Cicatrizes: causas, tipos e tratamentos

As marcas em sua pele não precisam mais tirar sua vontade de olhar no espelho, conheça os tratamentos mais indicados

Escrito por Daniela Hueb

Foto: Thinkstock

As cicatrizes surgem por vários motivos, dos mais simples como um machucado na pele (que criança nunca caiu da bicicleta e ganhou uma marquinha, não é mesmo?), uma marca de vacina, a mania (terrível) de espremer espinhas, aos mais graves, como queimaduras, acidentes e cirurgias.

O fato é que qualquer ferimento que apareça na epiderme (a parte mais externa da pele) ou na derme (a camada logo abaixo da epiderme) pode resultar numa cicatriz. E, apesar de muita gente ficar incomodada com a aparência da cicatriz, vale lembrar que elas são uma parte importante da cura, afinal, são formadas por um tecido mais fibroso (por isso a aparência diferente) que fica no lugar da pele danificada.

Diferentes tipos de cicatrizes

Cicatrizes atróficas: São mais comuns e independem de fatores genéticos, aparecem por conta da perda de estruturas que dão apoio e firmeza à pele, como músculo e gordura, e deixam uma espécie de buraco (relevo) na pele. Costuma ser uma cicatriz mais frequente nos casos de acne, cirurgia e acidentes.

Cicatrizes hipertróficas: Esse tipo acontece quando nosso corpo produz colágeno em quantidades anormais e de um jeito desorganizado, o que faz com que a cicatriz fique com uma textura mais elevada em relação à pele que está ao redor. É mais rara de acontecer, tem componentes hereditários e muita gente confunde com a queloide.

Queloides: É a cicatriz que não para de crescer, ela inclusive vai além dos limites iniciais da própria lesão. Este crescimento desregulado deve-se ao fato de o corpo não parar de produzir colágeno novo e está muitas vezes relacionado a fatores de raça (é mais comum em orientais) e genéticos.

Normotrófica: Nesse caso, a pele ganha o aspecto e consistência bem parecidas com o da pele antes do ferimento. Por isso, acontece após machucados bem simples, que não agridam tanto.

Os tratamentos

Eles evoluíram bastante: hoje existem vários tipos, de procedimentos mais simples a microcirurgias e é possível melhorar bastante o local danificado, até ao ponto da cicatriz se tornar quase imperceptível. Só é preciso ter consciência de que cicatrizes muito extensas e profundas dificilmente vão desaparecer por completo. Os tratamentos mais satisfatórios são:

  • Via laser: ele esquenta a camada superficial da pele, a epiderme e parte da derme, removendo assim as camadas mais afetadas, o que permite expor novas e mais naturais camadas de pele.
  • Microdermoabrasão: aqui, o dermatologista lixa a pele, controlando a profundidade que acha necessária e remove as camadas da pele mais afetadas.
  • Peelings: existem vários tipos. O químico, que através da aplicação de uma solução química sobre a pele, “destrói” a epiderme de forma controlada, levando à esfoliação e combate a determinadas condições de pele incluindo cicatrizes de acne. Há também o peeling de cristal, que pulveriza pequenas partículas de cristais sobre pele, também removendo de forma delicada a derme, para que uma nova camada de pele, mais lisa, surja. O seu dermatologista é o único profissional indicado para avaliar o melhor tipo para o seu caso.
  • Preenchimento: o mais comum é com ácido hialurônico, que aumentam o volume do local com a intenção de deixar a cicatriz ao mesmo nível da pele circundante. É um tratamento temporário e algum tempo depois necessita de ser repetido.
  • Cirurgia: ela só indicada para casos de cicatrizes mais largas e profundas. Melhora bastante a aparência das cicatrizes, já que os cirurgiões dermatológicos utilizam diversas técnicas cirúrgicas para tornar a cicatriz menos evidente.

A eficácia dos tratamentos para amenizar cicatrizes

O resultado dos tratamentos depende do nível da sua cicatriz e de como sua pele responde ao procedimento. É necessário marcar com o dermatologista da sua confiança. Ele vai avaliar qual o tipo de cicatriz que você tem, o estado da cicatriz, bem como o tempo que ela tem e, assim, determinar os métodos que podem ser mais eficazes para amenizar sua cicatriz.

A verdade é que conviver com cicatrizes é difícil, olhar-se no espelho pode virar um sacrifício. Hoje em dia, boa aparência é sempre levada em conta. Por isso, corra logo atrás de um bom tratamento. Nem todas as cicatrizes somem 100%, mas podem ser muito amenizadas, deixando você se sentir mais livre e de bem com o espelho.

Assuntos: Pele

Para você