nossa alimentação.

Pensando nisso, a Associação Americana do Coração recomenda que os homens consumam no máximo 9 colheres de chá (36 gramas) de açúcar por dia, correspondentes a 150 calorias. Para as mulheres, a recomendação é de até 6 colheres de chá (25 gramas) por dia, ou 100 calorias provenientes do açúcar.

Leia também: Como reduzir o colesterol ruim sem remédios

Em resumo, o que devemos fazer é evitar o consumo de alimentos com açúcar adicionado, como refrigerantes, sucos industrializados, bolachas e doces em geral, além de reduzir a ingestão de carboidratos com alto índice glicêmico, como os derivados da farinha branca.

Dê preferência a alimentos como pão integral, cereais integrais, frutas, verduras, legumes e carnes magras, que fornecerem os nutrientes necessários ao bom funcionamento do nosso organismo e prolongam a sensação de saciedade. Um docinho é permitido de vez em quando, mas não pode virar regra.

Assuntos: Alimentação

Dicas pela Web