Amigdalite: o que a causa e como evitar as dores de garganta

A inflamação na garganta é comum entre crianças e adultos durante o inverno, mas pode ser evitada

Escrito por Priscila Domingos

Foto: Thinkstock

Dor de garganta, rouquidão e muita dificuldade para engolir. É difícil encontrar alguém que não tenha sofrido pelo menos uma vez com amigdalite, a inflamação dos gânglios presentes no fundo da garganta.

As amígdalas agem como guardiãs do corpo, filtrando os microrganismos indesejados. Elas têm a função de produzir células de defesa, mas também são alvos fáceis de ataque de alguns vírus e bactérias. Quando isto acontece, o resultado é a inflamação.

Apesar das infecções não respeitarem o calendário, as amigdalites são mais comuns no inverno. Isto se deve, principalmente, às variações de temperatura (e não apenas ao frio).

Sintomas

Além do desconforto na garganta, a amigdalite também pode provocar outros sintomas como febre, inchaço dos gânglios do pescoço, tosse, perda do apetite e, às vezes, mau hálito.

É importante observar os sintomas para não os confundir com os de outras doenças, como um resfriado.

Amigdalite: bactérias ou vírus?

Para sugerir o tratamento mais adequado, o primeiro passo é identificar se a origem da amigdalite é viral ou bacteriana. Como explica Edson Monteiro, especialista em otorrinolaringologia, “nas amigdalites por vírus, comuns em crianças, a infecção atinge preferencialmente a região da orofaringe (amídalas e faringe) e deve ser tratada com analgésicos e anti-inflamatórios”.

Mas, se há febre alta e pontos de pus na garganta, os indícios apontam para um ataque bacteriano às amígdalas. Neste caso, será necessário o uso de antibióticos específicos (receitados pelo médico). Nos quadros mais graves, a infecção bacteriana pode evoluir e afetar outros órgãos do corpo, como rins e coração.

O gargarejo funciona?

Sim, o gargarejo ainda é recomendado pelos especialistas como uma solução caseira eficaz contra o desconforto que a amigdalite provoca na garganta – principalmente nos casos mais simples, provocados por vírus.

Então você pode continuar usando aquela antiga combinação, conhecida de todas as avós: água morna, sal e gotinhas de limão – pelo menos duas vezes ao dia.

A cirurgia é necessária?

De acordo como o médico Edson Monteiro, a cirurgia de retirada das amígdalas já não é tão comum como antigamente porque hoje há vários tratamentos eficazes contra a infecção dos gânglios.

Mas quando a inflamação na garganta é frequente ou o tamanho das amígdalas interfere na respiração provocando apneia do sono, por exemplo, a amigdalectomia (procedimento cirúrgico no qual as amígdalas são removidas) pode ser indicada.

A cirurgia é feita por um otorrinolaringologista, a anestesia é local e demora menos de uma hora.

Recomendações

Quando a causa é descoberta, o tratamento correto resolve o problema em poucos dias. E se você pretende manter distância das dores de garganta neste inverno, algumas dicas simples podem ajudar a evitar as amigdalites.

  • Evite ambientes com ar-condicionado, que resseca as mucosas e diminui a resistência das amídalas;
  • Prefira ingerir bebidas mornas, sopas e alimentos macios, uma vez que são mais tolerados durante as crises;
  • Tome muito líquido para hidratar as mucosas.

Além disso, hábitos de vida saudável (como ficar longe dos cigarros e não deixar de tomar bastante líquido) ajudam a aumentar a imunidade do organismo e, consequentemente, mantém as infecções distantes do nosso corpo.

Dicas pela Web