Colágeno: pele bonita e corpo firme

Conheça os problemas ocasionados pela deficiência do colágeno e os benefícios proporcionados pela reposição desta proteína

Escrito por Giselle Coutinho

Foto: Thinkstock

O colágeno representa cerca de 25% de toda proteína do organismo humano. Sua função é primordialmente estrutural, ou seja, proporciona sustentação às células, mantendo-as unidas, sendo o principal componente proteico de órgãos como a pele, ossos, cartilagens, ligamentos e tendões.

Esta proteína é produzida no organismo humano desde o nascimento. Porém, na maturidade feminina, a deficiência de estrogênio faz com que haja uma diminuição da quantidade de fibroblastos, células responsáveis pela produção do colágeno.

A diminuição do colágeno faz com que os músculos fiquem flácidos, a densidade dos ossos diminua, as articulações e ligamentos percam sua elasticidade e força, e a cartilagem que envolve as articulações fique frágil e porosa.

A deficiência desta substância está também associada ao desaceleramento da atividade das glândulas sebáceas e sudoríparas, que produzem a oleosidade que protege a pele, causando desidratação e perda de elasticidade da pele, que provocam a sensibilidade que leva à má cicatrização, flacidez e ao aparecimento de rugas e manchas.

Estudos mostram que a partir dos 30 anos, o corpo sofre uma perda anual de aproximadamente um porcento de colágeno. “Na maturidade, que chega por volta dos 50 anos, produzimos em média apenas 35% do colágeno que necessitamos”, afirma a especialista Ione Queiroga, nutricionista da Onvittá da Onodera.

Porém a redução do colágeno não está relacionada apenas a chegada da maturidade, já que fatores externos também podem refletir negativamente nos níveis da proteína. “Hábitos como o tabagismo e a exposição solar excessiva reduzem a oferta de colágeno no organismo, afetando a sustentação e a elasticidade da pele. Isso sem falar do estresse, que causa o envelhecimento precoce das células e consequente perda do nutriente”, comenta Beatriz Botequio de Moraes, nutricionista da Equilibrium Consultoria em Nutrição e Bem Estar.

Reposição do colágeno

O colágeno pode ser reposto em nosso organismo através de uma alimentação equilibrada. Os alimentos de origem animal, como as carnes vermelhas, por exemplo, são excelentes fontes de colágeno. Em alguns casos é recomendada a suplementação através do uso diário de colágeno extraído industrialmente dos ossos, peles e tendões de animais.

Um estudo realizado na Universidade de Kiel, na Alemanha, mostrou que a suplementação de colágeno na dieta alimentar normal diária ajuda na prevenção e no tratamento de doenças degenerativas dos ossos e articulações como as osteoartrites e osteoporose, permitindo evitar o uso de analgésicos e anti-inflamatórios.

Além disso, o Medcin Instituto da Pele e Dermatologia, de São Paulo, em uma investigação clínica identificou que a ingestão de suplemento de colágeno contribui para firmeza, elasticidade e hidratação da pele.

Os resultados mostraram que as mulheres que consumiram cinco gramas por dia tiveram um aumento de 17% na hidratação, 5,5% na firmeza e 10% na elasticidade da pele.

Alguns médicos, baseando-se nestes estudos, estão indicando a reposição de colágeno através de suplementos tanto como uma nova ferramenta para tratamentos de osteoartrites quanto para a manutenção da beleza.

Benefícios da suplementação do colágeno

A suplementação de colágeno não é uma necessidade exclusiva das mulheres maduras. Usá-lo antes dos 30 anos, além de prevenir futuros danos à saúde da pele e das articulações, contribui para o fortalecimento das unhas, cabelos e até para o emagrecimento e combate à celulite e estrias.

O colágeno contribui para o emagrecimento, pois gera saciedade. Se consumido antes das refeições o colágeno ajuda a reduzir o apetite. Segundo Valéria Goulart, nutróloga da Associação Brasileira de Nutrologia, a versão em pó é a mais indicada para auxiliar no emagrecimento: “É que ela forma uma espécie de gel que se expande no estômago e ocupa espaço, diminuindo a fome”, explica.

O colágeno também estimula a quebra da gordura ao melhorar o metabolismo das proteínas, o que ajuda no aumento da massa muscular, garantindo um corpo firme e sem celulites. O combate à celulite se dá ainda porque o colágeno melhora o sistema linfático, varrendo mais facilmente as toxinas.

A suplementação de colágeno não tem contraindicações, mas o ideal é conversar com um médico para que este possa avaliar corretamente a quantidade de colágeno indicada para atender a sua necessidade, seja esta relativa a aspectos de saúde ou estéticos.

Assuntos: Celulite, Estrias, Pele, Rugas

Dicas pela Web
Comentários