Clareamento dental: garanta um sorriso mais branco

Conheça os métodos profissionais disponíveis e saiba se é possível clarear os dentes em casa

Escrito por Tais Romanelli
Foto: Getty Images

Foto: Getty Images

A maioria das pessoas deseja exibir um sorriso bonito, com dentes saudáveis e brancos. Para isso, hábitos de higiene, como escovar os dentes sempre após as refeições e usar fio dental, são fundamentais.

Porém, é fato que manter a brancura dos dentes nem sempre é fácil. Com o decorrer do tempo, eles tendem mesmo a escurecer e ficar manchados naturalmente.

William Frossard, dentista especializado em Odontologia Estética, doutor em Periodontia, Mestre em Dentística, especialista em Prótese Dentária e professor e coordenador do Curso de Especialização em Prótese Dentária Clínica (UERJ), comenta que os dentes escurecem devido a diversos fatores. “Como biótipo, por exemplo. Algumas pessoas possuem dentes mais amarelos e outras, mais brancos – fato este que estaria ligado ao fator genético”, diz.

“Remédios como tetraciclina – um antibiótico muito usado antigamente – tendem a manchar os dentes, principalmente quando usado na infância. Traumas, por exemplo, dentes que sofreram algum tipo de traumatismo e tiveram um sangramento dentro deles, tendem a ficar mais escuros com o passar do tempo”, acrescenta o especialista.

Além disso: “cárie, idade, hábitos como cigarro, ingestão de alimentos e bebidas muito pigmentadas, como vinho, chocolate, refrigerantes em excesso, aceleram o processo natural de escurecimento dos dentes”, acrescenta Frossard.

Leia também: 10 alimentos que mancham os dentes

Não por acaso os consultórios de dentistas recebem cada vez mais pacientes em busca de um sorriso branco e impecável. “O clareamento dental é indicado quando o paciente apresenta dentes escurecidos ou amarelados. A idade mínima normalmente é com 16 anos (idade essa que o paciente está com todos os ápices dentários fechados). Quanto mais idoso o paciente, menos efetiva será a técnica”, explica o especialista.

Frossard destaca que o paciente não precisa esperar que os dentes estejam manchados ou escuros demais para optar por um tratamento de clareamento. “A partir do momento em que o paciente se sentir desconfortável com a cor do seu sorriso, está na hora de clarear”.

Tipos de clareamentos dentais profissionais

Foto: Getty Images

Foto: Getty Images

Existem os clareamentos externos e o clareamento interno. Abaixo você conhece as diferenças entre eles:

Clareamento interno

Tatiane J. Machado Buscarilli, dentista da Sorridents, explica que o clareamento dental interno consiste na aplicação de um gel clareador dentro da porção coronária do dente. “Faz-se uma abertura por trás do dente, onde é depositado o material clareador. Esta técnica é indicada para dentes tratados endodonticamente, dentes escurecidos por reação metálica e casos de traumas”, diz.

A dentista acrescenta que esse gel deve ser trocado semanalmente até que se atinja o resultado esperado, respeitando o prazo máximo de dois meses.

Juliana Rossi, dentista especialista em odontologia estética, destaca que o clareador utilizado pode ser à base de peróxido de hidrogênio, peróxido de carbamida ou perborato de sódio. “A técnica é a ‘walking bleach’, onde é colocado o produto e ele fica dentro do dente agindo e o paciente volta depois de uma semana ou cinco dias, e juntamente com o dentista avaliam se é preciso trocar o produto e refazer”, acrescenta.

“Uma característica dessa técnica é ser imprevisível: não é possível ter certeza de que o dente vai ficar igual à cor dos outros dentes”, ressalta Juliana.

O valor da técnica, de acordo com Juliana, vai de R$700 a R$1.500 por dente.

Clareamentos externos

Foto: Getty Images

Foto: Getty Images

O clareamento externo, conforme explica Juliana, é uma técnica onde é colocado o gel clareador do lado de “fora” do dente. “Por um processo de reação química, o gel libera oxigênio, um radical livre, que atravessa a camada de esmalte (camada de fora do dente) e vai quebrar a cadeia de pigmentos em pequenas moléculas (dióxido de carbono e água) e eliminá-las por difusão. Esse efeito é cumulativo, ou seja, o dente vai clareando a cada novo contato com clareador”, diz.

