Dicas de Mulher Dicas de Saúde

7 farinhas que emagrecem

Elas regulam o funcionamento do organismo e prometem deixar o corpo em forma por serem ricas em fibras

em 29/09/2014

Elas são práticas, baratas e ótimas aliadas na perda de peso. As farinhas de frutas, legumes e cereais se tornaram comuns nas dietas por proporcionarem diversos benefícios à saúde e ainda por servirem como uma ajuda e tanto para quem quer eliminar os quilos extras.

Algumas oferecem vitaminas, minerais, ômega-3 e até substâncias que diminuem a tendência do organismo em acumular gordura, mas são as fibras as principais responsáveis pela colaboração das farinhas no emagrecimento.

Além de aumentarem a absorção dos nutrientes, elas dão a sensação de saciedade e atrasam o esvaziamento gástrico. Isso significa que você se sente satisfeita com menos comida e demora a ter fome novamente.

Vale lembrar que as farinhas não fazem milagres. Não adianta encher o prato de alimentos calóricos, super gordurosos e depois acrescentar uma colher de farinha na tentativa de amenizar o estrago.

O resultado só aparece se você consumir esse tipo de farinha todo dia, polvilhada na comida pronta, na salada, no suco, no iogurte. Mas para isso, precisam ser combinadas com uma alimentação equilibrada e exercícios físicos regulares.

Outra dica para potencializar o efeito emagrecedor das farinhas é ingerir bastante água durante o dia, isso facilita a ação das fibras no organismo.

São várias as opções de farinhas que podem ser usadas por quem quer perder peso. Para ajudar na escolha, fizemos uma seleção com 7 farinhas para emagrecer. Saiba mais sobre as propriedades de cada alimento e como a versão em farinha de cada um deles pode ajudar na dieta:

1- Farinha de linhaça

A linhaça é considerada um alimento funcional, que nutre e ainda previne doenças. Existem dois tipos de semente, a linhaça marrom e a linhaça dourada. Ambas possuem os mesmos nutrientes, como ômega-3 e ômega-6, que previnem doenças cardiovasculares, melhoram a circulação sanguínea e ajudam a diminuir a retenção de líquidos.

A semente também é rica em fibras, que regulam o intestino e controlam o diabetes, tem vitaminas A, E, B1, B6, B12, além de potássio, sódio, magnésio, fósforo, ferro, cobre, zinco, manganês e selênio, que são minerais importantes para o nosso organismo. Contém ainda um composto chamado lignana, que ajuda no equilíbrio hormonal, alivia os sintomas da TPM, menopausa e atua na prevenção do câncer de mama.

A farinha de linhaça pode ser acrescentada no arroz, feijão, nas frutas, sucos, iogurtes, vitaminas, saladas, no preparo de bolos, pães, tortas, sopas.

2 – Farinha de quinoa

De sabor leve e tão saudável quanto a soja, o pequeno grão é riquíssimo em proteína, minerais e vitaminas B1, B2, B3, D e E, que auxiliam em diversas funções do nosso metabolismo. Possui grande quantidade de fibras que colaboram com o intestino, ajudam a controlar os níveis de colesterol e glicemia no sangue.

A quinoa possui diversos aminoácidos, dentre eles a lisina, uma substância que ajuda a fortalecer a imunidade e está relacionada ao desenvolvimento da inteligência e funções da memória e aprendizado. Além disso, a quinoa tem ação cicatrizante, analgésica e anti-inflamatória.

A farinha de quinoa pode ser utilizada na receita de pães, massas, tortas, biscoitos, mingaus e pudins, com a vantagem de não conter glúten e poder ser consumida por pessoas com hipersensibilidade ao leite e também portadores de doença celíaca, ou seja, que não podem consumir alimentos como cevada, aveia, trigo e centeio.

3 – Farinha de soja preta

A farinha feita com a versão turbinada da soja tradicional é rica em isoflavonas e antocianinas, substâncias importantes para combater o colesterol alto e até câncer. Além disso, a farinha de soja preta tira a fome, dá mais disposição e faz as células absorverem 50% menos gordura.

Sem contar suas propriedades que agem contra os radicais livres, retardam o processo de envelhecimento e previnem as rugas. Incluir a farinha de soja preta também pode ser uma ótima maneira de amenizar os sintomas da TPM e da menopausa.

4 – Farinha de feijão branco

O feijão branco é rico em Faseolamina A, uma proteína com propriedades que inibem a digestão dos carboidratos e que diminuem a absorção de açúcares pelo nosso organismo, sendo assim uma grande aliada no emagrecimento.

O feijão branco também pode ajudar a prevenir o diabetes e colabora para o bom funcionamento do intestino, pois possui grande quantidade de fibras. Não se deve exagerar no consumo da farinha de feijão branco, – uma colher de chá por dia é suficiente – já que podem ocorrer efeitos colaterais como diarreia e flatulência.

5 – Farinha de berinjela

A berinjela é rica em vitaminas A, C e no complexo B, que colaboram para melhorar visão e as defesas do corpo. Além disso, é um legume rico em água, que apresenta pouca gordura. Na casca da berinjela estão substâncias que ajudam a prevenir o câncer.

A farinha de berinjela tem até dez vezes mais fibras que a berinjela in natura, por isso ajuda a tirar a fome. Pode ser misturada a caldos, sopas, sucos, vitaminas e iogurtes. Combinada com uma dieta balanceada, duas colheres da farinha de berinjela todos os dias ajudam a secar a barriga.

6 – Farinha de banana verde

Os benefícios da banana podem ser melhor aproveitados se ela for consumida enquanto ainda está verde. Durante o processo de maturação, a fruta é rica de um tipo de amido resistente que não sofre digestão nem absorção e se comporta como se fosse uma fibra solúvel no organismo, inclusive produzindo substâncias que são benéficas.

Como a banana verde não é lá muito agradável de ser ingerida, uma alternativa para consumir a fruta é em forma de farinha. Como tem sabor neutro, a farinha de banana verde pode ser utilizada em diversas preparações, inclusive substituindo a farinha de trigo. Dá para misturar com água ou adicionar diretamente aos sucos, iogurtes e frutas em pedaços. A quantidade de consumo recomendada é de cerca de duas colheres de sopa por dia.

7 – Farinha de maracujá

A parte branca da casca do maracujá é rica em pectina, que impede a absorção da gordura presente nos alimentos. Na forma de farinha, cerca de 20% dessa fibra solúvel continua presente e, quando no estômago, se transforma em um gel que diminui a fome.

A quantidade sugerida para o consumo da farinha de maracujá é de uma colher de sopa três vezes ao dia, antes das principais refeições. Pode ser misturada na comida ou em sucos e iogurtes.

Comentários
Dicas relacionadas