Anemia na gravidez: o que é, quais os sintomas e como tratar

Escrito por
Em 17.08.20

iStock

Embora comum e, muitas vezes, assintomática, a anemia na gravidez deve ser acompanhada e rapidamente tratada. Dessa forma, é possível evitar potenciais riscos à saúde da gestante e do bebê. Consultamos a ginecologista e obstetra Dra. Karina Tafner (CRM 118066), que explicou quais os sintomas, os riscos para o bebê e como tratar o problema. Acompanhe na matéria!

Continua após o anúncio

O que é anemia e por que aparece na gravidez?

iStock

A ginecologista informa que, “de acordo com os dados da Organização Mundial de Saúde (OMS), a anemia é a condição na qual o número de células vermelhas do sangue e a sua capacidade de transporte de oxigênio são insuficientes para atender às necessidades fisiológicas, que variam de acordo com idade, sexo, altura, fumo e gravidez.”

“Durante a gestação, ocorre um aumento de cerca de 35% da massa eritrocitária (células vermelhas) e 40 a 50% do volume plasmático, para suprir as necessidades de suprimento sanguíneo uterino. Com isso, o sangue adquire uma menor concentração de células vermelhas. No 2º e 3º trimestres de gravidez, aumenta progressivamente as necessidades de ferro pelo feto, sendo mais frequente a anemia ferropriva nesse período”, acrescenta.

Sintomas da anemia na gravidez

  • Pele, lábios e unhas pálidas;
  • Queda de cabelos e enfraquecimento das unhas;
  • Sensação de cansaço ou fraqueza;
  • Tontura e falta de ar;
  • Batimento cardíaco acelerado;
  • Diminuição da função imunológica;
  • Comprometimento do desempenho físico e mental;
  • Menor tolerância às perdas sanguíneas do parto, resultando em maior risco de anemia pós-parto e hemotransfusão.

No estágio inicial, a anemia pode ser assintomática e muitos dos sintomas, quando presentes, são muito parecidos com os sintomas da gravidez, mesmo que a gestante não esteja anêmica.

Riscos para a mãe e o bebê

iStock

“A anemia na gravidez pode aumentar os riscos de abortamento e óbito intrauterino, restrição de crescimento intrauterino e depressão pós-parto. Para o bebê, há riscos de hipoxemia fetal, prematuridade e alterações irreversíveis do desenvolvimento neurológico da criança”, alerta a ginecologista.

Como tratar a anemia na gravidez

  1. Alimentação rica em ferro: incluir na dieta alimentos como carnes, bife de fígado, feijão, espinafre e couve pode auxiliar no tratamento e prevenir a anemia na gravidez.
  2. Alimentos ricos em folatos: a anemia por carência de folato pode ser tratada incluindo na dieta alimentos como vegetais com folhas verdes, frutas cítricas e sucos, feijão seco, pães e cereais fortificados com ácido fólico.
  3. Alimentos ricos em vitamina C: “os alimentos ricos em vitamina C ajudam o organismo a absorver mais ferro. Esses incluem: frutas cítricas e sucos, morangos, kiwis, tomates e pimentões. Experimente comer esses alimentos ao mesmo tempo que ingere alimentos ricos em ferro. Por exemplo, você pode beber um copo de suco de laranja e comer um cereal fortificado com ferro no café da manhã”, orienta a ginecologista.
  4. Suplementos de ferro: para tratar a anemia ferropriva, além de incluir na dieta alimentos ricos em ferro, pode ser utilizado suplemento via oral ou endovenoso, dependendo da necessidade da gestante.
  5. Injeções diárias de ferro: a ginecologista informa que “os suplementos de ferro podem causar efeitos colaterais como diarreia, constipação, náuseas e azia. Nas mulheres em que esses sintomas são muito fortes, pode-se optar por injeções diárias de ferro. No entanto, essas injeções são dolorosas e podem causar manchas na pele.”
  6. Transfusão sanguínea: “se a anemia for grave (Hb < 7 g/dL) ou anemia com sintomatologia, e situações de hemorragia aguda com compromisso hemodinâmico, a transfusão sanguínea deve ser realizada”, orienta a Dra. Karina.
  7. Suco de beterraba e cenoura: a beterraba é ótima fonte de vitaminas do complexo B, auxiliando assim na reposição de ferro no organismo. Aliada à cenoura, um alimento rico em vitamina A, contribui para o desenvolvimento do feto e ajuda a reforçar a adesão da placenta.

Além de seguir uma dieta balanceada, é importante que a gestante tome regularmente as vitaminas pré-natais prescritas pelo médico – sobretudo as que contenham ferro e ácido fólico em sua composição.

Como prevenir

iStock

Continua após o anúncio

“Para prevenir a anemia na gravidez, é indicado fazer, pelo menos, três refeições diárias bem balanceadas e com alimentos ricos em ferro. Além disso, escolha alimentos com alto teor de folato, para ajudar a prevenir a deficiência de ácido fólico. As vegetarianas e veganas devem conversar com seu médico para verificar se devem tomar um suplemento de vitamina B12 durante a gestação ou quando estiverem amamentando”, orienta a ginecologista.

Vale ressaltar a importância de fazer exames de sangue de rotina nas consultas pré-natais, a fim de verificar se há anemia. Assim, o período gestacional poderá ser tranquilo, tanto para a mãe quanto para o bebê. Aproveite e saiba mais sobre as causas da hemorroida na gravidez e como tratá-la.