Os clareamentos externos podem ser subdivididos, hoje, em três técnicas:

1. Clareamento de consultório

Valéria Baraldi, odontologista, explica que esse tipo de clareamento é feito em consultório odontológico, onde o cirurgião dentista aplica uma barreira protetora gengival e um gel nos dentes. “Esse gel fica em contato com os dentes por volta de uma hora; depois pode ser retirado. Normalmente obtemos bons resultados com duas ou três sessões”, diz.

Segundo Juliana, o valor médio cobrado nesse tipo de clareamento vai de R$1.000 a R$2.500. “E o tempo para ser refeito varia de acordo com a dieta do paciente e a higiene bucal. Mas, em média, as pessoas ficam satisfeitas durante um ano e meio a dois anos, onde decidem junto conosco fazer um ‘retoque’ no clareamento – que pode ser resolvido em uma semana”, diz.

2. Clareamento caseiro

Frossard explica que o clareamento caseiro consiste no uso de uma moldeira de silicone em que o próprio paciente põe o gel clareador, em concentração mais baixa, e a encaixa na boca. “Normalmente recomendamos que esse paciente use durante a noite enquanto dorme. Esse tipo de clareamento dura em torno de três semanas, podendo estender para mais ou para menos, dependendo da resposta dentária e a intensidade de cor que o paciente deseja”, diz.

“Quando fazemos clareamento caseiro, normalmente usamos o peróxido de carbamida ou o peróxido de hidrogênio com porcentagens diferenciadas para cada caso”, destaca o especialista.

Juliana comenta que essa é uma das técnicas mais antigas, com resultados muito satisfatórios e com um relato de baixa sensibilidade. “É muito bem indicada para a grande maioria dos pacientes. Cada vez mais os géis se adéquam à vida do paciente para que os mesmos tenham mais facilidade para o uso diário. Temos géis para ficarem quatro horas em contato com o dente, mas que podem permanecer oito horas e assim o paciente pode dormir com a placa. Para quem não se adapta a essa permanência, temos géis que podem ficar de 20 a 30 minutos”, explica.

De acordo com Juliana, o valor médio cobrado vai de R$1.000 a R$1.500. “O tempo para ser refeito vai de acordo com a dieta do paciente e a higiene bucal, mas em média as pessoas ficam satisfeitas durante um ano e meio a dois anos, quando decidem junto conosco fazer um ‘retoque’ no clareamento”.

3. Clareamento a laser

Este método, de acordo com Valéria, é bem semelhante ao clareamento de consultório, “porém, se ativa o gel clarificador com laser, que aumenta a permeabilidade do gel nos espaços entre os prismas de esmalte, tornando o clareamento mais intenso”.

Tatiane destaca que em apenas duas ou três sessões o clareamento já está pronto. “O dentista aplica um gel (com concentração do produto bem superior ao gel caseiro) e este é ativado com a luz do laser. Em virtude dessa associação gel + laser, e por ser de maior concentração, vemos um resultado mais satisfatório do que o caseiro”, diz.

O valor médio cobrado, de acordo com Juliana, vai de R$1.500 a R$2.500. E o tempo para ser refeito também varia de acordo com os hábitos do paciente, mas, de forma geral, as pessoas ficam satisfeitas durante um ano e meio a dois anos até que precisem fazer um “retoque”.

Vale destacar que é possível ainda associar dois tipos de clareamento, como o feito no consultório com o caseiro, para intensificar os resultados. “Pode-se fazer, por exemplo, uma ou duas sessões de consultório e, nos intervalos, o clareamento caseiro. A duração do clareamento vai depender do resultado esperado, mas em média são quatro semanas”, comenta Juliana.

Sobre os valores dos tratamentos de uma forma geral, Frossard destaca que variam de acordo com o grau de dificuldade, tempo. “Mas podemos citar uma variável que vai de R$1.000 a R$3.000”, acrescenta.

É possível clarear os dentes em casa?

Foto: Getty Images

Foto: Getty Images

Muitas pessoas gostariam de poder clarear os próprios dentes em casa, sem a necessidade de optar por uma técnica profissional. Mas será que isso é possível e recomendado? Há riscos, por exemplo, em usar bicarbonato de sódio nos dentes? E água oxigenada? Alguns cremes dentais e enxaguantes bucais podem funcionar como clareadores? Tiras adesivas clareadoras são mesmo eficientes? Essas são as principais dúvidas sobre o tema e que, abaixo, os profissionais esclarecem.

