Dicas de Mulher Dicas de Comportamento

6 sinais de que o seu casamento vai durar uma vida

Se o casal se utiliza dos desentendimentos para melhorar a relação, provavelmente, terá um relacionamento duradouro

em 22/04/2014

Foto: Thinkstock

Ao final de filmes, desenhos e até novelas, é normal se deparar com a seguinte frase “E viveram felizes para sempre”. Muitas vezes, as palavras não estão ali ou não são exatamente estas, mas a ideia fica implícita: a história terminou bem e os personagens em questão, juntos!

Porém, muito mais bonito do que assistir a lindos romances, com final feliz, na tela do cinema ou da TV, é observar, no dia a dia, histórias de amor verdadeiramente bonitas – não perfeitas, isentas de desentendimentos ou algumas dificuldades, mas, intensas e, sobretudo, reais.

Sabe aquele casal de idosos que você vê, por exemplo, na praça, e tem a “certeza” de que eles viveram e ainda vivem uma linda história de amor?! Ou até mesmo aquele homem e aquela mulher, que se casaram recentemente, mas que você percebe que “foram feitos um para o outro”, pois, simplesmente, demonstram uma vontade incrível de permanecerem juntos e fazerem a relação dar certo?!

Pois, bem, alguns casais realmente dão sinais de que o casamento vai durar uma vida inteira!

E, provavelmente, esse seja o desejo de grande parte das pessoas: ter um relacionamento realmente duradouro. Porém, para isso, não basta apenas amor… Respeito, amizade, companheirismo, paciência, entre outros sentimentos e atitudes, são fatores fundamentais.

Em teoria, é simples. Mas, na prática, nem sempre homens e mulheres – ainda que se gostem – conseguem fazer com que o casamento se mantenha “até que a morte os separe”. E os motivos para isso são inúmeros, além de, é claro, particulares a cada casal.

Mas algumas dicas podem ajudar! Por isso, se você está na dúvida se o seu casamento, de fato, pode durar anos e anos, até o final de suas vidas, tente se atentar a alguns detalhes do relacionamento…

Abaixo você confere uma lista com alguns dos possíveis sinais de que o seu casamento vai “durar uma vida”!

1. Vocês são amigos, mas um respeita a individualidade do outro

Foto: Thinkstock

Você se dá muito bem com o seu marido e, diariamente, vocês conversam sobre os mais variados assuntos (desde os mais banais, descontraídos, até temas mais sérios e polêmicos)?! Ótimo, isso mostra que vocês são bons amigos e têm intimidade – pontos fundamentais para que um relacionamento dê certo.

Celia Lima, psicoterapeuta holística e especialista do Personare, explica que, quando duas pessoas se unem, o ideal é que a convivência promova justamente isso: estreitamento da intimidade e da amizade. “Os assuntos que impactam diretamente na boa convivência entre o casal devem ser naturalmente compartilhados, mas é ilusão imaginar que absolutamente tudo seja compartilhado, pois é saudável também que a individualidade seja preservada”, destaca.

De acordo com a profissional, engana-se quem pensa que o companheiro reúne todas as qualidades desejáveis. É preciso entender e aceitar que existem assuntos que podem ser melhor divididos e compreendidos entre amigos do que entre o próprio casal. “Compartilhar tudo não é condição para a durabilidade do relacionamento e uniões com base nessa premissa tendem a ser relações controladoras, já que por trás do ‘tudo’ pode se esconder alguma insegurança ou o desejo de possuir até mesmo os pensamentos do outro”, explica Celia.

Portanto, a amizade e a intimidade entre o casal são, sem dúvida, importantes, mas isso não deve servir de justificativa para que um queira invadir a privacidade do outro.

Se você entende e aceita que o homem com quem se casou é uma pessoa que tem seus próprios sentimentos, desejos e necessidades – o que deve ser respeitado –, e ele, paralelamente, tem o mesmo entendimento a respeito de você, tudo indica que o relacionamento está “no caminho certo”!

2. Vocês dividem as tarefas do dia a dia ou as realizam juntos

Foto: Thinkstock

A evolução das relações sociais não permite mais que, hoje, as tarefas sejam entendidas como tarefas femininas ou tarefas masculinas dentro da família. “O que antes era entendido como papel do homem – prover financeiramente a família –, não pode mais ser usado como desculpa para sobrecarregar a mulher com os afazeres domésticos e responsabilidades com os filhos. Até porque a mulher está inserida no mercado de trabalho e também quer cuidar de sua carreira”, explica Celia Lima.

De acordo com a psicoterapeuta, os casais modernos fazem acordos o tempo todo e dividem todas as tarefas ou as realizam juntos. “Isso é importante inclusive na orientação dos filhos que vão aprender com os pais a respeito de solidariedade e companheirismo”, diz.

Mesmo os casais que optam por um deles não trabalhar, acrescenta Celia Lima, devem ficar atentos no que diz respeito aos compromissos com os filhos. “É importante para o bom desenvolvimento afetivo dos pequenos que ambos os pais também estejam presentes nas reuniões, festas da escola e em outros compromissos sociais”, explica.

Assim, é importante parar e observar se você e seu marido estão realmente sendo companheiros. E se a resposta for positiva, ótimo, este é mais um sinal de que o seu relacionamento “caminha bem”!

3. Vocês estão atentos aos seus próprios sentimentos e aos sentimentos do outro

Foto: Thinkstock

Muitas pessoas têm medo de que “o casamento caia na rotina” e, com isso, o desejo de ficar junto com o outro acabe. Porém, mulher e homem devem saber que podem fazer “cada um a sua parte” para que isso não ocorra.

Celia Lima destaca que não é muito difícil perceber que um relacionamento está caindo na rotina. “Basta ficar atento a si mesmo, a sentimentos de insatisfação, de enfado e perceber quando secretamente você reclama: ‘de novo?’”, diz.

