Azia na gravidez: remédios naturais e dicas para combater esse incômodo

Escrito por Mariana Bueno

Foto: iStock

A azia é uma sensação de queimação no estômago. Esse incômodo é comum durante a gravidez, especialmente a partir do segundo ou terceiro trimestre. Muita gente diz que isso pode estar associado ao fato de o bebê ter muito cabelo, o que não passa de um mito sem nenhum tipo de comprovação.

A principal causa da azia é o excesso do hormônio progesterona, que faz com que o útero tenha a musculatura relaxada para comportar o bebê, mas acaba relaxando também o músculo que fecha a divisão entre estômago e esôfago. Assim, o ácido gástrico retorna para o esôfago. Outro fator que contribui é o desenvolvimento do bebê que, ao crescer, diminui o espaço entre os órgãos no abdômen, comprimindo o estômago.

Os hábitos alimentares também podem contribuir para que a azia aconteça. Por isso é importante consumir itens saudáveis. Veja dicas simples que podem ajudar a melhorar esse quadro.

Como evitar azia na gravidez

Foto: iStock

Por conta do crescimento do bebê, a azia na gravidez é bastante comum, mas existem alguns fatores que intensificam esse desconforto. Por isso, fique atenta a esses pontos:

  • Coma várias vezes ao dia, com pequenas porções de cada vez.
  • Inclua frutas como maçã, pera, pêssego e manga na sua alimentação diária.
  • Mastigue bem os alimentos e evite ingerir líquidos durante as refeições.
  • Depois de comer, fique sentada por 30 minutos.
  • Fuja das roupas que apertam a barriga ou o estômago.
  • Evite sucos industrializados, refrigerantes, café e alimentos como chocolate, pimenta, maionese e mostarda.
  • Não coma por pelo menos 2h antes de dormir e coloque um calço na cabeceira da cama para que o corpo não fique totalmente na horizontal.

Se o incômodo persistir, uma das formas naturais de aliviar é tomando um copo de leite, preferencialmente desnatado. Outra dica é comer uma maçã com casca ou um biscoito do tipo cream cracker. Esses alimentos fazem com que o conteúdo gástrico volte para o estômago.

Leia também: 20 coisas que só mulheres grávidas vão entender

Em casos mais sérios e/ou frequentes, uma consulta médica é importante para que possa ser prescrita a medicação adequada, sem oferecer riscos à gestante e ao bebê.

Assuntos: Gravidez

Para você