Aprenda a lidar com os adolescentes de forma amigável

Saiba como descobrir mais sobre a vida pessoal dos seus filhos sem invadir a privacidade deles

Escrito por Juliana Cazarine

Depois que tem filhos, nenhuma mulher consegue dormir tranquilamente por uma noite inteira. Só quem é mãe sabe que amizades, maus hábitos e pequenos atos de rebeldia são motivos para preocupação, e não apenas uma “fase” que passa logo, como dizem os parentes mais próximos. E conforme as crianças crescem e se tornam adolescentes, a atenção dos pais dedicada a manter controle sobre os filhos também cresce.

Nessa fase, a simples rotina de ir a escola causa desespero entre a família, a pedagoga Arlete Codo explica o porquê: “Durante a adolescência, o círculo de amizades começa a aumentar. E com medo do que o mundo fora de casa pode oferecer, a mãe começa a se perguntar: ‘com quem o meu filho está se enturmando?’.”

Depois da puberdade, que é quando o corpo da criança começa a desenvolver glândulas sexuais, começa a adolescência, segundo a Organização Mundial de Saúde – OMS, a partir dos 10 anos. Essa evolução desencadeia mudanças físicas e, com a descoberta do próprio corpo, começam as mudanças comportamentais. Por esse motivo, é natural que os adolescentes fiquem mais sigilosos com suas experiências fora de casa.

Mas, quando os pais percebem esse comportamento reservado, é natural que passem a utilizar métodos para descobrir mais sobre a vida pessoal do filho, o que não é errado, mas demanda cuidado para não afastá-lo ainda mais. “Os pais podem mexer nas coisas dos filhos, mas quando eles não estiverem presentes. Caso contrário, eles se sentirão pressionados”, comenta a pedagoga.

Todo adolescente, e até mesmo as crianças, precisam ter privacidade. É claro que não se pode deixá-los livres para fazer o que quiserem. Existe um limite que os pais devem respeitar. Para acompanhar a rotina dos filhos sem pressioná-los, algumas ações são fundamentais. Acompanhe abaixo:

  • Deixe o computador em uma área comum da casa, como a sala, por exemplo. Não precisa ficar atrás do filho enquanto ele estiver na internet. Afinal, ele irá pensar duas vezes antes de fazer qualquer coisa errada sabendo que os pais podem entrar a qualquer momento;
  • Quando seu filho quiser sair com os amigos, deixe. Mas leve-o e busque-o. É importante que o adolescente saiba que tem liberdade, mas que ela tem limites;
  • Não permita que o filho não te deixe ter acesso ao quarto dele. Ele tem que saber que, apesar de lá ser o cantinho dele, faz parte da casa e, portanto, pertence a todos. Assim, quando for limpar ou arrumar o ambiente, vasculhe armários e objetos, sem que o adolescente veja e perceba, é claro.

A melhor forma de interagir com o filho adolescente e saber sobre sua vida, seus anseios e suas amizades é a conversa. Um bom diálogo é a base de uma relação estável. Nunca interrogue o seu filho, como explica a pedagoga Arlete Codo: “O foco principal do diálogo com o filho é mostrar o caminho do bem e do mal de maneira amiga, sempre frisando as consequências dos maus atos.

Dicas pela Web