Bicarbonato de sódio

Valéria explica que algumas pessoas usam o bicarbonato de sódio como pasta de dente para clarear os dentes. “Porém, ele não promove o mesmo clareamento como o que se faz em consultório, o bicarbonato apenas remove as manchas superficiais do esmalte”, diz. Além disso, há riscos no uso desse tipo de produto. “Se a pessoa usar com muita frequência, pode haver um desgaste do esmalte, podendo ocasionar sensibilidade dentinária”, acrescenta.

Água oxigenada

Juliana destaca que não é recomendado utilizar água oxigenada para clarear os dentes. “Essa substância pode alterar significativamente o pH da boca, causando lesões e agravando possíveis problemas já existentes, como gengivites e sensibilidade. Além disso, o uso sem o devido balanceamento pode resultar em dentes manchados e de aparência ainda mais incômoda do que o simples amarelamento”.

“Esse tipo de substância pode ser recomendado em alguns casos para pacientes com problemas como doenças periodontais, inflamações de gengivas graves, onde existem bactérias anaeróbias e o oxigênio contido no produto acaba ‘matando’ essas bactérias e ajudando na doença, mas isso dever ser sempre recomendado por um profissional”, esclarece Juliana.

Cremes dentais e enxaguantes bucais

Juliana lembra que cremes dentais são usados durante as escovações e “o gel clareador tem o tempo como um fator importante para o clareamento, só por isso dá para perceber que esses cremes dentais não vão ficar tempo suficiente para existir de fato um clareamento no dente”.

“O que normalmente acontece é que as empresas fazem um creme dental um pouco mais abrasivo, e aí faz como se fosse uma ‘esfoliação’ na parte de ‘fora’ do dente, removendo manchas extrínsecas, aquelas famosas causadas por corantes da dieta (como café, vinho etc.). Além disso, por ser inserido um composto chamado triclosan, tem um potencial de inibir a placa supragengival”, diz Juliana.

“Mas, é importante ressaltar que hoje o paciente desgasta mais o esmalte do dente por conta de uma escovação com uma força excessiva e, por isso, é muito importante evitar que esses cremes dentais mais abrasivos piorem ainda mais esses desgastes”, diz Juliana.

“Continuando na mesma linha de raciocínio, os enxaguantes bucais também não têm um resultado efetivo em termos de clareamento dental por também passarem um tempo muito curto na boca. E mesmo que tenham uma substância clareadora, a concentração tem que ser muito baixa para não prejudicar os tecidos gengivais”, destaca a dentista Juliana.

Tiras clareadoras

Juliana explica que tiras clareadoras são impregnadas normalmente com peróxido de hidrogênio. “São com princípios ativos dos clareamentos, porém, são feitas de forma universal, ou seja, não são personalizadas para cada paciente. Portanto, a fixação dela na boca pode ser prejudicada e, por isso, o efeito do clareamento pode ser insatisfatório, já que os outros tipos de clareamento são totalmente personalizados, garantindo o contato com o gel mais adequadamente no dente”, diz.

Tatiane ressalta que o desempenho das tiras depende de cada caso. “Para pacientes com um grau leve de escurecimento, elas podem apresentar um resultado satisfatório pois liberam oxigênio na coroa do dente promovendo uma ‘limpeza’ dos poros do esmalte”, explica.

Na galeria abaixo você confere alguns exemplos de tiras clareadoras, cremes dentais, enxaguantes bucais e outros produtos com a proposta de branquear os dentes. Mas, lembre-se: o ideal mesmo é utilizá-los somente se houver indicação do dentista.

Clareador Dental Oral-B por R$69,90 na <a href="http://www.netfarma.com.br/Produto/20547/clareador-dental-oral-b-3d-whitestrips" target="blank_">Netfarma</a>
Kit Colgate Luminous White por R$12,99 na <a href="https://www.drogariasaopaulo.com.br/index.php" target="blank_">Drogaria São Paulo</a>
Creme Dental Close Up Power White por R$2,30 na <a href="http://www.drogasil.com.br/DrogasilEcommWeb/detalheProduto.do" target="blank_">Drogasil</a>
Creme Dental Sorriso Xtreme White por R$3,51 na <a href="http://ad.zanox.com/ppc/?29468978C73122742&ULP=[[http://www.americanas.com.br/produto/116947335/creme-dental-sorriso-xtreme-white-4d-gel-90g?utm_source=zanox&utm_campaign=deeplink&utm_medium=cpa]]" target="blank_">Americanas</a>
Go Smile branqueamento dos dentes por R$244,75 na <a href="http://biovea.net/br/product_detail.aspx" target="blank_">Biovea</a>
Crest 3D White tiras branqueadoras por R$192,50 na <a href="http://biovea.net/br/product_detail.aspx" target="blank_">Biovea</a>
Enxaguatório Bucal Close Up por R$9,65 na <a href="http://www.netfarma.com.br/Produto/25522/enxaguatorio-bucal-close-up-diamond-attraction-delicate-fresh" target="blank_">Netfarma</a>
Clareador dental Whiteness Perfect por R$14,51 na <a href="http://magazinemedica.com.br/produtos/clareador-dental-16-c01-whiteness-perfect/" target="blank_">Magazine Médica</a>

