Botox pode ser usado em tratamentos terapêuticos

A toxina botulinica, que é aliada das mulheres em tratamentos estéticos, pode amenizar espasticidade

Escrito por Juliana Cazarine

Foto: Thinkstock

Rugas e linhas de expressão denunciam a idade de qualquer mulher, principalmente daquelas que já passaram dos 30 anos. Para reverter a situação, elas apelam para a milagrosa toxina botulínica, mais conhecida como botox, que impede a contração dos músculos, nesse caso do rosto, e, portanto, é capaz de paralisá-los. É justamente por causa dessa função que o botox pode ser usado também para tratamentos terapêuticos de doenças neurológicas e musculares.

Falar em botox para tratamento terapêutico ainda causa estranheza, mas a prática é recomendada há mais de 20 anos para amenizar o quadro de espasticidade, que é o aumento do tônus muscular – estado de tensão do músculo que deflagra contrações -, próprio de patologias relacionadas a distúrbios neurológicos, um dos maiores obstáculos para a reabilitação neurológica.

“A toxina botulínica pode amenizar sintomas ou sequelas de doenças relacionadas à rigidez muscular, como estrabismo, acidente vascular cerebral – AVC, espasmos hemifaciais e, até mesmo, hiperidrose”, afirma o neurolista do Centro de Bloqueio Neuromuscular do Hospital Santa Cruz, Cristiano Milani.

O grande segredo da ação terapêutica é o relaxamento muscular. ”Através da ação do botox nos músculos, é possível melhorar atividades funcionais, diminuir dores e reduzir o risco de infecções em pacientes nos quais a paralisação de alguns músculos pode ser benéfica”, diz Doutor Milani. Pode-se esperar também que o paciente tenha maior controle dos músculos comprometidos e uma diminuição na incidência de contrações involuntárias.

A aplicação pode ser feita de 4 em 4 ou 6 em 6 meses, enquanto durar o efeito do botox. No entanto, só pode ser usada sob recomendação e orientação médica. Após determinado período de aplicação do botox, que vai variar de acordo com cada organismo, pode ser até que o paciente diminua a quantidade de medicação tomada via oral ou ainda tenha a possibilidade de adiar intervenções cirúrgicas.

O tratamento terapêutico com a toxina botulínica também é recomendado para crianças. Inclusive, quanto mais jovem for o paciente, mais eficaz o tratamento pode ser. Crianças com qualquer déficit motor, que pode ser causado por anoxia neonatal (falta de oxigenação no cérebro depois do nascimento), traumatismos cranianos ou infecções como meningite e encefalites, podem se submeter ao processo.

Dicas pela Web