Dicas de Mulher Dicas de Saúde

Chikungunya: doença é semelhante à dengue, mas raramente leva à morte

A transmissão ocorre através da picada de mosquitos infectados com o vírus, por isso é essencial ter medidas de precaução similares em relação às da dengue

em 17/10/2014

Foto: Thinkstock

Foto: Thinkstock

Chikungunya pode ser resumida como uma doença causada por um vírus e transmitida por mosquitos, com sintomas muito parecidos com os da Dengue.

É curioso saber que a palavra “Chikungunya” significa “aqueles que se dobram” em swahili, um dos idiomas da Tanzânia, e se refere à aparência curvada dos pacientes que foram atendidos na primeira epidemia documentada, na Tanzânia, no leste da África, entre os anos de 1952 e 1953.

Chikungunya x dengue

Alberto Chebabo, infectologista do Lavoisier Medicina Diagnóstica, explica que Chikungunya ou Chikungunha é uma doença viral aguda transmitida pelo mesmo mosquito transmissor da dengue. Tem quadro clínico semelhante ao da dengue, com febre e dor de cabeça.

“Mas, diferentemente da dengue, onde há dor muscular generalizada, na febre Chikungunha, há dor articular intensa. Ambas são doenças febris agudas. A principal diferença é que na dengue, a dor é principalmente muscular, enquanto que na Febre Chikungunha, a dor é principalmente articular. Além disso, a Chikungunha apresenta menos complicações hemorrágicas do que a dengue, mas pode evoluir com dor articular crônica, às vezes incapacitante, com duração de até três anos em alguns casos. A febre Chikungunha não tem mortalidade como na dengue, mas pode levar a quadros mais prolongados de doença”, destaca o infectologista Chebabo.

Como ocorre a transmissão da Chikungunya?

Foto: Thinkstock

Foto: Thinkstock

Max Igor Banks Ferreira Lopes, médico infectologista do Hospital Santa Catarina e do HCFMUSP, explica que a transmissão da Chikungunya ocorre através da picada de mosquitos infectados com esse vírus. “As principais espécies relacionadas à transmissão são o Aedes aegypti e o Aedes albopictus, os mesmos também envolvidos com a transmissão da dengue”, destaca.

O médico infectologista Lopes acrescenta que também pode existir transmissão entre o sangue de pessoas infectadas e suscetíveis, como em um acidente laboratorial ou de coleta.

“E finalmente é possível a transmissão intraútero da mãe para o feto, ou durante o momento do parto, caso a mãe esteja infectada”, destaca o médico infectologista Max Lopes.

Sintomas da Chikungunya

Max Lopes destaca que a maior parte das pessoas infectadas apresenta sintomas. “Após período de 3 a 7 dias, há início súbito de febre e dor articular difusa. A dor articular pode ser muito intensa a ponto de limitar as atividades do dia a dia”, explica.

Outros sintomas, ainda de acordo com o médico infectologista, são:

  • Dor de cabeça;
  • Conjuntivite;
  • Náuseas e vômitos;
  • Artrite;
  • Erupção na pele.

O infectologista Alberto Chebabo acrescenta que os sintomas da Febre Chikungunya normalmente melhoram em uma semana.

Diagnóstico da Chikungunya

Foto: Thinkstock

Foto: Thinkstock

Alberto Chebabo explica que o diagnóstico é feito através da detecção do vírus por meio do exame de PCR (Proteína-C Reativa, um exame que mede inflamação) ou pela sorologia que, como na dengue, positiva no final da primeira semana de doença.

Tratamento da Chikungunya

Fábio Castelo Branco, biólogo e diretor da Astral Saúde Ambiental, destaca que o tratamento é sintomático. “Ou seja, infelizmente não existe cura ou vacina ainda”, diz.

Alberto Chebabo reforça que, assim como no caso da dengue, não existe medicação específica contra o vírus. “A recomendação é a utilização de medicações sintomáticas para controle da febre e da dor. É importante que o paciente faça repouso e a ingestão de bastante liquido para evitar a desidratação”, acrescenta.

De acordo com Max Lopes, a doença geralmente se resolve entre 7 e 10 dias. “Casos graves são raros”, afirma.

Como se prevenir da Chikungunya

Foto: Thinkstock

Foto: Thinkstock

O biólogo Fábio Castelo Branco destaca que os cuidados para se prevenir da Chikungunya são os mesmos recomendados para a caso da dengue: usar repelente e eliminar os focos do mosquito, se protegendo, assim, da picada.

O médico infectologista Lopes reforça que a prevenção está relacionada a medidas para redução da chance de picadas pelos mosquitos infectados. “Assim, o uso de repelentes, calças e blusas de mangas compridas e telas mosquiteiros ajudam no sentido de reduzir a chance de infecção nas áreas de risco”, destaca.

Neste sentido, seguem algumas dicas gerais de prevenção:

  • Use repelente (em locais onde você está sujeita a picadas);
  • Use calças e blusas de mangas compridas (em locais onde você está sujeita a picadas);
  • Use telas mosquiteiros;
  • Mantenha a caixa d’água bem fechada;
  • Não acumule vasilhames no quintal;
  • Verifique se as calhas não estão entupidas;
  • Coloque areia nos pratos dos vasos de planta, entre outras iniciativas que visem a eliminação dos criadouros dos mosquitos.

Cenário da Chikungunya no Brasil

Foto: Thinkstock

Foto: Thinkstock

O Ministério da Saúde atualizou recentemente a situação do vírus Chikungunya no Brasil. Foram confirmados, por meio de exames laboratoriais, 79 casos de Febre Chikungunya no Brasil até o dia 27 de setembro de 2014.

Deste total, 38 casos são importados de pessoas que viajaram para países com transmissão da doença, como República Dominicana, Haiti, Venezuela, Ilhas do Caribe e Guiana Francesa. Os outros 41 casos foram diagnosticados em pessoas sem registro de viagem internacional para países onde ocorre a transmissão.

Comentários
Dicas relacionadas