Cicatrizes: conheça as novidades para suavizá-las

Você não precisa ficar sofrendo tanto com as temidas cicatrizes, há tratamentos poderosos que recuperam sua pele em até 90%

Escrito por Daniela Hueb

Foto: Thinkstock

Quando uma cicatriz começa a surgir, saiba que esse é um bom sinal. Isso mesmo: significa que o tecido que foi lesado está se recuperando. Algumas cicatrizes são imperceptíveis (quando a lesão é leve, por exemplo, cortes e pequenos machucados), mas algumas ficam bem evidentes (depois de cirurgias, queimaduras e lesões mais graves), essas são conhecidas como hipertróficas, já que a pele produz excesso de colágeno na recuperação, gerando um certo relevo.

Há também os queloides, que é uma cicatriz que não consegue parar de crescer e às vezes fica maior até que a própria lesão que a originou. O motivo? Também pelo excesso de colágeno produzido, a diferença é que o queloide está relacionado a fatores raciais.

A cicatriz some totalmente com os tratamentos?

Apesar de uma cicatriz não desparecer por completo, a boa notícia é que você consegue amenizar sua cicatriz em até 90%, dependendo do caso e do tratamento escolhido por seu dermatologista.

As opções mais poderosas contra as cicatrizes

Lasers: o tipo fracionado de CO2 e o laser de diodo fracionado são ótimas opções para ajudar a sua cicatriz a quase desaparecer. A técnica consiste em uma dermoabrasão da pele, que funciona como se lixasse o tecido lesionado, fazendo com que ocorra um nivelamento da pele.

Radiofrequência: por não ser laser, ela pode ser aplicada em todos os tipos de pele, inclusive a negra, e pode tratar também estrias, que também são cicatrizes. A técnica também é conhecida como betaterapia.

Preenchimento: consiste em elevar a pele que está comprometida e apresenta certa depressão com a aplicação de preenchedores, que podem ser permanentes (metacrilato) ou não (ácido hialurônico). Os não-permanentes duram cerca de seis meses e é preciso reaplicá-los.

Microenxertos: assim como o preenchimento, a ideia é nivelar a pele do paciente, mas neste caso os microenxertos são feitos com a própria pele do paciente (que pode ser retirada de trás da orelha) e são definitivos.

Cirurgia: também é possível remover cicatrizes com técnicas cirúrgicas, mas não para qualquer cicatriz: ela precisa ser mais larga, profunda e, até mesmo, mais antiga. Normalmente, é usado para casos mais graves de queimaduras ou acidentes.

E quanto aos queloides?

Existem diversas opções de tratamento para o queloide, porém com sucesso variável. A maioria dos dermatologistas combina tratamentos, que causam mais efeito. Os principais são fitas adesivas (que comprimem o quelóide para reduzir seu volume), infiltrações de medicamentos com corticóide, além de retirá-lo com cirurgia plástica, seguida de radioterapia, para diminuir a possibilidade de voltar a crescer.

Todo cuidado deve ser tomado desde o começo

Assim que a lesão surgir ou forem retirados os pontos do seu machucado, já é necessário começar a cuidar da possível cicatriz. O básico é seguir os procedimentos que seu dermatologista lhe passar, pois só ele conhece sua pele e sabe como ela responderá.

Normalmente, a indicação é de que você mantenha a pele sempre hidratada para aliviar o prurido (coceira) que a cicatrização causa, não ceder à tentação de coçar, pois pode agravar a cicatriz, além disso podem ser receitados corticóides ou anti-histamínicos de via oral, quando a coceira é intensa.

O fato é que não vale descuidar nem usar produtos que não sejam prescritos pelo seu médico, mais pra frente você pode se arrepender.

Assuntos: Pele

Para você