Receitas caseiras

Além do uso de bicarbonato ou água oxigenada, algumas pessoas acreditam em “receitas caseiras” que podem ajudar a clarear os dentes. Seguem alguns exemplos:

  • Esfregar os dentes com a parte interna de uma casca de laranja durante aproximadamente 45 segundos.
  • Fazer uma “pasta” com uma colher (sopa) de levedura de cerveja, duas colheres (chá) de sal e um pouco de água. Depois, escovar os dentes com essa pasta como se fosse um creme dental.
  • Esfregar os dentes com a parte interna de uma casca de banana por aproximadamente dois minutos.

Frossard destaca, porém, que esses “métodos caseiros” são pouco efetivos. “Pois esses produtos não possuem um potencial clareador. Alguns são abrasivos e acabam polindo a camada externa, dando uma falsa impressão clareadora, mas, rapidamente a coloração volta ao normal”, diz.

Tatiane ressalta algumas dicas simples (e seguras) para manter os dentes mais brancos:

  1. Manter a boca sempre limpa;
  2. Não escovar os dentes com força;
  3. Utilizar sempre o fio dental;
  4. Parar de fumar;
  5. Reduzir o consumo de café, chás ou bebidas gasosas.

12 fatores que mancham os dentes e que você deve evitar

Foto: Getty Images

Foto: Getty Images

Apesar de existirem hoje técnicas eficientes e profissionais de clareamento dental, os bons resultados dependem também do paciente. Alguns hábitos, como fumar ou consumir café em excesso, por exemplo, mancham os dentes e, dessa forma, para ficar satisfeita, a pessoa precisaria refazer o clareamento dental com mais frequência.

Abaixo você confere fatores que devem ser evitados e alimentos/bebidas que devem ser consumidos com moderação, ajudando, assim, a manter dentes mais brancos:

  1. Cigarro;
  2. Café;
  3. Chás que contêm cafeína;
  4. Refrigerantes à base de cola;
  5. Vinho tinto;
  6. Suco de uva;
  7. Açaí;
  8. Shoyu;
  9. Ketchup;
  10. Molho de tomate;
  11. Mostarda;
  12. Deixar para escovar os dentes bem depois de ter comido ou bebido.

Vale ressaltar que as bebidas e os alimentos citados não são “proibidos”, a orientação é apenas consumi-los com moderação.

E o ideal é que seja feita a higienização da boca e dos dentes sempre após o consumo de alimentos e bebidas.

11 perguntas e respostas sobre clareamentos dentais

Foto: Getty Images

Foto: Getty Images

Abaixo os profissionais esclarecem as principais dúvidas sobre clareamentos:

1. Quem pode fazer clareamento dental?

Tatiane Buscarilli: Qualquer pessoa pode fazer clareamento. Porém, normalmente, pessoas que fumam não verão um resultado satisfatório, sendo necessário, pelo menos durante o tratamento, pararem de fumar. É necessário evitar também: chá, café, molhos de tomate, mostarda, ketchup e sucos/refrigerantes escuros (uva, morango, laranja, bebida de cola). E pacientes com outros tratamentos bucais a serem realizados, como presença de cáries, gengiva inflamada, dentes para tratamentos canal devem primeiro realizá-los, para depois iniciarem o clareamento.

Juliana Rossi: O clareamento deve ser indicado com cautela para pacientes muito jovens em função de uma polpa dental muito ampla e é importante observar radiografia. Para pacientes gestantes, é prudente evitar, já que não há dados suficientes que comprovem se tratar de um procedimento totalmente seguro durante a gestação. Os pacientes com muitas restaurações ou com trabalhos protéticos devem ser orientados quanto à necessidade de refazer os trabalhos após o clareamento já que os dentes vão clarear e os materiais restauradores não.

2. Depois de quanto tempo a pessoa pode repetir um tratamento de clareamento?

Valéria Baraldi: Normalmente pode se repetir o clareamento após um ano do tratamento realizado, porém, a manutenção do clareamento depende dos hábitos alimentares do paciente.

