5 coisas que você deve perguntar aos professores do seu filho

Professora orienta quais são as dúvidas que devem ser esclarecidas com os pedagogos logo no início das aulas

Escrito por Ana Carolina Gabriel

Foto: Thinkstock

Sabe-se que é preciso acompanhar de perto o desempenho e a vida escolar das crianças. Por isso, frequentar as reuniões de pais e mestres é essencial para estabelecer vínculo com os professores para que seu pequeno aproveite todas as aulas de forma satisfatória e proveitosa e que você fique em dia com o progresso escolar dele.

Antes de mais nada, conversar com os professores é essencial. “Logo no início das aulas, a coordenação da escola agenda um dia para ter a primeira reunião de pais. É de extrema importância a participação, já que é lá que os pais conhecem melhor o professor e recebem orientações de estudos e planejamento de aulas”, conta a professora Arlete Codo.

Didática de ensino

Saber como funciona o processo de ensino e avaliação do colégio é importante para orientar os pequenos no estudo. “É muito comum escolas trazerem o conceito de atualidade nos conteúdos das aulas. Através de interpretação de texto, as crianças leem notícias e se atualizam sobre o que acontece no Brasil e no mundo para estarem antenadas com tudo”, conta a professora. Sendo assim, é importante saber como se dá o ensino na escola em que seu filho estuda, para estar em sintonia com o método e ajudá-lo em casa. Estar ciente do método de avaliação, por sua vez, ajuda a orientá-lo sobre como se preparar para esses testes.

Como estudar em casa

É importante que as crianças disponibilizem um tempo para estudos após o colégio. Por isso, peça orientações dos professores para saber qual é a melhor forma do estudo em casa.”Eles precisam reler o que foi dado em aula, fazer os exercícios propostos pelo professor e anotar no caderno o que não ficou claro para na próxima aula tirar as dúvidas com o professor”, recomenda Arlete.

Os pais devem também acompanhar as lições de casa do filho. “Tem crianças que são muito pequenas e não sabem fazer sozinha as lições. Nesse início, é importante que os pais sentem ao lado dos filhos e os orientem. Faça perguntas sobre a matéria, pergunte o que ele entendeu da aula. Esse vínculo entre pais, professores e filhos é essencial no aprendizado”, comenta a professora.

Recomenda-se também verificar se o filho está realmente cumprindo suas obrigações relacionadas ao estudo. Por vezes, crianças mentem sobre não haver tarefa e isso deve ser sempre checado. Verifica-se, assim, a necessidade de manter um vínculo próximo com os professores do pequeno.

Aulas de idiomas

Nas aulas de idiomas, o cuidado deve ser redobrado. “Em aulas de inglês ou espanhol, por exemplo, as crianças costumam ter mais dificuldades em assimilar. Por isso, em casa, os pais devem brincar com eles e falar o que a criança aprendeu no idioma estrangeiro. No caso dos objetos, relembrar como se pronuncia, por exemplo, table, eraser, door, etc”, recomenda Arlete.

Vale ressaltar que isso só funciona quando os pais tem pleno conhecimento do idioma em questão. Se o pai ou mãe não conhecerem o idioma, o ideal é tirar as dúvidas diretamente com o professor. Recomenda-se também pedir ao professor que explique claramente o enunciado dos exercícios da tarefa em sala de aula, assim, o aluno saberá o que é esperado dele em cada atividade.

Responsabilidade

Pedir orientações dos professores sobre como incluir a responsabilidade no dia-a-dia dos pequenos é essencial. “Eles precisam entender que o colégio necessita de uma atenção especial. Mostre à ele que ele pode brincar sim, mas depois de ter feito as tarefas de casa”, comenta a professora. Verificar com o professor se ele está cumprindo as obrigações dele de aluno dentro da escola também é primordial para saber quando é hora de intervir e orientar seu filho sobre seus deveres e direitos.

Confecção dos trabalhos

Deixe que as crianças façam os trabalhos sozinhos. “Os professores orientarão a melhor forma dos pais acompanharem os trabalhos, sem interferir na confecção, mas acompanhando todos os processos de elaboração”, diz Arlete. Por vezes, a vontade materna ou paterna é de ajudar o filho em uma atividade, como colorindo um desenho para ele, porém isso é desencorajado pelos pedagogos, pois cada atividade tem um objetivo e deve ser feita pelo aluno e não pelo adulto.

O importante é que os pais entendam que não há ensino eficiente sem o apoio deles e o acompanhamento em casa. “Infelizmente muitos pais acreditam que colocando os filhos em ótimos colégios, estará tudo bem. Mas é preciso que haja o apoio e a orientação em casa também. Mostre que as lições devem ser feitas com capricho, atenção e que a escola é um ambiente agradável de ensino”, recomenda a professora.

Finalmente, é preciso saber que o pai pode e deve contar com o apoio do professor e vice-versa. Se cada um cumpre sua parte no trabalho, meio caminho está andado. O resto fica por conta da criança, que deve trilhar seus caminhos escolares usando suas próprias pernas, mas sempre orientado pelos pais e pela escola. Assim, é possível garantir que você fez o que cabia a você pela educação do seu pequeno.

Para você