CBD: substância extraída da Cannabis com grande potencial terapêutico

Escrito por                    
Atualizado em 22.06.22

iStock

Por
Atualizado em 22.06.22

Extraído da Cannabis, o CBD pode ser utilizado no tratamento de doenças como epilepsia, fibromialgia, Alzheimer e Parkinson. Entretanto, o seu uso pode gerar alguns questionamentos sobre os efeitos no organismo. A seguir, confira a explicação da Dra. Laís Franciele Portela (CRM-BA 31512) sobre essa substância.

Publicidade

O que é CBD

Segundo Laís, CBD ou canabidiol é “apenas um dos fitocanabinoides presentes na Cannabis, já que há mais de 100 tipos diferentes desses compostos químicos”. A Dra. explicou que existem 3 espécies dessa planta, são elas: a Cannabis sativa (mais conhecida dentre todas), Cannabis indica e Cannabis ruderalis.

A médica contou que além do canabidiol, a Cannabis possui outras substâncias com efeitos medicinais, como, por exemplo, “o THC (delta 9-tetrahidrocanabinol), que apesar de muito temido, também possui propriedades terapêuticas importantíssimas. Assim como os terpenos, os flavonoides, os alcaloides e outras que ainda estão sendo alvo de pesquisas”.

A canabidiol é indicado para quais tratamentos?

iStock

O uso medicinal do canabidiol é diverso. Ele pode “ser utilizado para tratamento de dor crônica, insônia, epilepsia, autismo, ansiedade, depressão, fibromialgia, Alzheimer, doença de Parkinson, doenças de pele, auxiliar em cuidados paliativos e outros”. Segundo a Dra., isso só é possível devido à combinação dos efeitos do CBD, THC e outras substâncias presentes na Cannabis.

Benefícios do CBD para a saúde

“O CBD possui efeitos terapêuticos bem documentados como ansiolítico (para ansiedade), anticonvulsivante, anti-inflamatório, anti-oxidante, antipsicótico e antidepressivo. Já o THC também possui potencial anti-inflamatório, além de servir como antiemético (para náuseas e vômitos), analgésico, anticonvulsivante, estimulador do apetite, relaxante muscular, ansiolítico e indutor do sono”, explicou Laís.

Apesar de efeitos semelhantes, essas substâncias apresentam algumas diferenças: “o THC pode ter efeito psicoativo, já o CBD não; o THC estimula o apetite, já o canabidiol pode inibir; o THC é indutor do sono, já o CBD induz a vigília”. Dessa forma a escolha do tipo de produto e o ajuste da dose vai depender conforme a necessidade do paciente.

Efeitos colaterais da canabidiol

iStock

Segundo a Dra. Laís, “os produtos medicinais à base de Cannabis apresentam um grande perfil de segurança terapêutica. Entretanto, (…) pode apresentar efeitos tóxicos quando se há um excesso na dosagem”. Confira abaixo quais são esses efeitos:

Publicidade

  • Sonolência excessiva;
  • Prostração;
  • Tontura;
  • Dor de cabeça;
  • Queda da pressão arterial;
  • Boca seca;
  • Taquicardia.

“Os produtos medicinais à base de Cannabis, feitos com extratos de planta completo, costumam apresentar menos efeitos colaterais do que as formulações isoladas”. Além disso, a médica complementou dizendo que esses efeitos, quando presentes, são comuns no “período de ajuste de dose no início do tratamento e são amenizados ao longo das semanas”. Assim, ela destacou a importância consultar um médico especializado para propor um tratamento e análise individualizado ao paciente.

Onde comprar o CBD

No Brasil, para comprar um produto medicinal à base de Cannabis, “é necessário passar por uma consulta com um médico prescritor, que adequará a prescrição à sua necessidade de saúde”, explicou a Dra. A partir disso, é possível obter o produto por meio de importações, farmácias ou associações cannábicas.

O uso de CBD é regulamentado pela ANVISA, que em 2019 publicou uma resolução (RDC 327/19) concede a autorização sanitária para a fabricação e importação de produtos à base de Cannabis(1). “Essa resolução estabelece requisitos para a comercialização, prescrição, dispensação, monitoramento e a fiscalização de produtos de Cannabis para fins medicinais”, reforçou a médica.

Gostou de saber mais sobre o uso do canabidiol para a saúde? Aproveite e confira os benefícios da Ginko biloba para o organismo.

As informações contidas nesta página têm caráter meramente informativo. Elas não substituem o aconselhamento e acompanhamentos de médicos, nutricionistas, psicólogos, profissionais de educação física e outros especialistas.