3. Há limites de quantas vezes a pessoa pode fazer o clareamento no consultório odontológico?

William Frossard: É recomendado que o clareamento seja feito com intervalos. O resultado do clareamento pode durar até cinco anos, porém, depende dos hábitos e higiene do paciente e da assiduidade com o qual comparece ao consultório dentário.

4. Quais cuidados devem ser tomados após um clareamento?

William Frossard: Os cuidados a serem tomados após o clareamento são os mesmos para manter uma boca saudável, como escovar os dentes no mínimo três vezes ao dia; passar o fio dental; fazer revisões periódicas ao dentista; preferir alimentos saudáveis no lugar de alimentos industrializados e com corantes.

5. Após o tratamento, a pessoa pode comer de tudo?

Valéria Baraldi: No dia em que é feito o clareamento e no dia seguinte, o paciente não deve ingerir alimentos que contenham muitos corantes, como café, refrigerantes, vinho tinto, ketchup, shoyu etc.

6. O clareamento dental caseiro (técnica) é seguro?

William Frossard: O clareamento dental caseiro é um procedimento seguro, desde que seja feita sob a orientação de um profissional, pois podem ocorrer reações adversas, como inflamação gengival e sensibilidade dentária. O clareamento não é efetivo para restaurações presentes. Em alguns casos, após o clareamento, existe a necessidade de trocar essas restaurações.

7. O tratamento pode causar algum desconforto/dor?

Valéria Baraldi: Alguns pacientes sentem sensibilidade no dia em que é feito o clareamento, mas essa sensibilidade desaparece no dia seguinte ao tratamento. Mas também alguns pacientes não sentem sensibilidade.

8. Pessoas com implantes podem fazer o clareamento?

Juliana Rossi: Pessoas que tem implantes podem fazer clareamento desde que esteja planejada a troca da coroa sobre implante, já que porcelanas ou resinas não clareiam com o clareamento.

9. O clareamento pode “gastar” o dente?

Juliana Rossi: O gel clareador não desgasta o dente, visto que é um processo químico por difusão.

Tatiane Buscarilli: Os agentes clareadores agem abrindo os poros do esmalte dental para a remoção das pigmentações. O excesso de exposição do dente ao agente clareador pode provocar danos como o desgaste do esmalte dental.

10. Quais são as diferenças entre os tratamentos disponíveis nos mercados/farmácias (como tiras clareadoras) e o tratamento realizado pelo dentista?

Valéria Baraldi: As concentrações dos géis usados pelos dentistas são bem mais altas do que as fitas que são vendidas em farmácias e mercados. Consequentemente, o resultado do clareamento profissional é muito melhor que os clareamentos vendidos em farmácias e mercados.

Tatiane Buscarilli: Nenhum tratamento sem a supervisão de uma profissional da área é tão efetivo quanto os procedimentos realizados com uma correta indicação e execução de um dentista. Os métodos populares são válidos, porém, em muitos casos, não são tão efetivos.

11. Qualquer pessoa vai ficar com os dentes brancos após fazer clareamento?

Juliana Rossi: Infelizmente nem todas as pessoas ficam com dentes brancos, simplesmente porque não se pode comparar um sorriso com o outro, porque, além do tom de branco, existem também dentes mais “translúcidos” que são mais “transparentes” e, assim, refletem menos luz e absorvem mais luz, os tornando mais “acinzentados ou azulados”. Outro problema de difícil resolução é para casos de manchas causadas por tetraciclina (antibiótico), nesses casos, os dentes são bem acinzentados e com resultados medianos com clareamento… Às vezes é preciso indicar facetas laminadas para conseguir dar um sorriso branco e harmônico ao paciente. Em outras situações, como amelogênese imperfeita, fluorose, que são doenças que acometem o esmalte dental, o clareamento também pode não ser sozinho suficiente, sendo assim também indicado tratamento com facetas laminadas.

Tatiane Buscarilli: Tudo depende da técnica adotada e se a indicação do tipo de clareamento foi correta. Em um paciente com hábitos de higiene saudáveis, se aconselha o retoque do clareamento a cada dois anos.

Agora, provavelmente, você esclareceu suas principais dúvidas sobre clareamento dental. Se estiver interessada em fazer, converse sobre as possibilidades com seu dentista. E lembre-se: é preciso também ter bons hábitos para garantir dentes mais brancos e bonitos.

Dicas pela Web