Descubra como identificar, tratar e prevenir a alergia ao sol

Escrito por
Em 17.04.21

iStock

Por                                
Em 17.04.21

Ter cuidados com a exposição solar ajuda a combater o envelhecimento precoce, além de prevenir doenças e uma série de efeitos, como a alergia ao sol. Para saber mais sobre esse tipo de alergia, conversamos com Geisa Costa (CRM 120.670), especialista em dermatologia e idealizadora do Art Beauty Center (SP) e da clínica Geisa Costa (Uberaba/MG). Confira!

Continua após o anúncio

Índice do conteúdo:

O que é alergia ao sol

A alergia ao sol, também chamada de dermatite solar, é um tipo de irritação que pode ser influenciada por alguns fatores que vão além da exposição solar.

“A pessoa desenvolve uma irritação após exposição intensa ou moderada. Pesquisas apontam que a luz UV modifica uma substância na pele e o organismo reage fazendo com que a pele fique inflamada, ou seja, vermelha, irritada, com coceira e, até mesmo, bolhas. A dermatite solar também pode ser causada por outros fatores, como o uso de antibióticos tetraciclinas, que levam a essas manchas na pele, e o uso de perfumes e o limão seguido de contato com o sol”, explica.

Sintomas da alergia ao sol

iStock

Como saber se você está com alergia ao sol? A dermatologista elencou os sintomas mais frequentes para você ficar de olho. Acompanhe!

  • Manchas vermelhas que coçam e geralmente aparecem cerca de 12 horas depois da exposição ao sol em áreas como o decote, os ombros, as pernas, os braços e o dorso do pé;
  • Bolhas que se tornam ressecadas e ásperas;
  • Manchas em forma de alvos de tiro, que é um círculo dentro do outro.

Se você identificou um desses sintomas, é muito provável que tenha desenvolvido a alergia, sendo necessários cuidados específicos na hora de tratar. Veja, na sequência, algumas opções!

Como tratar a alergia ao sol

iStock

De acordo com Geisa, a prevenção é o principal remédio. No entanto, caso a pele esteja manchada ou irritada, você deve procurar um(a) dermatologista. A profissional apontou que, após o diagnóstico, o qual vai variar com os sintomas apresentados, é possível indicar os seguintes tratamentos:

  • Hidratantes ou ácidos para uso tópico: segundo Geisa, os hidratantes devem ser próprios para cada tipo de pele. Quanto aos ácidos, a indicação é aplicar somente na mancha. Os componentes geralmente sugeridos, sempre após consulta e avaliação, são a vitamina C, o retinoico e o glicólico.
  • Tratamento com laser em clínica: “existem vários tratamentos a laser, como o CO2 fracionado e o Fotona, mas precisa avaliar o estado da mancha, o tempo que ela está na pele, o tom da pele, pois, caso contrário, o laser pode piorar a mancha”, esclarece.
  • Uso contínuo de protetor solar específico para o tipo de pele: na maioria das vezes, a alergia ao sol é verificada em peles sensíveis, sendo essencial buscar produtos específicos e neutros, sem alguns componentes químicos. Sendo assim, a dermatologista ressalta a importância de observar o rótulo do produto antes de comprar.
  • Teste de alergia: “é um teste comum, que o próprio dermatologista pode pedir ou pode encaminhar ao alergista. São testados vários ativos por meio de pontos de contato na pele para ver ao que a pessoa é alérgica. Com o resultado em mãos, o dermatologista faz orientações e sugere tratamentos”, aponta.

Como a dermatologista comentou, a prevenção da alergia ao sol é superimportante. Pensando nisso, confira as melhores dicas para se proteger e prevenir!

Continua após o anúncio

Como se proteger e prevenir

As principais recomendações giram em torno de evitar a exposição solar durante determinado horário e tomar medidas de proteção. Anote aí as dicas da dermatologista:

  • Evite exposição solar entre as 11h e as 16h;
  • Use chapéu;
  • Use óculos escuros com lentes de proteção UVA/UVB;
  • Se for possível, use camiseta manga longa com FPS;
  • Aplique protetor solar FPS 50+ de amplo espectro;
  • Invista em produtos desenvolvidos para pele sensível e com tendência a alergia;
  • Leia a fórmula dos produtos e, principalmente, dos protetores. É necessário aplicar no tempo certo, geralmente a cada duas horas ou após o banho de mar ou de piscina, para ter efeito.

Lembrando que, se você sofre de dermatite solar, consulte sempre um(a) dermatologista. E que tal aprender também como escolher protetor solar? Ele é um forte aliado na prevenção e no tratamento de diversas doenças da pele!

As informações contidas nesta página têm caráter meramente informativo. Elas não substituem o aconselhamento e acompanhamentos de médicos, nutricionistas, psicólogos, profissionais de educação física e outros especialistas.