Mas, explica a psicoterapeuta, uma pitada de criatividade e muito diálogo podem evitar o desgaste que a rotina promove nas relações. “As pessoas, sem perceber, acham que porque estão casadas, estão ‘garantidas’. Pois eu digo que é, a partir do casamento, que se iniciam os desafios, e não devemos entender por desafio algo difícil. Ao contrário, são os desafios que ajudam os casais a amadurecer e a fortalecer as relações. Mas como eu disse, é preciso prestar atenção aos próprios sentimentos e também às reações do companheiro, já que o que está bom para um, não necessariamente está bom para ambos”, destaca.

Dessa forma, se algo no relacionamento não está legal para você, tome a iniciativa de conversar com o seu marido. Esteja também sempre aberta a ouvi-lo. Se considerar que, por um motivo ou outro, o casamento está “caindo na rotina”, faça sugestões que possam mudar este quadro: proponha uma viagem ou um simples passeio; façam algo que vocês nunca fizeram juntos; surpreenda seu parceiro de alguma forma e tenha a liberdade de pedir que ele também faça o mesmo.

Mas, se o diálogo é comum entre vocês e ambos se esforçam para que o relacionamento “nunca deixe de ser interessante” e para que as duas partes estejam satisfeitas, ponto positivo para o seu casamento!

4. Vocês se utilizam dos desentendimentos para melhorar a relação

Foto: Thinkstock

Um casamento duradouro não é sinônimo de um relacionamento perfeito, sem brigas e divergências. Sem dúvidas, desentendimentos acabam ocorrendo entre pessoas que vivem juntas, é praticamente inevitável.

“E isso é saudável na medida em que o casal usa esses desentendimentos para deixar a relação mais ‘redonda’, para que os acordos se renovem e para que um passe a conhecer melhor o outro”, destaca Celia Lima.

Mas, quando o desentendimento se transforma em briga e, se isso fica recorrente, já não se pode dizer que exista saúde na relação. “Muitas pessoas provocam deliberadamente pontos de tensão; outras se sentem num ringue em que alguém sempre tem que ganhar a discussão e, quando alguém tem que ganhar, ambos perdem. Quem quer sempre ter razão não está pensando no casal, mas tão somente em ter razão. Será que isso é saudável?”, diz a psicoterapeuta.

Portanto, o segredo está em visualizar, nos possíveis desentendimentos que ocorrem entre marido e mulher, “caminhos alternativos” que possam fortalecer a relação. Casais que se propõem a isso terão, provavelmente, um longa estrada – para seguirem juntos – pela frente!

5. Vocês reconhecem quando precisam “discutir a relação”

Foto: Thinkstock

Levando em conta que ninguém é perfeito, nem sempre a mulher conseguirá agradar o marido; bem como ele não fará tudo exatamente como ela espera. Como já citado acima, desentendimentos, inevitavelmente, ocorrerão. Porém, um casal deve lembrar que o diálogo é fundamental em todos os relacionamentos.

“Trocar ideias, aparar as arestas e fazer acordos sempre que necessário, ajuda o casal a amadurecer e a ficar mais próximo. Isso não quer dizer que a cada evento seja necessário parar tudo para conversar, mas casais que não deixam para depois as pequenas coisas que incomodam podem evitar as intermináveis ‘DR’. ‘Discutir a Relação’ é desejável quando uma ou ambas as partes sentem que algo não vai bem na essência do relacionamento”, explica Celia Lima. “O importante aqui é evitar acusações e sempre refletir sobre o quanto cada um pode se responsabilizar pela parte que lhe cabe na retomada da harmonia da relação”, acrescenta a psicoterapeuta.

Dessa forma, não se assuste se você e seu marido, eventualmente, precisarem “discutir a relação”. Este não é o problema e, sim, um sinal de vocês se gostam e se preocupam com o casamento.

6. Vocês estão dispostos a aprender um com o outro

Foto: Thinkstock

Engana-se quem pensa que aquele casal que esbanja felicidade ou que está sempre dando demonstrações de afeto seja candidato a um relacionamento duradouro. “Ninguém sabe o que se passa entre quatro paredes, nem no íntimo de cada um. Quem se une sempre deseja que a relação seja duradoura, mas nem sempre sabe como fazer para que isso aconteça”, observa Celia Lima.

A psicoterapeuta explica que cada pessoa leva com ela o modelo de relacionamento que vivenciou em casa e, normalmente, tende a reproduzir o que conhece. “Se a pessoa tem uma referência positiva em sua família de origem, será mais fácil conduzir seu próprio relacionamento por caminhos mais suaves. Se, todavia, a referência familiar for de relacionamentos conflituosos, cheio de brigas, ciúmes, provocações ou agressões, é importante ficar atento para não reproduzir o que certamente causou sofrimento”, destaca.

Celia ressalta que um relacionamento é feito de duas pessoas, cada uma carregando valores e referências próprias. “A beleza das relações é justamente o quanto um pode aprender com o outro e a respeito de si mesmo. Quem compreende que o amor é apenas uma parcela para o sucesso de uma união, compreendeu também que é preciso construir e conservar a relação em suas inúmeras facetas. Quanto mais consciente disso o casal estiver, maior a probabilidade de uma união duradoura”, finaliza a psicoterapeuta.

Portanto, se você e seu parceiro já sabem olhar para dentro de si mesmos, reconhecendo seus próprios erros; prezam pelo diálogo e tentam sempre aprender com as próprias falhas e, também, com as falhas do outro, vocês, de fato, estão amadurecendo juntos e dando valor ao casamento. E, claro, contribuindo para que o relacionamento seja duradouro.

Comentários
Dicas relacionadas