Xixi na cama – até quando é normal?

Até os cinco anos de idade, o problema não deve ser motivo de preocupação

Por Fernanda Boito
Atualizado em 03/10/2013 13:59
xixi na cama ate quando e normal Xixi na cama   até quando é normal?

Foto: Thinkstock

O xixi na cama não precisa ser motivo de preocupação para os pais se isso acontecer com a criança até os cinco anos de idade, uma vez que o completo desenvolvimento do controle da micção só ocorre por volta dessa idade. Especialistas confirmam que o diagnóstico da enurese, ou incontinência urinária durante o sono, acontece se as “escapadas” noturnas persistirem até os sete anos de idade, com pelo menos um episódio de xixi na cama por mês.

Ao contrário do que a maioria das pessoas pensa, o xixi na cama não é causado por questões emocionais. As causas do problema, que pode ser hereditário e mais comum nos meninos, são basicamente fisiológicas e o tratamento pode ser feito com o uso de aparelhos chamados de “alarme de cabeceira”, um tipo de tapete com sensores de urina conectados a uma caixa de alarme que ajuda a criança a aprender a contrair os músculos e assim controlar a urina; ou ainda com o uso de hormônios sintéticos.

Apesar das causas da enurese não serem emocionais, é muito importante que os pais saibam lidar com a situação. A partir dos sete anos, a criança já passa a entender melhor o que está acontecendo, passa a sentir-se diferente dos demais e por isso sente-se envergonhada.

Muitas vezes ela se torna retraída pelo fato de ter medo que os outros saibam que ela faz xixi na cama, portanto, torna-se fundamental que os pais evitem falar sobre o assunto na frente de outras pessoas para não constranger o filho.

Além disso, é essencial que pai e mãe conversem com a criança a fim de tranqüilizá-la para que ela não se sinta culpada e ansiosa por fazer xixi na cama. Ajudar a criança a sentir-se confiante é essencial. Não a repreenda quando as “escapadas” noturnas acontecerem e procure sempre incentivá-la cada vez que conseguirem controlar o xixi.

No ambiente familiar, a enurese deve ser tratada com normalidade para que a criança veja-a somente como uma fase passageira.

No que diz respeito à enurese, assim como é o caso de outros assuntos familiares, as palavras-chave são compreensão e diálogo. Com o apoio familiar e o tratamento médico, o problema pode ser curado. Com a cura, é comum observar na criança uma mudança de comportamento – da introversão para a extroversão – o que a leva a recuperar sua autoestima e desenvolver melhor outras áreas de sua vida, como a escola e a convivência social.