8 motivos para você aumentar o consumo de azeite de oliva

Consumido como tempero ou em jejum, o azeite de oliva protege o cérebro e o coração

Escrito por Raquel Praconi Pinzon

Foto: iStock

Você já deve ter ouvido falar na dieta mediterrânea, inspirada na alimentação típica de regiões como o sul da Itália, o sul da Espanha e a Grécia. Nesses locais, mesmo consumindo alimentos ricos em gordura, as pessoas apresentam menores índices de doenças cardiovasculares.

O segredo para isso está no fato de que as gorduras da dieta mediterrânea são essencialmente benéficas para o nosso organismo – e um dos principais alimentos desse cardápio é o azeite de oliva, muito utilizado em diversas preparações.

Abaixo, você vai descobrir oito motivos para aumentar o consumo de azeite de oliva no seu dia a dia, seja ele utilizado como tempero para saladas e peixes, como ingrediente de pastas à base de grãos ou mesmo ingerido em jejum. Vale lembrar que o azeite de oliva extravirgem, que é a versão menos processada, conserva melhor suas propriedades benéficas.

1. Ajuda a prevenir o câncer

Foto: iStock

As azeitonas e o azeite de oliva contêm antioxidantes, como os acteosídeos, o tirosol e os ácidos fenilpropriônicos, que combatem os danos causados pelos radicais livres no DNA da célula. Além disso, eles também fornecem componentes como o esqualeno e os terpenoides, que exercem atividade anticancerígena(1).

2. Contribui com a beleza

Foto: iStock

Apesar de ser bastante comum utilizar o azeite de oliva direto na pele, unhas e cabelos, a ingestão desse alimento também é benéfica para a beleza – talvez até mais do que a aplicação tópica. O consumo do azeite de oliva por via oral ajuda a prevenir e tratar a acne e o ressecamento da pele, além de acelerar o crescimento do cabelo e fortalecer as unhas.

Leia também: Como escolher o azeite na hora da compra

3. Faz um detox no fígado

Foto: iStock

O azeite de oliva é um excelente agente de limpeza para o fígado, o órgão responsável pelo nosso metabolismo e por controlar praticamente todos os outros órgãos de forma direta ou indireta. Justamente por isso, às vezes ele pode ficar sobrecarregado e precisar de um detox.

Para isso, recomenda-se consumir diariamente uma colher de sopa azeite de oliva misturada com meia colher de suco de limão, que ajuda a potencializar o efeito desintoxicante.

4. Fortalece a imunidade

Foto: iStock

O azeite de oliva é rico em ácidos graxos que ajudam a fortalecer nosso sistema imunológico, mas sem aumentar a atividade inflamatória do organismo, o que poderia levar a doenças autoimunes (2).

Pareceu confuso? Vamos entender: nosso sistema imunológico precisa estar preparado para detectar e destruir microrganismos causadores de doenças. Contudo, se a atividade desse sistema estiver muito exacerbada, as células de defesa podem começar a atacar agentes inofensivos (como um grão de pólen, causando rinite) ou estruturas saudáveis do corpo (como as articulações, causando artrite).

A vantagem do azeite de oliva nessa história toda é que ele regula o sistema imunológico e fortalece as defesas contra vírus e bactérias, mas sem aumentar a atividade inflamatória.

Leia também: Sal de ervas: menos sódio, mais saúde e sabor para seus pratos

5. Contribui com a saúde do coração

Foto: iStock

Você já ouviu falar que o azeite de oliva faz bem para o coração? Isso acontece porque ele é rico em gorduras saudáveis, como o ômega 3. Dessa forma, ele contribui para aumentar os níveis do colesterol bom (HDL) e reduzir os níveis do colesterol ruim (LDL) (3).

Em consequência, o azeite de oliva reduz a tendência ao acúmulo de placas de gordura nas artérias, as quais poderiam se romper e bloquear o fluxo sanguíneo, a principal causa de infartos e acidentes vasculares.

6. Combate à dor

Foto: iStock

Estudos feitos em ratos demonstraram que o azeite de oliva extravirgem tem propriedades analgésicas e anti-inflamatórias e é capaz de potencializar o efeito de medicamentos como o ibuprofeno (4, 5).

Os resultados ainda não foram comprovados em seres humanos, mas essas pesquisas indicam que uma dieta contendo azeite de oliva pode contribuir para menores níveis de dor e inflamação crônicas.

7. Ajuda a controlar os níveis de açúcar no sangue

Foto: iStock

Alguns estudos científicos demonstram que incluir o azeite de oliva nas refeições ajuda a reduzir os níveis de glicose no sangue logo após a alimentação, o que poderia evitar um agravamento de quadros de diabetes (7, 8).

Leia também: 7 alimentos que ajudam a prevenir o câncer de cólon

Além disso, junto com a redução dos níveis de colesterol ruim, diminuir a concentração de açúcar no sangue também é um fator de proteção do coração e do sistema cardiovascular.

8. Protege as funções cerebrais

Foto: iStock

O azeite de oliva extravirgem é rico em polifenóis, antioxidantes que têm sido relacionados à prevenção e reversão de déficits de memória e aprendizagem causados pelo avanço da idade ou por doenças cerebrais degenerativas (9).

Dessa forma, uma dieta com quantidades significativas de azeite de oliva pode ajudar a melhorar a capacidade de retenção de novas informações e prevenir o surgimento de doenças cerebrais como demência senil, mal de Alzheimer e mal de Parkinson.

Agora você sabe por que a dieta mediterrânea é tão famosa por seus benefícios para a saúde: boa parte das vantagens trazidas por esse tipo de alimentação está no uso do azeite de oliva!

Além de dar preferência a esse ingrediente para temperar suas saladas e outros pratos (e deixar molhos gordurosos de lado), você também pode experimentar o truque de consumir uma colher de sopa da versão extravirgem em jejum. Observe os efeitos no seu organismo e depois conte para a gente nos comentários.

Leia também: 15 alimentos ricos em prebióticos que você deveria incluir na sua alimentação

Assuntos: Alimentação

Para você