Alimentos com baixo índice glicêmico ajudam a emagrecer

Saiba o que é este fator e como ele pode se tornar um aliado da sua dieta

Escrito por Juliana Prado

Foto: Thinkstock

Os carboidratos são considerados a principal fonte de energia dos alimentos. Mas se engana quem pensa que todos eles são iguais: mesmo sendo semelhantes, cada alimento é absorvido de uma forma diferente pelo organismo. Para entender melhor esta diferença, é preciso conhecer o índice glicêmico. Você sabe o que é este fator? Conhecido dos diabéticos, este índice pode se tornar um forte aliado da rotina de quem busca manter o peso ou perder as gordurinhas em excesso.

Entenda o índice glicêmico

O índice glicêmico é um fator relacionado à velocidade com que o corpo absorve os carboidratos (alimentos que dão energia, como pães, massas e açúcares). Segundo a nutricionista Denise Real, essa velocidade pode variar de acordo com a própria composição do alimento, como o tipo de carboidrato, se há ou não presença de proteínas, gorduras, fibras, entre outros fatores. Quanto maior é o índice glicêmico de determinado alimento, mais rápido ele será absorvido pelo organismo.

Produzindo energia

Quando os carboidratos caem na corrente sanguínea, o pâncreas libera a insulina, um hormônio responsável por tirar as moléculas de açúcar do sangue e jogá-las para dentro das células, onde serão transformadas em energia.

Isso significa que quanto mais rápida é a absorção de determinado alimento, maior é o nível de açúcar no sangue e a quantidade de insulina produzida. O problema é que, se a insulina estiver em excesso, o corpo tende a “estocar” a energia que não foi utilizada, e isto acontece em forma de gordura. É dessa forma que o excesso de açúcar pode se transformar em triglicerídeos, por exemplo, uma gordura tão prejudicial quanto o colesterol.

Como o índice glicêmico ajuda a emagrecer?

Em resumo, a ingestão em excesso de alimentos com alto índice glicêmico pode resultar em estoque de gordura. Além de ganhar peso, o indivíduo também sobrecarrega o pâncreas (órgão que, ao longo da vida, pode perder sua capacidade de produzir a insulina, levando ao diabetes).

O consumo de refeições com alto índice glicêmico tem ainda outro fator negativo: como são rapidamente absorvidas pelo corpo, elas promovem uma falsa sensação de saciedade, e em pouco tempo você vai estar com fome novamente. E isso não é o que você procura, certo?

Então, que tal incluir ao seu cardápio alimentos com baixo índice glicêmico? Eles serão absorvidos lentamente pelo organismo e ajudam a prolongar a sensação de saciedade. Por isso, prestar atenção a este número pode ser uma ótima forma de controlar o peso corporal.

A nutricionista Denise Real ressalta que os alimentos com alto índice glicêmico não devem ser vistos como vilões e não precisam ser evitados por completo. O segredo está no equilíbrio! “A grande dica é aliar os alimentos de rápida absorção a outros ricos em fibras, proteínas e gordura saudável”, indica a especialista. Isto porque a combinação dos alimentos também pode influenciar na absorção dos mesmos.

Confira abaixo uma lista com alimentos de baixo índice glicêmico, que podem se tornar amigos da sua dieta:

  • Leite;
  • Iogurte;
  • Maçã;
  • Pera;
  • Damasco;
  • Lentilha;
  • Feijão de soja;
  • Amendoim;
  • Sopa de tomate;
  • Ameixa;
  • Cereja;
  • Melão;
  • Ervilha;
  • Nozes;
  • Pão de cevada;
  • Farelo de arroz;
  • Brócolis;
  • Repolho;
  • Couve;
  • Berinjela;
  • Alface;
  • Cogumelo;
  • Espinafre;
  • Abobrinha.

Vale ressaltar que nem sempre os alimentos com baixo índice glicêmico têm poucas calorias. Para saber qual é a dieta adequada aos seus objetivos e esclarecer suas dúvidas sobre os alimentos, é imprescindível receber a orientação de um nutricionista.

Dicas pela Web